Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

segunda-feira, 30 de junho de 2014

ROCK - MOONLIGHTS - Same - 1972


Pérola formada em Montevidéu, capital do Uruguai, em meados dos anos 60, liderados pelo guitarrista Gaston "Dino", que passou por vários grupos locais e lançou alguns discos solo. O quarteto Moonlights lançou dois LPs em 1972 e 76 e vários compactos, conseguindo certo sucesso no país.
Posto aqui o debut homônimo de 72, composto de 12 faixas curtas, que misturam rock clássico, com influências de beat/pop rock dos anos 60 e também ritmos latinos, como o Candombe. As letras são todas em espanhol, com alguns bons solos de guitarra e teclado. Destaque para as faixas "Sola por la Calle", "Vamos dulce Muchacha" e "Candombe IV".
Apesar de um pouco atrasado para a data e sem nada muito original, este disco pode ser uma boa audição para quem curte rock latino ou beat rock.
Link

Pearl formed in Montevideo, Uruguay, in the mid-'60s. The quartet Moonlights released two LPs in 1972 and 76 and several singles. Post here the eponymous debut of 72, composed of 12 short tracks that mix classic rock with influences from beat / pop rock of the 60s and also Latin rhythms like candombe. The lyrics are all in Spanish, with some good guitar solos and keyboard. Highlight tracks for "Sola por la Calle", "Let dulce Muchacha" and "Candombe IV". Although a little dated and with nothing very original, this album can be a good listening for those who enjoy Latin rock or beat.

Sergio Iriarte (guitarra, voz)
Gaston Ciarlo “Dino” (guitarra, voz)
Osvaldo Iriarte (baixo, vocal)
Yamandu Perez (bateria)
Jose Luis Musetti (teclado)

01 Muchacho salvaje y actual
02 Pasa la vida
03 Ya vino tu madre a molestarnos
04 No sufras amigo
05 Candombe IV
06 Hay hombres
07 Vamos dulce muchacha
08 Milonga de pelo largo
09 Sola por la calle
10 Credo
11 Algun dia regresara
12 El tiempo aquel

domingo, 29 de junho de 2014

SYMPHONIC PROG - PARTHENON - Mare Tenebris - 2005


Pérola formada na Venezuela em 1979 pelo baterista Juan Carlos Ballesta e o tecladista Robert Santamaria. O grupo Parthenon teve curto período de atividades e não lançou nada nesses poucos anos, se desfazendo logo em 1981 com a saída do baixista Victor Fiol para o Témpano e de Santamaria para o Amarok, já na Espanha. Passados mais de 20 anos, os dois fundadores refizeram a banda, com novos músicos e assim lançaram Mare Tenebris em 2005, na França e México, contando com novas versões para antigas composições do grupo e ainda três músicas bônus gravadas ao vivo em 1980 e 81.
O disco é composto por 8 faixas mais as 3 bônus, sendo várias longas. O estilo sinfônico do rock progressivo domina, contando ainda com influências de jazz rock e prog clássico. No instrumental os teclados de Santamaria se sobressaem, com excelentes performances de Moog, órgão, piano e sintetizadores, por esse motivo o som da banda é frenquentemente comparado com o do ELP; no "background" competentes linhas de baixo e bateria, também ouvimos poucos, mas interessantes momentos de teremim e oboé (ambos pouco utilizados no rock progressivo). Algumas faixas trazem a bela e forte voz feminina de Marta Segura, as letras são em espanhol. Quanto as faixas, destaque para as três partes de "Puentes Destruidos", "Mare Tenebris" e "Conversaciones Entre Diversas Criaturas Del Infierno".
Excelente pedida para fãs de rock progressivo sinfônico, pérola recomendada!

