Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

quinta-feira, 31 de julho de 2014

AFRO/ PSYCH/ FUNK ROCK - GUELEWAR - Touki Ba Banjul: Acid Trip From Banjul To Dakar - 2012 (1977-82)


Mais uma pérola surpreendente vinda da África, o Guelewar foi formado no final dos anos 70 em Banjul, na Gâmbia, pequeno país no oeste africano! Lançaram quatro álbuns entre 1979 e 82, mas logo se desfizeram. Recentemente o som do grupo está sendo redescoberto e um disco ao vivo e outra compilação já saíram na Europa. Posto aqui a excelente coletânea Touki Ba Banjul: Acid Trip From Banjul To Dakar, lançada como vinil duplo pela Kindred Spirits em 2012.
Traz 7 longas faixas de verdadeiro caldeirão de estilos, passando pelo afrobeat, funk rock, psicodelia, ritmos locais e até certos momentos de rock progressivo, com solos de sintetizador/moog. Além dos teclados, saxofones, guitarra fuzz, piano e percussão (contando com vários instrumentos típicos como shakere, sabar e congas) são destaque no instrumental. As letras na língua local e vocal "pirado" de Moussa N'Gom dão um aspecto ainda mais viajante e hipnótico ao som dos caras! Não posso recomendar uma faixa em especial, pois todas são peças únicas e merecem uma audição.
Pérola altamente recomendada para apreciadores de rock psicodélico, afrobeat e funk rock.
Link

Some of the best material from Gambian psych funk pioneers Guelewar – a double-length collection, pulled from stellar albums of the late 70s and early 80s! Guelewar's got a really great sound here – one that brilliantly blends heavy, hypnotic rhythms, passionate vocals, swirling guitars and psychedelic organ grooves – all to create really unique vibe, and more than worthy of the legendary fame the group's gotten over the years! You might know Guelewar from their earlier work in the Supreme Eagles and Super Alligators – both great groups who prefaced the material here – infusing regional traditions with western funk, soul, and psych – to create a wicked groove that eventually evolved into the Guelewar sound!
Text: Dusty Groove

Laaye N'Gom (vocal, teclados, piano)
Moussa N'Gom (vocal, shakere)
Moussa Njobdi Njie (guitarra)
Njok Malick Mike Njie (baixo)
Bas Lo Fara Biram (saxofone)
Laaye Sallah Ombor (saxofone)
Oussou Ndiaye (bateria)
Koto Sunu Icoto N'Gom (percussão, sabar)
Alive Badara Cham N'Gom (percussão, congas, sabar)
Adu Salla [Adama Sall Adu] (percussão, bateria)


01 Sama Yaye Demma N’darr 07:42
02 Sunu Makaan 06:55
03 Ya Mom Smaray 07:18
04 Njarama 06:55
05 Tasito 06:10
06 Wollou 07:22
07 Kele Fasane 08:11

quarta-feira, 30 de julho de 2014

AFRO/ FUNK ROCK - MARIJATA - This Is Marijata - 1976


Mergulhando nos ritmos africanos encontramos mais um ótima pérola vinda de Gana, o trio Marijata surgiu no começo dos anos 70 na capital Acra ainda com o nome Pat Thomas and the Sweet beans, lançando um álbum em 74. Com a saída de Pat Thomas para trabalhos solos, o trio restante lançou este único álbum em 1976, que posto aqui, e depois tiveram mais uma reunião com Thomas, resultando em outros dois LPs em 76 e 77.
O disco This is Marijata de 1976 traz apenas 4 faixas, sendo duas longas. O som da banda é baseada em funk rock "cru" e groove pulsante e poderoso, com forte influência de ritmos regionais (como o Highlife) e doses psicodélicas. No instrumental, solos de guitarra fuzz, percussão e metais são presentes, mas com órgão sempre no "background", as letras são em inglês, mas com forte sotaque. Quanto as faixas, recomendo principalmente "I Walk Alone", mas todas são muito boas.
Pérola altamente recomendada para fãs de funk rock e afrobeat.
Link

Another great pearl coming from Ghana, the trio Marijata emerged in the early '70s in the capital Accra releasing an album in 1976. With singer Pat Thomas they released more 3 album in the 70s.
The album "This is Marijata", of 1976, brings only 4 tracks. The band's sound is based "raw" funk rock and and powerful groove, with a strong influence of regional rhythms (Highlife) and psychedelic doses. In instrumental fuzz guitar solos, percussion and metals are present, but with "background" organ, the lyrics are in English. As for the tracks, especially recommend "I Walk Alone", but all are very good. Highly recommended for fans of funk rock and afrobeat.

Kofi "Electric" Addison (guitarra)
Bob Fischian (órgão)
Nat Osmanu (guitarra)

01 I Walk Alone 10:54
02 We Live In Peace 4:14
03 No Condition Is Permanent 7:08
04 Break Through 5:10



terça-feira, 29 de julho de 2014

ZAM ROCK - KEITH MLEVHU - Love And Freedom - 1976


Pérola vinda da Zâmbia, o multi-instrumentista e vocalista Keith Mlevhu nasceu em 1950 na cidade de Chingola e foi um dos grandes nomes do movimento "Zam Rock", muito popular no país durante os anos 70, rivalizando com outros grandes guitarristas da época, como Rikki Ililonga e Paul Ngozi. Lançou 5 álbuns na segunda metade da década de 1970, mas interrompeu sua carreira na música logo nos anos 80 e morreu em 1988.
Posto aqui seu segundo e talvez mais conhecido disco, Love and Freedom, gravado no Quênia e lançado originalmente em 1976 nos dois países e em 78 na França, mas ainda sim seus LPs são raridades. O álbum traz 10 curtas faixas de "Zam Rock", com a típica mistura do rock psicodélico/garage, contando com fortes pegadas de guitarra fuzz e ritmos tradicionais da região, em momentos mais acústicos e de percussão. As letras são na língua local e inglês, mas com forte sotaque, falando sobre o dia-dia e problemas sociais do país na época. Ênfase para "Love and Freedom", "I Am Your Warrior" e "Repenting My Sins".
Nada de extraordinário, mas recomendado para fãs do Zamrock e também rock africano no geral.
Link

Pearl coming from Zambia, the multi-instrumentalist and vocalist Keith Mlevhu was born in 1950 in the town of Chingola and was one of the greats "Zam Rock" names during the 70s, when he released 5 albums, but interrupted his career in music in the 80s and soon died in 1988.
Post here your second and perhaps best known album, "Love and Freedom", recorded in Kenya and released in 1976 in both countries and in 78 in France. The album features 10 short "Zam Rock" tracks with typical mix of psychedelic / garage rock, with heavy fuzz guitar and typical rhythms of the region, more acoustic, with acoustic guitar and percussion. The lyrics are in English and the local language, talking about the daily lives and social problems of the country at the time. Emphasis on "Love and Freedom", "I Am Your Warrior" and "Repenting My Sins". Nothing extraordinary, but recommended for fans of Zamrock.

