Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

domingo, 31 de janeiro de 2016

SYMPHONIC/ HARD PROG - MARIA - Maria (魔璃鴉) - 1991 (1976)


Mais uma obscura pérola vinda do Japão, esta formada em meados dos anos 70 na região de Kansai. Pouco se sabe sobre a banda Maria, o quinteto não chegou a lançar algo oficial nos seus anos de atividade, apenas em 1991 um CD saiu pela Made In Japan, com antigas gravações de 1976.
O álbum homônimo (apesar de também chamado 魔璃鴉) traz 9 faixas, sendo maioria curtas, marcadas pela combinação entre teclados (órgão, piano e sintetizador), trazendo influências que passam pelo rock progressivo sinfônico e space, e a guitarra agressiva, responsável pela dose hard rock, ambas se revezando em belos solos. Além disso, as músicas são todas cantadas na língua local, tornando Cosmos Factory a principal referência. O ponto baixo é a qualidade da gravação, retiradas de fitas cassete. Quanto as faixas destaque para  "Narcissist", "Serenade" e "Aki", apesar conter poucos momentos ruins.
Uma excelente surpresa para fãs de prog sinfônico e hard prog, altamente recomendado.

Obscure gem comng from Japan coming, Maria was a band formed in the mid-70s in the Kansai region. Little is known about the quintet, they did not actually release anything official in their years of activity, just a CD came out in 1991 by Made In Japan, with old 1976 recordings.
The self-titled album (though also called 魔 璃 鴉) brings 9 tracks, with most short, marked by the combination of keyboards (organ, piano and synthesizer), bringing influences like symphonic and space prog, and aggressive guitar, responsible for the hard rock dose, both showing great solos. In addition, the songs are all sung in the local language, making Cosmos Factory the main reference. The low point is the quality of the recording, taken from cassette tapes. The best tracks are "Narcissist", "Serenade" and "Aki" despite contain few bad moments. A great surprise to symphonic prog fans and hard prog, highly recommended!

Izumi Yoji (vocal)
Shinichi Iwai (guitarra)
Tanigawa Masaharu (baixo)
Masahiko Fukushima (bateria)
Kanazawa Yasuhiro (teclados)

01 静と動 - Sei to Dō
02 夢幻 - Mugen
03 読点からの出発 Part I - Tōten Kara no Shuppatsu Part I
04 読点からの出発 Part II - Tōten Kara no Shuppatsu Part II
05 ナルシスト - Narcissist
06 セレナーデ - Serenade
07 真昼の舞踏会 - Mahiru no Butōkai
08 秋 - Aki
09 報復 - Hōfuku



sábado, 30 de janeiro de 2016

PROGRESSIVE ROCK - KOICHI OKI - Four Seasons - 1974


Pérola vinda do Japão, o músico Koichi Oki começou sua carreira na música nos anos 60 e na década seguinte foi contratado pela Yamaha para divulgar seus aparelhos musicais, principalmente órgãos elétricos. Sua carreira solo parou pouco tempo depois, quando ele passou a trabalhar como professor e compositor.
Posto aqui o álbum Four Seasons, lançado em 1974 (apesar de algumas fontes afirmarem ser do ano anterior). O músico traz versões modernas e eletrônicas à obra homônima de Vivaldi, do século XVIII, um projeto provavelmente influenciado por ELP ou Ekseption. Totalmente instrumental, é dividido em 12 faixas, sendo 4 para cada estação, totalmente guiado pelo bom trabalho de Kiochi no órgão elétrico (Electone) e sintetizador, acompanhado por passagens interessantes de guitarra e bateria.
Certamente merece uma audição de fãs de órgão e teclados na música progressiva.

The Japanese musician Koichi Oki began his career in music in the late 60s and during the following decade was employed by Yamaha to promote their Electone organs. His solo career stopped a short time later when he started to work as a teacher and composer.
Post here the album "Four Seasons", released in 1974 (although some sources claim to be 1973). The musician brings modern and electronic versions to the work of Vivaldi, during the 18th century, a project probably influenced by ELP or Ekseption. Totally instrumental, is divided into 12 tracks, 4 for each season, fully guided by the good Kiochi's work in electric organ (Electone) and synthesizer, accompanied by interesting passages of guitar and drums. Certainly it deserves a listening for organ and keyboards fans in progressive music.