Parthenon was founded in 1979 by drummer Juan Carlos Ballesta and keyboard player Robert Santamaría. After a few line-up changes and a few concerts, member Víctor Fiol joined Témpano. Shortly after, the band disbanded after some unsuccessful reunions. Robert Santamaría formed Amarok later and moved to Spain. After success with Amarok, Robert decided to re-establish Parthenon to make these recordings.
After slowly getting into the music with keyboard driven melodious symphonic rock, the music enfolds quickly the strength in its core. There are jazzrock-like improvisations and inner power, giving strength of playing beyond composition driven music. The female vocals on the third track gives it additionally an emotional improvisational strength. It's splendid, because of its hypnotic keyboards, rhythms and band performance. A very fine release.
Source: Psych Music

More Info & Reviews: ProgArchives

Robert Santamaria (teclados, percussão)
Juan Carlos Ballesta (bateria)
Marta Segura (vocal)
Alan Chehab (baixo)
Pere Vilardell (guitarra)

Convidados:
Victor Estrada (teremim)
Kerstin Kokocinsky (oboé)

Faixas bônus:
Victor Fiol (baixo, vocal)
Nicolas Labropoulos (guitarra)
Laureano Rangel (bateria)
Robert Santamaria (teclados)

01 Mare Tenebris 8:21
02 Utopia 5:09
03 Madre Natura 5:08
04 Puentes Destruidos pt.1 3:34
05 Puentes Destruidos pt.2 5:25
06 Puentes Destruidos pt.3 8:09
07 Luces y Colores 4:27
08 Conversaciones Entre Diversas Criaturas Del Infierno 7:24

Bônus:
09 Utopia 5:34
10 Madre Natura 5:37
11 Conversaciones Entre Diversas Criaturas Del Infierno 7:14



sábado, 28 de junho de 2014

PROGRESSIVE ROCK - LOS BARROCOS - Sin Tiempo Ni Espacio - 1974


Pérola formada na Argentina em 1970, não há muitas informações sobre Los Barrocos. Gravaram um único e raro álbum em 1972, porém só foi lançado em 1974. Após a saída de Héctor Guerrero, o grupo lançou mais um compacto e logo em 76 se desfez, caindo na obscuridade.
O disco Sin Tiempo ni Espacio é composto por 9 faixas, que trazem uma interessante mistura de vários estilo, variando entre rock progressivo (nas músicas "Cuatro Movimentos breves" e "En cualquier siglo") psicodélico, hard rock ("Sin Tiempo Ni Espacio", "Está Próximo el Momento" e "Noches de Sol"), música experimental ("Historia de una confabulación destinada a fracasar") e até alguns toques de música clássica. Destaque para as duas guitarras e o violino, que aparecem muito bem dominando o instrumental. As letras são todas em espanhol, com vários momentos de coro.
Ótimo disco, bastante competente, com alternância entre momentos calmos e outras canções pesadas, com influências de grupos ingleses da época. Ouçam e tirem as conclusões!
Link

Pearl formed in Argentina in 1970, there is not much information about Los Barrocos. Recorded an only and rare album in 1972, but was only released in 1974. The album Sin Tiempo Ni Espacio consists of 9 tracks that pass through the progressive, psychedelic rock, hard, art rock and classical music, with beautiful passages of violin and double guitar. The lyrics are all in Spanish, with several moments of chorus. Pearl recommended!
More Info: Progressor

Agustín Gutiérrez (baixo, vocal)
Alfredo Campanelli (guitarra)
Héctor Guerrero (violino)
José Louis Hernández (bateria, percussão)
Oscar Paulini (guitarra, vocal)

01 Está próximo el momento
02 En cualquier siglo
03 Cuatro movimientos breves
04 Sin tiempo ni espacio
05 Siempre encontraré un lugar
06 Historia de una confabulación destinada a fracasar
07 Como una rueda
08 Noche de sol
09 Tendras en tus manos



sexta-feira, 27 de junho de 2014

HEAVY PSYCH - 50 DE MARZO - Compilado - 1970


Pérola obscura vinda da Bolívia, o grupo 50 de Marzo foi uma banda importante para a cena local, apesar de sua curta duração. Surgiram em 1969 na cidade de Cochabamba, formado por jovens locais e lançaram logo neste ano e em 1970 3 EPs, reunidos nesta recente e não oficial compilação, postado no blog Rock de Altura. Com o golpe de 1971 o quarteto foi para o Estados Unidos, mas sem sucesso logo se desfizeram. Em 1975 2 membros formaram o Estrella de Marzo.
A compilação traz 7 faixas, misturando rock psicodélico, com claras influências de artistas americanos e ingleses, como Hendrix, Cream e Santana e "hardão" típico dos anos 70, com guitarra distorcida, riffs e solos nervosos e bateria barulhenta. As letras são todas em espanhol, com temas hippies e críticas sociais. A qualidade da gravação não é muito boa, com alguns chiados. Destaque para as faixas "Ciceron", "De Montaña Soy" e "Ayer y Hoy",  apesar da linha pesada manter em todas as canções.
No geral, um bom e interessante registro do rock sul-americano dos anos 70. Pérola recomendada para fãs de Heavy Psych!
Link