Keith Mlevhu (vocal, guitarra, violão, baixo)
?

01 Love And Freedom 3:27
02 Bwelelenimo Kumushi 2:48
03 I Am Your Warrior 2:44
04 Fwebana Ba Nomba 3:23
05 Repenting My Sins 2:37
06 My Gun 2:46
07 Ubungtungwa 3:59
08 Inkongole Tashawama 3:00
09 I Am Your Star 4:16
10 Adam And Eve 2:23



segunda-feira, 28 de julho de 2014

JAZZ ROCK - IMPI - Same - 1971


Pérola de vida curta vinda da África do Sul, formada em 1971 por ex-membros de pequenos grupos locais de pop/ beat rock nos anos 60. O Impi lançou um único álbum no mesmo ano, realizando alguns poucos shows pela região, mas sem sucesso logo se desfizeram. Apenas em 2012 foi relançado em CD.
O disco homônimo traz 10 curtas faixas que misturam jazz rock, funk e folk. Há presença de vários instrumentos, com destaque para alguns fortes arranjos com metais (trompete, trombone) e clara influência de ritmos africanos com percussão e flauta (tin whistle). As letras são todas em inglês e com bonitas harmonias vocais e vários momentos de coro, como nas faixas "Herd boy", "Piccaninnies" e "Nada". Além dessa músicas, destaque para "Son of a Zulu Man" e "Catch My Love".
Excelente pedida para fãs de jazz/ brass/ afro rock.
Link

Pearl coming from South Africa, formed in 1971. The group Impi released a single album in the same year, performing a few shows in the region, but without success soon disbanded.
The eponymous album features 10 short tracks that mix jazz rock, funk and folk. There is presence of various instruments, especially for some strong arrangements with metals (trumpet, trombone) and clear influence of African rhythms with percussion and flute (tin whistle). The lyrics are all in English with beautiful vocal harmonies and several chorus, as in the tracks. Highlight to "Son of a Zulu Man", "Catch My Love", "Herd boy" and "Piccaninnies". Excellent pearl for fans of jazz / brass / african rock.
More info: eMovie

Paul Ditchfield (vocal, baixo, teclados)
Pete Clifford (vocal, guitarra)
Barry Jarman (vocal, guitarra, trompete, trombone, flauta, tin whistle, concertina)
Eddie Eckstein (vocal, bateria, percussão)
Peter Hubner (trompete, trombone, órgão)
Deni Loren (vocal)
Neville Whitmill (vocal)

01 Son Of A Zulu Man 4:03
02 No One Seems To Notice 4:14
03 Catch My Love 3:46
04 Rifleman 3:03
05 Seven Kinds Of Hell 3:23
06 Deep River 3:19
07 Herd Boy 2:57
08 Piccaninnies 3:23
09 Nada 2:32
10 Sun 5:22




domingo, 27 de julho de 2014

GARAGE/ PSYCH ROCK - VARIOUS - Simla Beat 70 / 71 - 2000 (1970/71)


Pérola obscura e com história muito curiosa vinda da Índia. No início dos anos 70 uma marca de cigarros do país, chamada Simla, lançou um concurso com pequenos grupos de rock da região e os vencedores teriam músicas lançadas no LP Simla Beat, que teve duas edições em 1970 e 71, reunindo 15 grupos de várias cidades. Apenas em 2000 a Shadocks relançou os dois discos em CD duplo e nova capa.
Posto aqui a nova compilação Simla Beat 70 / 71, reunindo os dois LPs originais, divididos em 21 curtas faixas e 15 bandas, todas seguindo a linha do rock de garagem, psicodélico e beat do final dos anos 60, com clara influência do rock americano e britânico da época, evidenciado em covers de CCR, Cream, Electric Flag, The Guess Who e Howlin’ Wolf. No instrumental nada de especial, apenas o clássico e cru trio bateria/baixo/guitarra, com raros momentos de teclado e nenhuma influência de música local, sendo todas as letras em inglês. Para as faixas, destaque em "Voice From the Inner Soul", "Psychedelia", "Sinister Purpose", "Mist" (CD1) e "You Can't Judge a Book", "Until the Dawn" e "Aimless Lady" (CD2).
Apesar de um pouco datado, pérola recomendada para fãs de obscuridades "garageiras" e psicodélicas.
Link

In the early '70s, the India Tobacco Company sponsored an annual "All-India Simla Beat Contest." These events sparked compilations of Indian rock bands, Simla Beat 70 and Simla Beat 71, that have been combined into one package on this double-CD reissue. Very, very little Indian rock from this era has been heard in the West, and the sounds are both surprising and, in some ways, disappointing. Surprising in that it's uncanny how much this sounds like the garage bands that could have been playing in any country, although it actually sounds more like bands from Europe and South America that spoke English as a second language than it does like American or British groups. Surprising, also, in that it sounds much more like 1965-1968 rock than it does like early '70s rock, although that's understandable given that it can take years for Western trends make their impact on the other side of the globe.
Text: AllMusic


Grupo Velvet Fogg no Simla beat de 1971
CD1 (Simla Beat 70):
01 Confusions - Voice From the Inner Soul 3:00
02 Dinosaurs - You Can't Beat It 2:54
03 X'Lents - Psychedelia 2:53
04 Innerlite - Zorba's Dance 3:21
Capa original, com destaque para o cigarro Simla
05 Genuine Spares - Proper Stranger 3:46
06 Genuine Spares - Whats Going On 2:45
07 Dinosaurs - Sinister Purpose 3:09
08 Great Bear - Mist 7:18
09 X'Lents - Born on the Bayou 4:14
10 Innerlite - Baby Baby Please 2:25