Koichi Oki (órgão, sintetizador)
Akira Ishikawa (bateria)
Ken Yajima (guitarra)

Spring:
01 Part 1 2:56
02 Part 2 2:27
03 Part 3 5:00

Summer:
04 Part 1 4:46
05 Part 2 4:18
06 Part 3 4:50

Autumn:
07 Part 1 3:58
08 Part 2 3:58
09 Part 3 2:47

Winter:
10 Part 1 5:17
11 Part 2 1:59
12 Part 3 4:09

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

JAZZ FUNK/ FUSION - BRUCE CLARKE QUINTET - Stratusphunk - 1974


Grupo vindo de Melbourne, na Austrália, ativo no começo dos anos 70. Bruce Clarke Quintet lançou apenas um raro álbum em 1974 no pequeno selo Cumquat, cujo dono era o líder Bruce Clarke. Sem sucesso a banda se desfez pouco tempo depois e alguns de seus membros continuaram participando da cena local.
Stratusphunk é um disco que traz 7 faixas instrumentais, sendo 5 covers de nomes como Miles Davis, Oliver Nelson e George Russell. Passando por jazz fusion tradicional e acentuadas influências de funk, conta com excelente e entrosado trabalho entre metais (trompete e sax), guitarra, percussão e também passagens de Moog. Quanto as faixas, destaque para "Hong Kong Ladies", "Pavane" e "Three Seconds", apesar de ser consistente.
Pérola recomendada para fãs de jazz fusion e funk.

The Highly sought after album by the Bruce Clarke Quintet “Stratusphunk”. Recorded during the mid 70’s in Melbourne, Australia and released on Bruce Clarke’s own label “Cumquat Records”. With inspiration coming from albums like Miles Davis’- Bitches Brew , The Quintet’s sound centers around electrified instrumentation (Guitar,Bass, Sax etc) with Clarke also using the Moog synthesizer. The style of the album is really more of a funky jazz sound than jazz rock as stated on the rear cover.
The best track on the album is the Awesome “Three seconds”, Nice and funky stuff. ”Hong Kong Ladies” is another funky cut and another long one too (almost 11 minutes). There’s a version of the Miles Davis track ”Tune up” as well as ” Stratusphunk, The Falling Rains, Pavane” and “One for Donna”.
Text: Street Rock Records

Bruce Clarke (guitarra, Moog)
Keith Sterling (trompete, fliscorne)
Ian Grattidge (baixo)
Ron Sandilands (bateria, percussão)
+
Ted White (saxofone, flauta)

01 Stratusphunk 6:00
02 The Falling Rains Of Life 3:45
03 Tune Up 3:54
04 Hong Kong Ladies 10:54
05 Pavane 10:33
06 Three Seconds 7:30
07 One For Donna 4:41



terça-feira, 26 de janeiro de 2016

PROGRESSIVE ROCK - MIKE HARVEY - Great Expectations - 1979


Mike Harvey (também conhecido como Michael Harvey) é um músico, compositor e produtor nascido na Nova Zelândia. Na década de 70 formou o grupo Salty Dogg, lançando um LP em 1977 e logo depois partiu para carreira solo, que durou pouco e resultou em apenas um álbum. Desde então mora na Austrália, onde ainda produz e faz participações em alguns projetos.
Great Expectations, lançado em 1979 e sem nenhuma reedição, tornou-se uma obra rara. Traz 7 faixas instrumentais (apenas em duas ouvimos rápidas partes líricas), cujas principais influências são rock progressivo sinfônico e jazz fusion, além de momentos mais voltados ao eletrônico, sempre com belas e melódicas composições. O admirável e viajante trabalho nos teclados de Harvey predomina e é destaque, acompanhado ainda em momentos por guitarra e bateria.
Sólido e muito bem executado, essa pérola vale uma audição dos fãs de prog rock.