Obscure pearl coming from Bolivia, the group 50 de Marzo was an important band for the local scene, despite its short duration. Appeared in 1969 in the city of Cochabamba, formed by local youth and soon launched this year and in 1970 3 EPs gathered in this recent and unofficial compilation.
It brings 7 tracks, mixing psychedelic rock, with clear influences of American and British artists like Hendrix, Cream and Santana and typical 70s hard rock, with distorted guitar, heavy riffs and loud drums. The lyrics are all in Spanish with hippies and social criticism lyrics. The recording quality is not very good.  Best tracks "Ciceron", "Soy De Montaña" and "Ayer y Hoy". Overall, a good and interesting record of the South American '70s rock. Recommended for fans of Heavy Psych!


Benjo Gomez (vocal)
German Urquidi (bateria)
Luis Eguino (baixo)
Oscar Astete (guitarra)

01 Ciceron
02 Junto a Mi
03 Padre Sol
04 De Montaña Soy
05 Ayer y Hoy
06 Es Una Mujer
07 Chapare



quinta-feira, 26 de junho de 2014

JAZZ FUSION - MATIAS PIZARRO - Pelo de Rata - 1975


Pérola vinda do Chile, primeiro e único disco solo do pianista Matias Pizarro. Ele é da capital Santiago, onde formou o grupo Fúsion e participou de vários outros projetos. Em 1973 se exilou na Argentina, lá integrou a banda Sol e lançou seu álbum solo, com presença de vários músicos chilenos e argentinos. Hoje mora na França onde ainda trabalha com música.
O álbum Pelo de Rata de 1975 traz 7 faixas, a maioria curtas, de jazz fusion, com influências da música latina ou até mesmo folclórica andina (com uso de instrumentos típicos como quena e charango). O instrumental domina, apesar de algumas partes cantadas em espanhol, com destaque para encantadoras passagens de piano, saxofone, percussão e quena (espécie de flauta), mostrando toda a qualidade dos músicos presentes. Na minha opinião, um disco sem nenhum momento fraco, mas com as longas "Nordeste", "Perro que Ladra No Muerde" e "Secuencia" como principais momentos.
Pérola altamente recomendada para fãs de jazz latino e fusion.
Link

First and only solo album of the Chilean pianist Matias Pizarro, launched in 1975 with the presence of Chilean and Argentinean musicians. "Pelo de Rata" brings 7 jazz fusion tracks, with influences from Latin and Andean folk music. The instrumental dominates, although some parts sung in Spanish, highlighting lovely passages of piano, saxophone, percussion and quena (a kind of flute), showing all the quality of the musicians present. In my opinion, no weak moment, but with long "Nordeste", "Perro that Ladra No Muerde" and "Secuencia" as key moments. Pearl highly recommended for fans of Latin jazz and fusion.

Matias Pizarro (piano, vocal)
Alejandro Rivera (guitarra, charango, quena, vocal)
Hector "finito" Bingert (saxofone)
Pocho Lapouble (bateria)
Bo Gathu (baixo)
Domingo Cura (percussão)
Enrique Roizner (percussão)

01 Pelo De Rata 5:38
02 Anamlor 0:53
03 Perro Que Ladra No Muerde 7:52
04 Una Flor Tras La Montaña 2:56
05 Secuencia 5:34
06 Nordeste 10:26
07 Do y Sol 2:12

quarta-feira, 25 de junho de 2014

FOLK ROCK - MAGGI - Clockworking Cosmic Spirits - 1973


Pérola vinda da Islândia, disco solo do vocalista e tecladista Magnús Kjartansson, aqui com o apelido Maggi e sua banda. "Maggi" passou por vários grupos locais desde os anos 60, com destaque para Trúbrot, Odmenn, Mannakorn e outros. Aqui neste disco também há várias participações de convidados, com destaque para o backing vocal de Sandy Denny e Linda Thompson.
O álbum Clockworking Cosmic Spirits, de 1973, traz 10 faixas curtas, com mistura de vários estilos, passeando pelo folk, rock progressivo, psicodélico e até algumas na linha pop comercial, contendo vários momentos alegres. O piano e teclado de Kjartansson merecem destaque, com algumas boas passagens de guitarra, sax e sintetizador. As letras são todas em inglês, com destaque para as faixas "Pull the Trigger", "Stay with Me", "Pollution" e "The Instruments Must Take Over".
Nada de essencial, mas uma boa pérola para fãs de rock.
Link