CD2 (Simla Beat 71):
01 The Fentons - Simla Beat Theme 3:01
02 Nomads - Nothing Is the Same 5:08
03 Hipnotic Eye - Killing Floor 2:42
04 Mini Beats - Hey Gipsy Girl 3:02
05 Velvette Fogg - I Am So Glad 7:42
06 The Black Beats - The Mod Trade 4:11
07 The Eruptions - I Am Gonna Erupt 3:36
08 The Fentones - Until the Dawn 3:04
09 Brood of Vipers - Psychedelic Web 5:20
10 The Eruptions - You Can't Judge a Book 3:03
11 Hipnotic Eye - Aimless Lady 3:16

Playlist:


sexta-feira, 25 de julho de 2014

FUNK/ RAGA ROCK - ABBAS MEHRPOUYA - Soul Raga / Ghabile-Ye Leili - 2010 (197?)


Pérola vinda do Irã, o músico Abbas Mehrpouya (مهرپویا em persa) nasceu na capital Teerã em 1928 e conseguiu sucesso no país antes da Revolução Islâmica de 1979, quando lançou vários compactos. Após sua morte em 93, várias coletâneas e novas músicas dele estão sendo lançadas, sendo o caso desse compacto que posto aqui. 
O single lançado em 2010 pela Finders Keepers traz as músicas "Soul Raga" e "Ghabile-Ye Leili", ambas sem ano certo de gravação, provavelmente começo dos anos 70, e também os músicos que acompanham Mehrpouya são desconhecidos. A faixa lado A merece destaque, com riff  "surrupiado" de "Hope You're Feeling Better", do Santana, mas trazendo interessante mistura de funk, psicodelia, rock latino e música árabe/ indiana (raga rock), com presença de órgão elétrico, sitar e flauta. A segunda canção também está na linha funk/ psych rock, com guitarra wah-wah e vocal em persa. 
Um verdadeiro caldeirão de estilos, recomendado para fãs de raga/funk/psych rock, uma introdução ao som de Mehrpouya!

Pearl from Iran, the musician Abbas Mehrpouya  (مهرپویا in Persian) was born in the capital Tehran in 1928 and achieved success in the country before 1979, when released several singles. After his death in 93, several compilations and new songs are being released. 
The single I post here was released in 2010 by Finders Keepers and brings the songs "Soul Raga" and "Ghabile-Ye Leili", both without right recording year, probably early 70s, and also the musicians accompanying Mehrpouya are unknown. The track side A is noteworthy with Santana's Hope You're Feeling Better riff, but bringing interesting mix of funk, psychedelia, Latin rock and Arabic / Indian music (raga rock), with the presence of organ electric sitar and flute. The second song is also funk / psych rock with wah-wah guitar and vocals in Persian. Recommended for fans of raga / funk / psych rock, an introduction to the sound of Mehrpouya!

Abbas Mehrpouya (sitar, vocal)
?

01 Soul Raga
02 Ghabile-Ye Leili



quinta-feira, 24 de julho de 2014

HARD/ PSYCH ROCK - SORENG SANTI - Iron Man / Dub Fai Kui Gun - 2010 (197?)


Pérola vinda da Tailândia, o cantor e músico Soreng Santi (também conhecido como Sroeng Santi ou สรวง สันติ, em tailandês) foi um dos grandes nomes do "Luk Thung", estilo popular do país nos anos 70 e um dos pioneiros na mistura do rock ocidental e da música local. Lançou um único LP em 1978 e veio a falecer logo em 1982, apenas recentemente algumas músicas foram redescobertas e finalmente lançadas em alguns compactos 7" pela Finders Keepers.
Posto aqui o primeiro single de 2010, gravado em ano ainda não conhecido, provavelmente segunda metade da década de 70. O lado A é uma versão muito curiosa e única do clássico Iron Man, do Sabbath, seguindo o mesmo riff pesado, mas com letra na língua local, traduzidas diretamente da música original! A segunda canção "Dub Fai Kuigun" também é bastante interessante, rock psicodélico/ ácido, com forte ligação ao som típico da região, contando com xilofone de bambu, percussão e vocal em tailandês, mas guitarra fuzz barulhenta, ao estilo "garageiro" dos anos 60.
Pérola realmente singular, ouçam e tirem suas conclusões.
Link

Pearl from Thailand, singer and musician Soreng Santi (also known as Santi Sroeng or สรวง สันติ in Thai) was popular in the 70s and one of the pioneers in mixture of Western rock and local music. Released an only LP in 1978 and died soon in 1982, only recently some songs were rediscovered and finally released in some 7" singles by Finders Keepers. 
Post here the 2010' single, recorded in an unknown year. Side A is a very curious and unique version of Sabbath's classic "Iron Man", following the same heavy riff, but with lyrics in the local language, translated directly from the original song! The second one "Dub Fai Kuigun" is also quite interesting, psychedelic/ acid rock, with strong region's typical music, like bamboo xylophone, percussion and vocals in Thai, but noisy fuzz guitar, 60s garage style.

Line-Up: Soreng Santi (vocal, guitarra)
?

01 Iron Man 03:31
02 Dub Fai Kuigun 04:05



quarta-feira, 23 de julho de 2014

HARD/ PROG ROCK - GOD BLESS - Same - 1975


Pérola formada em Jacarta, capital da Indonésia, em 1973. O grupo God Bless começou com a dupla Ahmad Albar e Yockie Soeryoprayogo e alcançou forte sucesso no país, chegando a abrir para o Deep Purple na cidade natal em 75, mesmo ano do debut. A banda lançou ainda outros 5 discos nos anos 80 e 90 e ainda está na ativa, sendo o mais recente de 2009.
Posto aqui o primeiro álbum dos caras, homônimo de 1975 e lançado originalmente em cassete. É composto de 8 faixas, todas na língua local (com exceção de dois covers) e fortes influências de rock progressivo (especialmente Genesis e Gentle Giant), mas também hard/ rock psicodélico de grupos britânicos e americanos da época, contando com versões de Beatles e EasyBeats. No instrumental, destaque para guitarra e órgão, se revezando em bons riffs e solos "pesados". Para as faixas, as melhores são "Rock Di Udara", "Sesat" e "Setan Tertawa".
No geral, um pouco inconsistente e comum, mas ainda sim um bom registro para fãs de rock pesado/ clássico e passagens de prog.
Link