Mike Harvey (aka Michael Harvey) is a musician, songwriter and producer born in New Zealand. In the 70s he formed the group Salty Dogg, releasing a LP in 1977 and soon after started a short solo career, resulting in one album. Since then he lives in Australia, where he still produces and plays in some projects.
Great Expectations, released in 1979 and without any new edition, has become a rare record. Brings seven instrumental tracks (only in two we heard rapid lyrical parts), whose main influences are symphonic progressive rock and jazz fusion, and other more electronic moments, always with beautiful and melodic compositions. Harvey's excellent work with keyboards predominates and is also accompanied by guitar and drums at timesSolid and very well executed, this gem is worth a listening for all prog rock fans.

Mike Harvey (sintetizador, piano)
+
Dave Dobbyn (vocal)
Lea Maalfrid (vocal)

01 Cauldron 4:30
02 Love Theme 5:04
03 Crusher 3:13
04 In Eastern Times 4:16
05 The Awakening 6:22
06 Great Expectations Suite 5:09
07 We'd Like to Know 5:48



segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

HEAVY PSYCH - MECCA - Black Sally / Side Street Man - 1970


Pérola formada em 1968 na cidade de Sydney, na Austrália. O grupo Mecca teve curta duração, lançando um único e raro compacto pela Festival em 1970, se desfazendo logo depois. Os membros Dennis Wilson e Bob Daisley formaram a conhecida banda Kahvas Jute no mesmo ano.
O single traz as músicas "Black Sally" e "Side Street Man", a primeira que teve uma versão feita pelo Human Instinct no disco Stoned Guitar. Ambas curtas e trazendo uma boa e típica mescla de rock psicodélico, hard e blues da época, guiado pela excelente e ácida guitarra, acompanhada por bons vocais e bateria/ baixo competentes. O grupo aqui mostra grande capacidade para um trabalho mais longo, porém que nunca foi realizado.

Mecca was a band formed in 1968 in Sydney, Australia. The group was short-lived, casting a unique and rare single by Festival in 1970, disbanding soon after. Members Dennis Wilson and Bob Daisley formed Kahvas Jute in the same year.
The single brings the songs "Black Sally" and "Side Street Man", the first had a version made by Human Instinct in the album "Stoned Guitar". Both short and bringing a good and typical mix of psychedelic, hard and blues rock, guided by great acid guitar, accompanied by fine vocals and competent drums / bass. The group here shows great capacity for a larger work, but that was never accomplished.

Dennis Wilson (guitarra, vocal)
Bob Daisley (baixo)
Robin Lewis (bateria)
Clive Coulson (vocal)

01 Black Sally
02 Side Street Man



terça-feira, 12 de janeiro de 2016

PSYCHEDELIC ROCK - ZOCALO - Que Te Aproveche - 1971


Pérola formada em Montevidéu, capital do Uruguai no final dos anos 60. O grupo Zocalo durou pouco tempo, gravando apenas um raro álbum em 1971 em Buenos Aires. Por conta da produção do LP, aconteceram brigas e saída de membros, então a banda mudou o nome para Corpus e se desfez pouco tempo depois.
Que Te Aproveche traz 12 curtas faixas que passeiam pelo rock psicodélico, latino e algumas baladas soft, lembrando alguns nomes locais da época, como Limonada. O instrumental é simples e competente, guiado pela guitarra (em alguns momentos distorcida), além de teclado e boas linhas de baixo, acompanhados pelo vocal em espanhol e recheado de coros. Quanto as faixas, destaque para "No, No Preguntes", "Tomala o Dejala" e "Que Te Aproveche". Boa surpresa para fãs de psicodelia latina-americana.

Zocalo was a band formed in Montevideo, Uruguay's capital at the end of the 60s. They recorded only a rare album in 1971 in Buenos Aires, due to the production of the LP, there were fights and some members left, so the group changed the name to Corpus and disbanded shortly after.
"Que Te Aproveche" brings 12 short tracks between psychedelic, latin rock and some ballads, remembering local names of the time, like Limonada. The instrumental is simple and competent, guided by the guitar, as well as keyboard and good bass lines, accompanied by vocal in Spanish and with choirs. As for the tracks, best are "No, No preguntes", "Tomala and Dejala" and "Que Te Aproveche". Nice surprise for Latin American psychedelia fans.