First solo album of the Icelandic keyboardist and vocalist Magnús "Maggi" Kjartansson. "Clockworking Cosmic Spirits" brings 10 short tracks that mix pop rock with folk, psychedelic and progressive rock. The piano and keyboard are noteworthy, with some good passages of guitar, sax and synthesizer. The lyrics are all in English, best tracks: "Pull The Trigger", "Stay with Me", "Pollution" and "The Instruments Must Take Over".

Magnús "Maggi" Kjartansson (teclado, vocal)
Vignir Bergman (guitarra)
Magnús "Maggi" Kjartansson
Finnbogi Kjartansson (baixo)
Hrólfur Gunnarsson (bateria)

Convidados:
John Mitchell (sintetizador)
Steve Gregory (saxofone)
Sandy Denny (backing vocal)
Linda Thompson (backing vocal)

01 Helga
02 Clockworkin' Cosmic Spirits
03 Easy Way Out
04 Pull The Trigger
05 My Sweet Little Lady Friend
06 Stay With Me
07 Pollution
08 I Did'nt Know
09 I Know It's True
10 The Instruments Must Take Over

terça-feira, 24 de junho de 2014

HARD ROCK - SLITE CEMENT - Utmaningen - 1977


Pérola extremamente rara e obscura vinda da Suécia! A história do grupo Slite Cement é um certo mistério, surgiram provavelmente na pequena cidade de Slite, da Gotlândia em 1973. Em 1977 gravaram várias músicas em uma rádio local, lançadas em fita cassete de forma independente e com número muito pequeno de cópias, até hoje nunca relançada em vinil ou CD. Sem sucesso a banda provavelmente se acabou alguns anos mais tarde.
E aí está a grande surpresa do quinteto, a "sonzeira" de Utmaningen (em português, Desafio). São 8 faixas matadoras, hard rock clássico dos anos 70 totalmente competente, cheio de solos de guitarra intensos e pesados, baixo pulsante e bateria quebrando tudo, ao estilo dos compatriotas do November! As letras são todas na língua local, dando ainda um toque mais único ao som. Como já disse, todas as canções são recomendas, não tendo nenhuma fraca aqui.
Pérola altamente recomendada para fãs do "hardão setentista".
Link

Rare and obscure pearl coming from Sweden! The group Slite Cement is was formed in the small town of Slite in 1973. In 1977 they recorded some tracks at a local radio station, released on private cassette and with very small number of copies.
Utmaningen bring 8 killer tracks, typical 70s hard rock, full of intense and heavy guitar solos, pulsating bass and loud drums, in the style of November! The lyrics are all in the local language, giving a more unique touch to the sound. As I said, all songs are you recommend, having no weak one here. Highly recommended for fans of the 70s Hard rock.
More Info & Reviews: RYM

Thomas Harlevi (bateria)
Stig Hjellström (baixo)
Björn Jansson (vocal, guitarra)
Anders Åström (guitarra)
Tomas Jönsson (percussão, congas)

01 I morgon kan det va försent
02 Harmonivisan
03 S:t Göran och draken
04 Utmaningen
05 Små, små ord
06 Ensamhet
07 Ormica
08 Orangotango



segunda-feira, 23 de junho de 2014

PROGRESSIVE ROCK - PERSPECTIVA - "Lá Fora" a Cidade (Single) - 1976


Pérola vinda da região de Setúbal, em Portugal no começo dos anos 70. O grupo Perspectiva lançou apenas dois compactos em 1976 e 77, considerados pioneiros do rock progressivo no país. Posto aqui o primeiro, intitulado "La Fora" a Cidade, com esta música no lado A e ainda "Os Homens da Minha Terra" no lado B, ambas focadas no prog tradicional e em momentos sinfônico, com letras em português, retratando o momento social e político de Portugal na época. Ótimos solos de flauta, guitarra e teclado merecem destaque.
Pérola recomendada para fãs de rock progressivo.
Link