Pearl formed in Jakarta, capital of Indonesia, in 1973. The group God Bless achieved success in the country, opening for Deep Purple in 75. The band has released 6 albums and is still active, the most recent of 2009. 
Post here the first album of the guys, self-titled of 1975 and originally released on cassette. It consists of 8 tracks, all in the local language (with the exception of two covers) and strong influences of progressive rock (especially Genesis and Gentle Giant), but also hard / psychedelic rock of British and American groups, with versions of Beatles and the Easybeats. In instrumental, great work of guitar and organ, taking turns in heavy and nice riffs. For tracks, the best are "Rock Di Udara", "Sesat" and "Setan Tertawa". Overall, a bit inconsistent and common, but still a good record for fans of heavy / prog rock.
More Info: ProgArchives

Ahmad Albar (vocal)
Donny Fatah (baixo, vocal)
Ian Antono (guitarra, vocal)
Teddy Sujaya (bateria)
Yockie Soeryoprayogo (órgão, moog, piano)

01 Huma Di Atas Bukit 5:05
02 Rock Di Udara 4:52
03 Sesat 5:35
04 Eleanor Rigby 5:34
05 Gadis Binal 4:08
06 Friday On My Mind 6:40
07 Setan Tertawa 4:21
08 She Passed Away 6:33



segunda-feira, 14 de julho de 2014

PROG/ PSYCH ROCK - ANAK BAYAN - Same - 1977 (1973)


Pérola formada nas Filipinas no começo dos anos 70, na capital Manila. O grupo Anak Bayan contava com os músicos Bing Labrado e Alex Cruz, ambos da lendária banda Juan de la Cruz e baterista Edmond Fortuno, do D'Swooners. O grupo gravou várias músicas em 1973, mas que só foram lançadas em 1977 com número pequeno de cópias pela A & W e acabaram sendo o único registro da banda, se findando pouco tempo depois.
O disco homônimo de 77 traz um som conhecido como "Pinoy Rock", que nada mais é do que o rock feito no país, neste caso com altas doses psicodélicas e progressivas, mostrando influências de grandes grupos da época e alguns traços da música típica de lá. É dividido em 8 faixas, com momentos mais "hardeiros" e energéticos e algumas baladas soft rock ("Habang buhay" e "Laging May Kinabukassan"). Um ponto peculiar são as letras, na língua local (com exceção de "Double Crosser")  No instrumental, destaque para riffs e solos pesados de guitarra e algumas passagens interessantes de sax, flauta e teclado. As letras são todas na língua local (com exceção de "Double Crosser") e o vocal não agrada muito. Quanto as faixas, destaque para "Ang Probinsiyana", "Tayo'y Magasayaw" e a ótima "Bangungot", a la Jethro Tull.
Pérola recomendada para fãs de rock psicodélico, progressivo, hard e também rock de locais não "convencionais".
Link

Anak Bayan was a band formed in the Philippines in the early '70s, with former members of Juan de la Cruz and D'Swooners. Recorded an album in 1973, but were only released in 1977 with a small number of copies by A&W. 
The self-titled album brings "Pinoy Rock", which is rock made in the country, in this case with high doses of psychedelic and progressive rock, showing influences of important groups of the time and some typical music. It's divided into 8 tracks, with some hard and soft moments. In instrumental, great solos and heavy riffs of guitar and some interesting passages sax, flute and keyboard, the lyrics are all in the local language (except for "Double Crosser"). Best tracks: "Ang Probinsiyana", "Tayo'y Magasayaw" and "Bangungot", a la Jethro Tull. Recommended for fans of psych/ prog rock.

Vic Naldo (guitarra, vocal)
Bing Labrador (teclado)
Alex Cruz (saxofone, flauta)
Sonny Tolentino (baixo)
Edmond Fortuno (bateria)

01 Ang Probinsiyana 3:41
02 Tayo'y Magpapawis 3:00
03 Habang Buhay 4:30
04 Tayo'y Magsayaw 3:53
05 Bangungot 3:56
06 Double Crosser 4:12
07 Laging May Kinabukasan 3:46
08 Jeepney Rock 3:00




sábado, 12 de julho de 2014

IRMANDADE DOS BLOGS - Postagem Especial Dia Mundial do Rock: HARD ROCK - SOUTHERN CROSS - Same - 1976



Hoje, Dia Mundial do Rock está sendo feita a primeira postagem da ''Irmandade dos Blogs''. A irmandade dos blogs é uma página criada no Facebook que tem o objetivo de fazer a união de donos de blogs brasileiros e haver uma maior divulgação destes, fazer postagens especiais em conjunto em épocas distintas, além de fazer com que os donos das páginas façam o intercâmbio entre si, se conhecendo, realizando parcerias entre os blogs e amizades.
Abaixo está a lista de blogs que estão participando dessa postagem inicial de estréia, cada qual fazendo a abordagem em cima de um disco ou banda diferente. Visitem!!!

Contramão
A Máquina de Fazer Sonhos
Discos Fundamentais
Krautrock Maniacs
Contramão Brasil
Macrocefalia Musical
World Progressive & Classical Rock
Nas Ondas da Net
Bárbaro do Sul
Metal Truth
Toca do Shark
Som Mutante
Som Valvulado
Armazém do Rock Nacional
Roxx 2 Download
Le Grand Grotsesque Circus
Som Trimado
Por Trás da Vitrola
Blog Neanderthal
Baú do Mairon
Pérolas do Rock'n'Roll

HARD ROCK - SOUTHERN CROSS - Same - 1976


Esta é a contribuição do Pérolas do Rock'n'Roll para a Postagem Especial do Dia Mundial do Rock! O grupo Southern Cross foi formado em 1975 por dois ex-integrantes do Buffalo Alan Milano e John Baxter em Sidney, na Austrália. Lançaram um único álbum em 1976, sem sucesso de vendas o guitarrista Bruce Cumming e o baixista Michel Brouet deixaram a banda em 77 e logo se desfizeram.
O álbum homônimo traz 8 curtas faixas (com exceção de "Games") do clássico "hardão setentista", lembrando em vários momentos o som de grandes nomes como UFO, Bad Company, Nugent e outros sons pesados da época. Riffs cortantes e solos nervosos de guitarra e bateria marcam todas as faixas, apesar de algumas baladas estarem presentes. Destaque para "Money Maker", "What Am I Waiting For?", "Games" e "Stromy Lady",  apesar de ser um disco sólido.
Hard rock simples e direto, pérola recomendada para fãs do estilo nos anos 70!
Link