Angel Armagno (vocal, baixo)
Polo Bidart (vocal, guitarra)
Pedro Peradoto (teclado)
Antonio Pantolios (guitarra)
Rolo Rodriguez (bateria)

01 El Amor No Es Como Tú Piensas
02 Ya No Me Molesta Tu Presencia
03 Siempre Dispuesta
04 No, No Preguntes
05 Piensalo
06 Ven Ven Bea
07 Sol Ven a Parar La Lluvia
08 Ayudenme a Encontrarla
09 Oh, Mi Beatriz
10 Tomala o Dejala
11 No Se Olvidara
12 Que Te Aproveche

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

PROG FOLK - GÉNESIS - Gene-Sis A-Dios - 1972


Uma das principais bandas colombianas contemporâneas, o Génesis surgiu graças ao influente músico local Humberto Monroy em 1972, lançando vários álbuns até final da década de 80. Mais informações podem ser encontradas na postagem do segundo disco deles, feita no blog em 2013 (clique aqui).
Gene-Sis A-Dios é o debut do grupo, lançado em 72 e até hoje sem reedição, contando com participação de vários músicos locais, como Roberto Fiorilli e Guillermo Guzman. Dividido em 11 curtas faixas, sendo duas versões em espanhol de "Times They Are A Changin'" e "House of Rising Sun", já trazendo a proposta de fusão entre ritmos locais e rock (progressivo e psicodélico), variando entre momentos viajantes e acústicos. O instrumental é reflexo desta mistura, com passagens de guitarra, teclado e bateria e também violão, percussão e zamponha. As letras são todas em espanhol e com bela interpretação de Monroy.
Não tão bom quanto o segundo trabalho, porém pérola interessante para fãs de folk e rock latino.

Genesis was one of the most important bands from Colombia, it was formed by local musician Humberto Monroy in 1972, releasing several albums until the late 80's. More information can be found in the post of their second album, made in the blog in 2013 (click here).
"Gene-Sis A-Dios" is the debut of the group, released in 72 and still without reissue, with participation of several local musicians such as Roberto Fiorilli and Guillermo Guzman. Divided into 11 short tracks (including Spanish versions of "Times They Are A Changin '" and "House of Rising Sun"), already bringing a fusion between local rhythms and rock (progressive and psychedelic), ranging from trip and acoustic moments. The instrumental reflects this, with guitar, keyboard and drums as well as acoustic guitar, percussion and zamponha. The lyrics are all in Spanish and with beautiful interpretation of Monroy.
Not as good as the second work, however interesting pearl to folk and Latin rock fans.

Humberto Monroy (vocal, violão, harmônica, zamponha)
Edgar Restrepo Caro (bateria)
Federico Taborda "Sibius" (percussão)
Armando Narvaez (guitarra)

01 Maka (2:55)
02 Sigue tu camino (3:56)
03 No se encuentra un justo (2:38)
04 Carta de juan (4:16)
05 Los tiempos estan cambiando (2:56)
06 Niña alheli (2:55)
07 El hombre de las sandalias (3:59)
08 La casa donde nace el sol (4:26)
09 Hermana, amiga y compañera (3:01)
10 Es una bella mañana (5:00)
11 Adios (1:07)

domingo, 10 de janeiro de 2016

PSYCH/ LATIN ROCK - CACIQUE - Cacique / Playin' - 1973


Pérola vinda do Peru, formada provavelmente na capital Lima no começo dos anos 70. Pouco se sabe sobre a banda Cacique, eles lançaram apenas este compacto em 1973 e outras duas músicas (sendo uma versão "ao vivo" de Playin') numa compilação da época, produzida por Geraldo Manuel. No lado A a faixa "Cacique" é instrumental e merece destaque, bastante vibrante e com fortes influências psicodélicas e de garagem inseridas em ritmos locais como Cumbia, onde ouvimos guitarra ácida, órgão elétrico e percussão. Já "Playin'" é um pouco mais comercial e cantada em inglês, novamente com boa pegada no teclado e percussão. 