Pearl coming from the region of Setubal in Portugal in the early '70s. The group "Perspectiva" released only two singles in 1976 and 77. Post here the first one, titled "Lá Fora" a Cidade with this song on the A side and also "The Men of My Land" on the B side, both focused on the traditional prog and symphonic moments, with lyrics in Portuguese. Great solos flute, guitar and keyboard are noteworthy. Pearl recommended for fans of progressive rock.
Mais Informações: Rock em Portugal

Tó Pinheiro da Silva (guitarra, flauta, vocal)
Carlos Viana (teclado)
José Manuel Pereira (guitarra, vocal)
Luis Miguel (baixo)
Vitor Real (vocals, percussão)
Vitor Ferrão (bateria)

01 "Lá Fora" a Cidade 5:14
02 Os Homens da Minha Terra 3:59




domingo, 22 de junho de 2014

PROG/ ANDALUSIAN ROCK - TARTESSOS - Tiempo Muerto - 1975


Pérola espanhola formada em 1972 em Huelva, na região da Andaluzia. O grupo Tartessos era liderado pelo tecladista Manuel Marinelli, que passou pelas bandas Cerebrum e Gong. Lançaram 5 compactos entre 1973 e 74 e um único LP em 1975, mas sem sucesso o grupo logo se desfez e dois membros em seguida formaram o Alameda.
O álbum Tiempo Muerto traz 11 faixas curtas, combinando rock progressivo com elementos da música Flamenca e folk, no estilo conhecido como Rock Andaluz. As letras são em castelhano e inglês, contando com bons vocais e também instrumental bem arranjado, com passagens de teclado, flauta e guitarra. No geral, um pouco inconsistente, com algumas baladas mais comerciais, mas o destaque fica para as faixas "Tiempo Muerto", "Living for the Moon" e "Cerca del sueño".
Pérola recomendada para fãs de rock andaluz e progressivo.
Link

Pearl coming from Spain formed in 1972 in the Andalusia region. The group Tartessos was led by keyboardist Manuel Marinelli. Released 5 singles and an only LP in 1975, but without success the group soon disbanded and two members then formed Alameda. 
The album Tiempo Muerto brings 11 short tracks, combining progressive rock with elements of folk and Flamenco music, in the style known as Rock Andaluz. The lyrics are in Spanish and English, with good vocals and well arranged instrumental, with passages of keyboard, flute and guitar. Overall, a bit inconsistent, with some more commercial ballads, but the highlight is the tracks "Tiempo Muerto", "Living for the Moon" and "Cerca del sueño". 

Jesús Conde (vocal, percussão)
Manuel Marinelli (vocal, teclado)
José Barros (guitarra, percussão)
José Roca (teclados, flauta)
Eliseo (baixo)
Antonio Moreno (bateria)

01 En algún lugar
02 Tiempo muerto
03 Eres estrella
04 To your eyes
05 Tan lejos como puedo ver
06 That’s right
07 Living for the moon
08 Vuelvo a cantar
09 Cerca del sueño
10 Búscame
11 Canción agradecida


sábado, 21 de junho de 2014

ZEUHL - HONEYELK - Stoyz vi Dozévéloy - 1979


Pérola formada em Toulon, na França, no meio dos anos 70 pelos irmãos Gérard e Christian Blanc, com o nome original de Honey Dream, tocando covers de bandas de prog rock da época, até que os outros membros saíram. Os irmãos tentaram continuar, mudando o nome do grupo para Honeyelk e em 1979 chamaram alguns músicos da região e assim gravaram seu único disco, com apenas 1000 cópias. Infelizmente, sem conseguir sucesso logo se desfizeram. Em 1995 uma nova edição saiu em CD com mais 4 faixas e som mixado, batizado de "En quête d'un Monde meilleur".
Posto aqui o álbum original de 1979, Stoyz vi Dozévéloy, composto de apenas 2 faixas, totalizando 25 minutos. O som traz claras influências do Zeuhl, com passagens de free jazz, fusion e Cantebury e atmosfera obscura e até viajante em certos momentos. No instrumental, destaque para solos de sax e clarinete de Pierre Maury e piano e sintetizador de William Grandordy, com boas linhas de  baixo e alguns vocais em francês.
Apesar de não ser uma grande obra do Zeuhl, pérola recomendada para fãs do estilo.
Link