The group Southern Cross was formed in 1975 by two former members of Buffalo, Alan Milano and John Baxter, in Sydney, Australia. They released one album in 1976, unsuccessfully sales and left of some members in 77 made the group end. 
The self-titled album features 8 short tracks (except for "Games") of the classic Hard/heavy 70s rock, remembering at various moments the sound of greats bands like UFO, Bad Company, Nugent... Cutting riffs and edgy guitar solos mark all tracks, although some ballads are present. Highlight for "Money Maker", "What Am I Waiting For?", "Games" and "Stromy Lady", despite being a solid record.  Direct and straightforward hard rock, recommended gem for fans of the style in the 70s!

Bruce Cumming (guitarra)
Jeff Beacham (bateria)
Michel Brouet (baixo, vocal)
Alan Milano (vocal)

01 Money Maker 04:31
02 You Need It 05:10
03 Jessie 05:12
04 What Am I Waiting For? 05:19
05 Harris Street 04:42
06 Story Teller 05:12
07 Games 08:58
08 Stormy Lady 04:51



sexta-feira, 11 de julho de 2014

JAZZ FUSION - DR. TREE - Same - 1976


Pérola vinda da Nova Zelândia, formada em 1974 na cidade de Auckland. O sexteto Dr. Tree lançou apenas um álbum em 1976, mas mesmo assim tiveram muita importância para a cena local, sendo considerada a primeira banda de jazz fusion do país e conseguindo sucesso por lá. Infelizmente, logo em 1977 o baterista Frank Gibson Jr. se mudou para a Inglaterra e o grupo se desfez, apesar de alguns músicos ainda estarem trabalhando com música.
O disco homônimo é composto de apenas 6 faixas, todas instrumentais e trazendo, como já disse acima, um jazz fusion bastante energético e com pegadas de rock e funk. O cover de "Vulcan Worlds" do Return to Forever mostra a influência na música dos caras, que são instrumental muito bem arranjado em todas as faixas e músicos talentosos, contando com vários solos de bateria, percussão, teclado, piano guitarra e trompete. Quanto as faixas, não acho nenhum momento fraco ou "entediante", mas o destaque principal fica para "Vulcan Worlds", "Transition" e "Eugino D".
Pérola altamente recomendada para fãs de jazz rock/ fusion.

Dr Tree's sole album is one of the hottest fusion albums of the 1970s. That's a pretty bold statement given the multitude of albums in the genre, but for those that know the album, it remains true. A 6 piece, with dual percussion, fiery guitar, Fender Rhodes, bass and.... trumpet. This latter element adds a unique dimension. And while you may be thinking this will put it in the Miles Davis camp, that wouldn't be right either. This isn't the heavy deep groove of Miles (which would have been fantastic as well), but more like the high energy of prime Return to Forever with trumpet as one of the lead instruments. Obviously plenty of room is also left for the guitarist to shred and the keyboardist to fly. The two percussionist's keep the tunes hopping throughout. Considered by fusion fans as a must own. 
Text: Unencumbered Music Review

Frank Gibson Jr (bateria, percussão)
Murray McNabb (teclado)
Martin Winch (guitarra)
Kim Patterson (trompete)
Johnny Banks (percussão)
Bob Jackson (baixo)

01 The Twilight Zone 1:35
02 Vulcan Worlds 6:46
03 Transition 8:06
04 Eugino D 6:10
05 Affirmation 7:29
06 One For Diane 6:14


quinta-feira, 10 de julho de 2014

COUNTRY ROCK - BRIDGE - Same - 1971


Pérola rara vinda do Canadá, o trio Bridge surgiu em 1970 em Toronto, formado por três ex-membros do grupo David, que lançou um único disco em 1969, incluindo os irmãos Francis e John Webster e ainda Tony Lecallion. A banda fez certo sucesso no sul de Ontário e logo em 1971 lançaram seu único álbum, infelizmente o disco não decolou e a banda se acabou no mesmo ano.
O disco homônimo de 71 é dividido em 9 faixas, com som bem diferente do feito pelo David. As principais influências são o country, folk e rock da costa oeste, com leves toques psicodélicos, acid jazz e blues em momentos distintos, mostrando uma mistura interessante e "simpática". Na parte instrumental, um competente e clássico trio bateria/baixo/guitarra é presente, com raras participações de piano. Quanto as faixas, recomendo que ouçam todas, pois tem uma dinâmica e clima diferente, contando com cover de Little Richard ("You're My Girl"), mas com quase 10 minutos e solo de bateria presente.
Pérola recomenda para fãs de country e west coast rock
Link

Rare gem coming from Canada, the trio Bridge emerged in 1970 in Toronto, formed by three former members of the group David. The band had some success in southern Ontario in 1971 and soon released their only album, unfortunately didn't achieve success and the band disbanded in the same year. 
The self-titled album is divided into 9 tracks. The main influences are country, folk and west coast rock, with mild psychedelic, acid jazz and blues touches, showing an interesting and "friendly" mix. In the instrumental part, a competent and classic trio drums / bass / guitar is present, with rare appearances of piano. As for the tracks, I recommend you listen to all, it has a different dynamic and atmosphere. Recommended for fans of country rock
More Info: Plain & Fancy

Francis Webster (guitarra, vocal)
John Webster (baixo, vocal)
Tony Lecallion (bateria)

01 I Had It But I Lost It 2:33
02 It's My Life 3:07
03 Ain't My Day 3:18
04 Simple Blues Form 3:18
05 Running Away 2:28
06 Brand New Day 4:48
07 You're My Girl 9:45
08 Born to the Country 4:12
09 Barnyard 3:56