Coming from Peru, the group Cacique was formed probably in the capital Lima during the early 70's. Little is known about the band, they only released this single in 1973 and others two songs (one "live" version of Playin') in a compilation of time, produced by Geraldo Manuel. In the A-side, "Cacique" is the highlight, all instrumental and with vibrant and strong psychedelic and garage influences inserted in local rhythms like Cumbia, where we hear acidic guitar, electric organ and percussion. "Playin '" is a bit more commercial and sung in English, again with good work of keyboard and percussion.

Músicos: ?

01 Cacique
02 Playin'

sábado, 9 de janeiro de 2016

LATIN JAZZ - MARCOS RESENDE & INDEX - Festa Para Um Novo Rei - 1978


Um dos 11 LPs lançados pela Philips entre 1978 e 81 na série MPBC (Música Popular Brasileira Contemporânea), com a intenção de mostrar a música instrumental através de compositores, instrumentistas e arranjadores nacionais. Posto aqui o projeto da banda Index, liderada pelo pianista Marcos Resende e com presença Oberdan Magalhães, Claudio Gabis, Jorge Degas, entre outros. Infelizmente este foi o único trabalho do grupo.
Festa Para Um Novo Rei, de 1978, é composto por 9 faixas instrumentais mesclando influências de jazz e ritmos latinos e brasileiros, como o samba. O som é bastante diversificado e dinâmico, com incríveis performances nos teclados, saxofone e percussão, acompanhados ainda por flauta e guitarra. Quanto as faixas destaco "Festa Para Um Novo Rei", "Areias" e a bela versão de "Vidigal", apesar de ser uma obra consistente.
Uma das tantas pérolas da nossa música, altamente recomendada para fãs de samba jazz e fusion em geral.

One of the 11 LPs released by Philips between 1978 and 81 in MPBC series (acronym for Contemporary Brazilian Popular Music), with the intention of showing the instrumental music by local composers, instrumentalists and arrangers. Post here the project of the band Index, led by pianist Marcos Resende and with presence of Oberdan Magalhães, Claudio Gabis, Jorge Degas, among others. Unfortunately this was the only album of the group.
"Festa Para Um Novo Rei" (Party For A New King), of 1978, consists of nine instrumental tracks mixing influences of jazz and Latin/ Brazilian rhythms, such as samba. The sound is quite diverse and dynamic, with incredible performances on keyboards, saxophone and percussion, still accompanied by flute and electric guitar. Best tracks are "Festa Para Um Novo Rei", "Areias" and the beautiful version of "Vidigal", despite being a solid work. One of the many pearls of Brazilian music, highly recommended for latin/ samba jazz fans.

Marcelo Salazar (congas, percussão)
Wilson Meireles (bateria)
Jorge Degas (baixo)
Claudio Gabis (guitarra)
Marcos Resende (piano, sintetizador, arranjos)
Oberdan Magalhães (flauta, saxofone tenor)

01 Terra De Vera Cruz 3:36
02 Adriana 4:00
03 Macacheira 3:57
04 Terra De Santa Cruz 3:46
05 Festa Para Um Novo Rei 6:04
06 Mulato 4:39
07 Areias 3:59
08 Vidigal 4:58
09 Corsários 7:42

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

FOLK ROCK - CAMPANARIO - En Los Desordenes De Junio - 1983


Pérola formada em Santiago, capital chilena, no começo dos anos 80. O grupo Campanario teve certo reconhecimento local na época, apesar de restrições do governo, não conseguindo lançar nada até o fim das atividades. O único registro disponível da banda é este ao vivo de 1983, disponibilizado recentemente na internet, porém sem cópias oficiais.
En Los Desordenes de Junio é dividido em 10 faixas, maioria curtas, com som típico de anos anteriores no país (grupos como Los Jaivas e Congreso são referência), trazendo uma versão mais contemporânea de ritmos tradicionais andinos, adicionando elementos do rock progressivo e fusion. Instrumental rico conta com belo e entrosado trabalho entre violão, piano, percussão e instrumentos típicos como charango, trutrucas e zamponha, variando entre momentos viajantes e outros acústicos/ melancólicos. As letras são todas em espanhol e tem como temas a natureza e sociedade.
Apesar da baixa qualidade da gravação, aqui ouvimos um belo exemplo de folk rock sul-americano, recomendado!.