Pearl formed in Toulon, France, by brothers Gérard and Christian Blanc. The group Honeyelk launched an only and rare album in 1979, titled Stoyz saw Dozévéloy. Brings only 2 tracks less than 30 minutes following the line of Zeuhl (Magma influences), free jazz, avant-garde and Cantebury. Dark atmosphere, with good instrumental passages of sax, clarinet, piano and synthesizer. Although not a Zeuhl masterpiece, recommended gem for fans of the style.
More Info: ProgArchives

William Grandordy (piano, sintetizador)
Christian Blanc (bateria, percussão, vocal)
Gérard Blanc (baixo, vocal)
Pierre Yves Maury (clarinete, saxofone)
Frank Louisolo (guitarra)

01 Stoÿz (Duel à vie) 11:33
02 Do Zé Vé Loy (Terres de sagesse) 14:16




CLASSIC ROCK - HEMLOCK - Same - 1973


Pérola formada em 1973 na Inglaterra, liderada pelo vocalista e músico Miller Anderson (Keef Hartley Band, Dog Soldier, Savoy  Brown e outras) e pelo tecladista e pianista Michael Weaver (Keef Hartley Band,Juicy Lucy e outros). O quinteto Hemlock lançou um único álbum em 1973 e logo se desfez, com curto período de atividades.
O disco homônimo traz um bom rock clássico, com doses moderadas de blues, country e folk rock, na maioria do tempo tranquilo e suave (soft rock). No instrumental, domínio do piano, órgão e guitarra, tocados muito bem, com vários solos e riffs. Destaque para as faixas "Just an old Friend", "Mister Horizontal", "Monopoly" e a country "Garden of Life".
Nada de excepcional, mas um rock'n'roll competente, pérola recomendada.
Link

Pearl formed in 1973 in England, led by vocalist and musician Miller Anderson (Keef Hartley Band, Dog Soldier, Savoy Brown and others) and keyboardist and pianist Michael Weaver (Keef Hartley Band, Juicy Lucy and others). The quintet Hemlock released a single album in 1973 and soon disbanded.
The self-titled album features a good classic rock with moderate doses of blues, country and folk rock, most of the time calm and soft rock. In the instrumental, good passages of piano, organ and guitar, played very well, are really good. Best tracks: "Just an old Friend," "Mister Horizontal", "Monopoly" and "Garden of Life". Nothing exceptional, but a competent rock'n'roll.

Miller Anderson (violão, guitarra, vocal)
Peter Dines (órgão, vocal)
Michael Weaver (piano, piano elétrico, clavinete, congas)
James Leverton (baixo, vocal)
Eric Dillon (bateria, percussão)


Chris Mercer (saxofone)
Pete Willsher (pedal steel)

01 Just An Old Friend 5:41
02 A Lover's Not A Thief 3:26
03 Mister Horizontal 3:21
04 Ship To Nowhere 5:49
05 Monopoly 3:19
06 Broken Dreamer 3:47
07 Fool's Gold 2:38
08 Garden Of Life 3:10
09 Young Man's Prayer 5:34



quinta-feira, 19 de junho de 2014

GARAGE/ BLUES ROCK - NUTS - "The Ups And Downs Of A Nice Little Bugger" & "Lookin' For Cockaigne" - 1986/87



Postagem especial no Pérolas. Atendendo ao contato do próprio Stefano Bardò, posto aqui um grupo desconhecido formado no começo dos anos 80 por jovens da Itália. O Nuts lançou dois álbuns em 1986 e 87 e mais um EP em 1988, se acabando logo neste ano.
Os álbuns The Ups and Downs of a Nice Little Bugger e Lookin' for Cockaign trazem um bom "revival" do rock de garagem, um pouco no estilo alternativo, mas também com altas doses de blues e hard rock. Passagens nervosas de guitarra, gaita de boca, bateria e vocal em inglês marcam o som dos caras.
Infelizmente a banda não conseguiu sucesso, pois aqui estão dois bons discos para fãs de rock'n'roll!