Playlist:

quarta-feira, 9 de julho de 2014

PROG/ PSYCH ROCK - MAN MADE - Same - 1971


Pérola vinda do Canadá, formada em Montreal no final dos anos 60. O grupo Man Made lançou um único e raro álbum em 1971 e logo caiu na obscuridade, infelizmente quase nada sabe-se hoje sobre os caras.
O disco homônimo traz apenas 6 faixas, com destaque principal para a primeira faixa, também intitulada Man Made, com quase 20 minutos e ocupando todo o lado A do LP, contando com elementos progressivos, psicodélicos e experimentais com ótimas passagens de órgão, sintetizadores, guitarra, flauta e até trompa (nada comum para o rock), sem contar belas harmonias vocais. Quanto as outras músicas, todas são curtas e não muito originais, voltadas mais ao rock psicodélico dos anos 60 e algumas baladas.
Apesar de inconsistente, recomendo esta pérola para fãs de rock progressivo e psicodélico da época.
Link

Pearl coming from Canada, formed in Montreal in the late 60s. The group Man Made has launched a unique and rare album in 1971 and soon fell into obscurity, unfortunately almost nothing is known today about it. 
The self-titled album has only 6 tracks, with main emphasis on the first track, also titled Man Made, with almost 20 minutes and occupying the entire A side of the LP, with progressive, psychedelic and experimental passages with great organ, synth, guitar, flute, horn and beautiful vocal harmonies. As for the other songs, all are short and not very original, geared more to the psychedelic '60s rock and some ballads.  Although inconsistent, I recommend this gem for fans of progressive and psychedelic rock of the era.

Billy Ledster (vocal, piano)
Jean Ranger (órgão, sintetizador, backing vocal)
Richard Terry (baixo, backing vocal)
Claude Roy (bateria)
Roger Walls (trompa)

01 Man Made 19:54
02 Carnival 5:08
03 Reflections 3:00
04 Evolution 3:10
05 Keep on Moving 2:15
06 Country Company 2:30




terça-feira, 8 de julho de 2014

PSYCHEDELIC ROCK - HOT SOUP - Openers - 1969


Atendendo a pedidos, posto aqui essa pérola formada no final dos anos 60 na Flórida, sul dos Estados Unidos, pelo guitarrista Mario Castellano e o organista Willie Akridge, contando com o baixista Frank Carillo, que integrou outras bandas como Carillo e Doc Holliday. O quarteto Hot Soup lançou um único LP e compacto, ambos em 1969 e logo se desfizeram, sem conseguir sucesso.
O álbum Openers é dividido em 12 faixas na casa dos 2 minutos e totalizando pouco mais de meia hora. Traz típico rock'n'roll dos anos 60, com influências claras do rock psicodélico que dominava o som da época, mas também pop/ blue-eyed-soul e ainda alguns "grooves" latinos. No instrumental, alguns solos e riffs pesados de guitarra fuzz barulhenta e órgão Hammond são destaque, apesar do vocal ser o principal no disco. Para as músicas, as melhores são as "hardeiras" "Groovy Feelin", " Ain't No Reason" e "You Took Me by Surprise".
Apesar de intenções mais comerciais e influências pop, que empobrecem o disco, alguns lampejos da psicodelia sessentista não merecem ser desprezadas. Pérola recomendada para fãs de rock psicodélico.
Link

By request, post this pearl formed in the late 60s in Florida, United States, by guitarist Mario Castellano and organist Willie Akridge. Hot Soup released one LP in 1969 and soon crumbled, unable success. 
The album Openers is divided into 12 tracks around 2 minutes and totaling just over half an hour. Brings typical rock'n'roll 60s, with clear influences from psychedelic rock sound that dominated the era, but also pop / blue-eyed-soul and latin groove. In the instrumental solos and riffs of heavy fuzz guitar and organ are highlighted. Great tracks: "Feelin 'Groovy", "Is not No Reason" and "You Took Me by Surprise". Although most commercial intentions and pop influences, some flashes of 60s psychedelia not deserve to be despised. Rcommended for fans of psychedelic rock.

Mario Castellano (guitarra, vocal)
Willie Akridge (órgão)
Frank Carillo (baixo)
Glenn R. Tappan (bateria)

01 Gettin' In My Way Again 00:00 - 02:20 (2:20)
02 Baby's Wearing Blue 02:20 - 4:37 (2:15)
03 He Answered My Prayers 04:37 - 6:58 (2:16)
04 Listen Now 06:58 - 09:04 (2:06)
05 Why Do You Want To Hurt Me 09:04 - 11:45 (2:34)
06 Groovy Feelin 11:45 - 15:03 (3:09)
07 You Took Me By Surprise 15:03:19 - 17:48 (2:41)
08 You Got To Set Me Free 17:48 - 20:03 (2:08)
09 Oh No! Not Again 20:03 - 23:15 (3:02)
10 Once Before 23:15 - 26:07 (2:50)
11 Farewell Sweet Papa 26:07 - 29:33 (3:15)
12 Ain't No Reason 29:33 - 31:56 (2:23)



segunda-feira, 7 de julho de 2014

SOUTHERN ROCK - NAVASOTA - Rootin' - 1972


Pérola vinda do Texas, Estados Unidos, formada na cidade que deu origem ao novo do grupo, Navasota em 1968. Gravaram um único álbum em 1972 em Los Angeles, com participação de Donald Fagen (Steely Dan), Howard Kaylan e Mark Volman (The Turtles).
O disco Rootin' de 72 traz 10 curtas faixas de Southern/ Country rock, no melhor estilo "caipira", com doses de hard e blues e três covers. Riffs marcantes de guitarra, alguns corais e algumas passagens de piano marcam o som dos caras, que apesar de não ser muito original, vale a pena ser ouvido e conhecido por fãs de southern rock. Quanto as faixas, destaque para "Western Boots", "Canyon Ladies", "I'm Leavin'" e "P. Farm".
Pérola recomendada para fãs de country e southern rock americano.
Link

Pearl coming from Texas, United States, formed in 1968. The group Navasota recorded an album in 1972 in LA, featuring Donald Fagen (Steely Dan), Howard Kaylan and Mark Volman (The Turtles). 
The Rootin Rootin' features 10 short tracks of Southern / Country Rock, with doses of hard blues rock and three covers. Striking guitar riffs, some corals and some passages of piano marks the sound, despite not being very original, is worth being heard and known to fans of southern rock. As for the tracks "Western Boots", "Canyon" Ladies, "I'm Leavin '" and "P. Farm" are the best.