Campanario was a group formed in Santiago, the Chilean capital, in the early 80. Due to government restrictions, they didn't release anything during the time. The only record available of the band is this live in 1983, recently made available on the Internet, but without official copies.
"En Los Desordenes de Junio" is divided into 10 tracks, most short, bringing a more contemporary version of Andean traditional rhythms, adding elements of progressive rock and fusion (groups like Los Jaivas and Congreso are reference). Rich instrumental features beautiful work between guitar, piano, percussion and traditional instruments such as charango, trutrucas and zamponha, ranging from trip and other acoustic / melancholy moments. The lyrics are all in Spanish.
Despite the poor quality of the recording, we hear a fine example of South American folk rock.

Francisco Provoste (violão 12 cordas, vocal)
Heraldo Barahona (baixo)
Patricio Jauregui (piano)
Ismael Troncoso (bateria, percussão)
Carlos Vasquez (charango, trutrucas, zamponha)
Manuel Mata (saxofone, clarinete)

01 Cabalgata de los niños infinitos
02 En los desordenes de Junio
03 A traves del agua
04 En el mar
05 Una mirada de la tierra hacia el cielo
06 Ventolera
07 Entre los muertos
08 Ilusion optica de Los Andes
09 La paloma de la paz
10 Campanario

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

CLASSIC ROCK - FREEDOM - Libertad, Nena - 1971


Pérola formada em Buenos Aires, capital da Argentina, no começo dos anos 70, apesar de alguns ainda acreditarem se tratar de um grupo mexicano. A banda Freedom lançou apenas um álbum em 1971 e se desfez pouco tempo depois, caindo na obscuridade.
Libertad, Nena é composto por 13 curtas faixas que trazem um rock clássico direto, com doses de soul e fortes influências de grupos americanos e britânicos da época, prova disto são todas as letras em inglês e covers como "Stuff You Got Watch", "C.C. Rider" e "Molina". O instrumental é simples e liderado pela guitarra, acompanhada por piano e teclado em vários momentos, além de bateria/ baixo.
Nada de extraordinário, porém uma interessante pedida para fãs de rock sul-americano dos anos 70.

Freedom was a band formed in Buenos Aires, capital of Argentina, in the early 70s, though some still believe it is a Mexican group. They released only one album in 1971 and disbanded soon after, falling into obscurity.
"Libertad, Nena" consists of 13 short tracks that bring straight classic rock with doses of soul and strong influences of American and British groups of the time, proof of this are all the lyrics in English and covers like "Stuff You Got Watch", "CC Rider "and" Molina ". The instrumental is simple and led by electric guitar, accompanied by piano and keyboard at various moments, as well as drum / bass. Nothing extraordinary, but an interesting surprise for South American 70's rock fans.

Andrés De Vera (vocal)
Hector (guitarra, vocal)
Pucho Alonso (baixo)
Hugo (teclado)
Lalo Zambelli (bateria, vocal)

01 Introduction - Freedom, baby (Introduccion - Libertad, nena)
02 Ae ae so mama eh
03 Malam-bo a gogo
04 People Got to be Free (La Gente Deberia Ser Libre)
05 Stuff You Got Watch (Cosas que Deberias Cuidar)
06 Quien Podria Estar Amandote
07 Rock-a-dum
08 Stop The War (Paren la guerra)
09 C.C. Rider
10 Molina
11 Fields of Clover (Campos de Trebol)
12 The Presence of the Lord (La presencia del señor)
13 Red Wine (Vino rojo)