Steve Long (guitarra)
Lindsey Minter (bateria)
Paul Minter (baixo)
Ray Pawlik (vocal, guitarra)
Richard 'Dicky' Sony (vocal)

01 Western Boots 2:46
02 $2 Bill 2:19
03 Ballad of a Young Man 3:46
04 That's How It Is 4:17
05 Canyon Ladies 4:01
06 Old Slew Foot 2:56
07 I'm Leavin' 3:28
08 P. Farm 3:42
09 Heat of the Night 3:37
10 Spring Creek 3:25

domingo, 6 de julho de 2014

PSYCHEDELIC ROCK - RENAISSANCE - Same - 1969


Mais uma pérola vinda do México, o grupo Renaissance (não confundam com a banda britânica de mesmo nome) foi formado no final dos anos 60 pelo músico Alfredo Díaz Borja, filho do presidente do país na época. Lançaram um único e raro álbum em 1969, apesar de não ter certeza neste ano, pois outros sites também falam em 1971 ou 72.
O disco homônimo traz apenas 8 faixas, sendo a maioria curtas, misturando rock psicodélico/ ácido do fim dos anos 60, com influências progressivas e ainda pitadas de rock latino e blues, típico do rock mexicano. No instrumental, a guitarra fuzz é arrebatadora, aparecendo em todas as faixas, passagens um pouco mais espaçadas de flauta, percussão e gaita de boca também merecem atenção. Outro ponto para destaque é o vocal de Alfredo, "cavernoso" e gritado, podendo não agradar alguns; as letras são todas em inglês. Melhores faixas: "Listen To Me People", "Strange Dream", "Buried Alive" e "A New Man Is Born In Me".
Ótima pérola para fãs de rock psicodélico latino, recomendado!
Link

Pearl coming from Mexico, the group Renaissance (not the British band) was formed in the late 60s by musician Alfredo Borja Díaz. Released a unique and rare album in 1969. 
The self-titled album has only 8 tracks, mixing psychedelic/ acid rock from the late '60s, with progressive influences and even a touch of Latin rock and blues, typical of Mexican rock. In instrumental, guitar fuzz is ravishing, appearing on all tracks, more spaced passages of flute, percussion and harmonica also deserve attention; the lyrics are all in English. Best tracks: "People Listen To Me," "Strange Dream", "Buried Alive" and "The New Man Is Born In Me". Great gem for fans of latin psychedelic rock, recommended!

Alfredo Diaz Borja (vocal, guitarra)
Rodolfo Valle (guitarra, violão, gaita)
Alfonso Sánchez Mejía (baixo, piano, congas, violão)
Eduardo Barceló (bateria, percussão)
Francisco Bareño (guitarra, flauta)

01 Listen To Me People 3:17
02 Strange Dream 5:08
03 Life/Down In Mexico 7:51
04 Love The One 3:42
05 A Dome Of Love 4:27
06 I'm Dying 3:37
07 Buried Alive 3:13
08 The Gift / A New Man Is Born In Me 12:02

sábado, 5 de julho de 2014

REPOST - PSYCH/ FUNK ROCK - GRUPO OZ - Miss Thing - 2011 (1972)


Atendendo a pedidos, faço um "repost" dessa rara pérola vinda do México, formada no começo da década de 70 na capital Cidade do México por músicos ainda desconhecidos. O Grupo Oz lançou apenas um álbum em 1972, no país de origem e também na Espanha, mas com número pequeno de cópias e fracasso de vendas, fazendo o grupo se desfazer logo no mesmo ano. Posto aqui um relançamento recente, de 2011, pela Secret Stash, incluindo duas faixas bônus.
O disco Miss Thing traz 11 faixas de um interessante "caldeirão" de estilos, passando pelo funk rock, jazz latino, soul e psicodelia, inspirado em grupos americanos da época, como Chicago ou Black Merda. No instrumental, metais e sopro dominam com sax, trompete, flauta, contando ainda com altas doses de guitarra wah-wah e algumas tímidas passagens de órgão. Quanto as faixas, destaque para as instrumentais "Oz Machine", "Fly" e "A New Day", "Blues Woman", apesar de poucos pontos fracos presentes. As letras são em inglês e espanhol, com vocal rasgado.
Excelente pedida para fãs de funk rock psicodélico e jazz latino.
Link

By request, post this rare pearl coming from Mexico, formed in the early 70s in the capital Mexico City. The "Grupo Oz" has released only one album in 1972, with little copies, making the group end in the same year. Post here a recent relaunch, 2011 by Secret Stash, including two bonus tracks. 
The album Miss Thing features 11 tracks of an interesting mixing of styles, from funk rock, latin jazz, soul and psychedelia, inspired by American groups like Chicago or Black Merda. In instrumental, metals and wind instruments dominate with sax, trumpet, flute, still relying on high doses of wah-wah guitar and timid organ. Best tracks: "Oz Machine", "Fly", "A New Day" and "Woman Blues", although few weaknesses moments. The lyrics are in English and Spanish, with torn vocal. Excellent stuff for fans of psychedelic funk rock and Latin jazz.

Line-Up: ?

01 Miss Thing 3:30
02 Sneak 5:48
03 Oz Machine 4:10
04 A New Day 8:26
05 Fly 4:20
06 Robin's Song 3:25
07 A.C.G.Groove 4:14
08 Blues Woman 3:15
09 Black Woman 8:46
Bônus:
10 We Got Work to Do 3:05
11 Crazy Suavecito 6:44



sexta-feira, 4 de julho de 2014

PSYCH FOLK - MATUSKELA - Same - 1973


Pérola brasileira formada em Brasília, o Matuskela surgiu em 1966 e foi um dos primeiros grupos vindos da capital. No começo dos anos 70 conseguiram certo sucesso na região e lançaram um compacto em 72 e logo depois um LP em 1973. Com o enfraquecimento do rock nacional no fim da década de 70 o Matuskela se desfez e caiu no esquecimento.
O álbum homônimo de 73 traz 13 curtas faixas, que combina MPB, música típica das regiões centro-oeste e nordeste, com psicodelia e até alguns toques de progressivo, na maioria do tempo calmo e tranquilo. As letras são todas em português, propiciando alguns belos momentos, como na faixa "Idade de Louco" e "Trapo Humano", no instrumental, destaque para guitarra, distorcida em alguns momentos, teclado, piano e raras passagens de percussão e flauta. Quanto as faixas, destaque para "Canto", "Atrás da Cortina" e "A Morte da Morte".
Apesar de um pouco irregular e com som mais voltado para folk, ainda recomendo esta pérola para fãs do rock nacional
Link

Brazilian pearl formed in Brasilia, Matuskela appeared in 1966. In the early '70s managed some success in the area and launched a single and an LP in 1973. The self-titled album brings 13 short tracks, which combines MPB (typical folk music) with psychedelia and even some progressive touches, most of the time peaceful sound. The lyrics are all in Portuguese, providing some beautiful moments, in the instrumental, great passages of guitar, keyboards, piano, percussion and flute. As for the tracks, especially "Canto", "Atrás da Cortina" and "A Morte da Morte". Still recommend this gem for fans of Brazilian rock.

Anapolino "Lino" (guitarra)
Toninho Terra (vocal)
Didi Moreno (bateria)
Joãozinho
Rodolfo
Machado

01 Idade do Louco 4:02
02 Canto 3:22
03 Uma Sopa de Saudade 4:25
04 A Morte da Morte 3:10
05 Viver Mama 5:05
06 Maria Pureza 3:43
07 Atrás da Cortina 3:02
08 Uma Maneira de Viver 3:23
09 Trapo Humano 3:44
10 Raízes 3:03
11 Cavalgada 2:50
12 A Gente Tem que Ter 2:26
13 Suza Suzana 2:17



quarta-feira, 2 de julho de 2014

PSYCHEDELIC ROCK - EL OPIO - Singles - 1971


Pérola formada em Lima, capital do Peru no final dos anos 60. O grupo El Opio lançou 4 compactos entre 1969 e 71 pelo selo Odión, conseguiram sucesso entre os grupos de rock locais com as canções "Piratas en el Titicaca" e "Una bruja en el Cuzco", mas logo se desfizeram. Posto aqui uma compilação com as oito músicas lançadas pelo quinteto, intitulado simplesmente Singles.
Todas as faixas trazem típico rock psicodélico do final dos anos 60, mas também com influências da música andina/latina e até um pouco de funk (metais e percussão). Guitarras fuzz barulhentas, letras em espanhol e composições vigorosas são destaque, o ponto fraco é a qualidade do som, ruim em alguns momentos. Destaque para "Kashanga", "Pusher" e "Una bruja en el Cuzco".    
Pérola recomendada para fãs de rock latino psicodélico dos anos 60.
Link

Pearl formed in Lima, Peru, in the late '60s. The group El Opio released four singles between 1969 and 71 by Odion, achieved success among local rock groups. Post here a compilation with eight songs released by the quintet, simply titled Singles. All tracks bring typical psychedelic rock of the late '60s, but also influences the Andean / Latin music and even a little funk (brass and percussion). Noisy fuzz guitars, Spanish lyrics and vigorous compositions are highlighted, the weak point is the sound quality, bad at times. Highlight for "Kashanga", "Pusher" and "Una bruja en el Cuzco". Recommended for fans of psychedelic Latin rock '60s.

César Arce (vocal)
Augusto Bravo (guitarra)
Manuel Verastain (baixo)
Erwin Pickling (guitarra)
Sebastian Medina (bateria)

01 Dejame Solo
02 Juntos
03 Kashanga
04 Piratas en el Titicaca
05 Pusher
06 Ella
07 Solo tu
08 Una bruja en el Cuzco



terça-feira, 1 de julho de 2014

LATIN/FOLK ROCK - LOS ELECTRÓNICOS - Tradicion en Transicion - 1971


Pérola vinda da Colômbia, um projeto idealizado por Manuel Drezner em 1971. O grupo Los Electrónicos consistia em alguns músicos já conhecidos no país, como o baixista Marco Giraldo e o baterista italiano Roberto Fiorilli, ambos passaram por pequenos grupos de beat nos anos 60, Siglo Cero e viriam a formar o Columna de Fuego logo após. A iniciativa deixou apenas um raro álbum em 1971, durando muito pouco e com raras apresentações ao vivo.
O disco intitulado Tradicion en Trasicion explica bem a intenção dos caras ao gravar as 12 faixas aqui presentes, trazem uma nova interpretação de canções folclóricas típicas colombianas. Apesar de classificadas simplesmente como folk rock, forte traços da música latina, rock'n'roll, jazz/ funk ou até psicodelia (em "Las Mirlas") são perceptíveis. São todas instrumentais, com predomínio do órgão, contando com algumas boas passagens de guitarra e piano, sendo talvez um dos primeiros trabalhos sul-americanos voltados ao som eletrônico.
Pérola muito interessante, recomendada para fãs de rock ou jazz latino.
Link

Pearl from Colombia, a project formed in 1971. Los Electronics consisted of some well-known musicians in the country, as bassist Marco Giraldo and Italian drummer Roberto Fiorilli. They left only a rare album in 1971, before disbanding 
The album title "Tradicion en Trasicion" (Tradicion in Transition) explains well the intention of the guys to record the 12 tracks presented here, bring a new interpretation of typical Colombian folk songs. Although classified simply as folk rock, strong traces of Latin, rock'n'roll music, and even jazz / funk are noticeable. They are all instrumental, with a predominance of organ, with some good passages of guitar and piano, being perhaps one of the first South Americans turned to the electronic sound works. Very interesting work, recommended for fans of rock and Latin jazz.

Armando Velasquez (órgão)
Francisco Zumaquè (órgão)
Luis Felipe Bastos Como (piano)
Marco Giraldo (baixo)
Jaime Rodriguez (guitarra)
Roberto Fiorilli (bateria, percussão)

01 Guabina Chiquinquireña
02 Bunde Tolimense
03 El Caiman
04 Cuchipe Agachate El Sombrerito
05 Galeron Llanero
06 Antioqueñita
07 Las Mirlas
08 Cachipay
09 El Alegre Pescador
10 Tiplecito de Mi Vida
11 Brisas Del Pamplonita
12 El Trapiche