Post here an unknown group formed in the early 80s by young people of Italy. The Nuts released two albums in 1986 and 87 and one EP in 1988, ending soon after this. 
The albums "The Ups and Downs of a Nice Little Bugger" and "Lookin 'for a good Cockaign" bring a nice "revival" of garage rock, a bit on the alternative style, but also with doses of blues and hard rock. Nervous guitar, harmonica and drums passages, with English lyrics mark the sound guys. 
Here are two good pearls for fans of rock'n'roll! Recommended!
More info: Psychedelic Baby

Agostino Morvillo (baixo, vocal)
Paolo Falchi (bateria)
Mario Bucceri (guitarra, vocal)
Stefano Bardò (gaita)

Mauro Avanzini (saxofone)
Lauro Maria Rossi (trombone)

The Ups And Downs Of A Nice Little Bugger (1986):

01 The Ups And Downs Of A Nice Little Bugger
02 Is That You Or Is That I?
03 Little Lady Of Disdain
04 I Just Can Give It All
05 Blackberry
06 Talkin' In The Rain
07 Mutual Understanding
08 Mist
09 What A Hunger!
10 Who Should You Love?

Lookin' For Cockaigne (1987):

01 Somethin' Dancin' In My Veins
02 Lookin' For Cockaigne
03 The Wiz Of Showbiz
04 Wavin' Through The World
05 Absinth Boulevard
06 They Say I've Got No Blues
07 Hey Gyp
08 I'll Have A Few In
09 Imperfect Opera
10 Eleven, Ambush Avenue

quarta-feira, 18 de junho de 2014

PROG ROCK/ FUSION - SUPPLY DEMAND & CURVE - Same - 1976


Pérola formada em 1970 na capital da Irlanda, Dublin, pelo tecladista Joyon Jackson. O quarteto Supply Demand & Curve conseguiu certa popularidade e se apresentou em vários países da Europa, chegando a dividir palco com Thin Lizzy Mellow Candle. Lançaram um único álbum em 1976, com várias participações de outros músicos locais, mas sem sucesso nas vendas logo se desfizeram.
O disco de mesmo nome traz 11 faixas curtas de rock progressivo, com influências de jazz fusion (lembrando em alguns momentos o Gentle Giant) e também música tradicional celta e country. As passagens instrumentais merecem destaque, com bonitos solos de sintetizador, piano, guitarra e ainda alguns instrumentos típicos como Tin Whistle e percussão, apesar de nada muito diferente do prog da época. O ponto fraco são os vocais, dando um tom mais comercial e mediano as canções.
Nada de extraordinário, mas uma boa pedida para fãs de rock progressivo e fusion.
Link

Pearl formed in 1970 in Dublin, Ireland. The group Supply Demand & Curve released a single album in 1976 and soon disbanded. The self-titled brings 11 calm short tracks that combine progressive rock and jazz fusion (reminding a little Gentle Giant) with country and folk rock. Emphasis on instrumental with beautiful passages of keyboards, piano, guitar and drums. The vocals are the weak point, giving a median and comercial tone. Recommended for fans of prog / fusion.
More info: Irish Rock

Jolyon Jackson (piano, sintetizador, vocal, Tin Whistle, órgão)
Greg Boland (guitarra)
Brian Masterson (baixo)
Paul McAteer (bateria, percussão)

01 Changeling 6:14
02 When You're By Yourself 6:20
03 Corea Guidance 3:47
04 To Know To-Night 3:04
05 Samuel 5:25
06 Lunar Sea 2:04
07 November The Third 4:09
08 Ooh Gilbert! 5:03
09 Freckle 3:04
10 Cat On The Keys 4:25
11 Precious Time 4:28



segunda-feira, 16 de junho de 2014

REPOST: PSYCH/ PROG/ KRAUTROCK - VARIOUS - Pop & Blues Festival '70 - 1970


Respost especial no Blog, desse disco lançado pela MCA alemã em 1970. O Pop & Blues Festival '70 traz um show de de Hamburgo que apresenta novos nomes do rock, jazz e também do Krautrock do país na época. Aqui temos 5 bandas, sendo que Frumpy e Tomorrow's Gift foram as que conseguiram maior destaque na cena alemã, o Thrice Mice lançou um só disco em 70 e as grandes pérolas Beatique Corporation e Sphinx Tush só tem essas poucas músicas como registro.
Vários estilos se misturam nas 8 longas faixas, sendo a maioria rock progressivo, jazz fusion, krautrock e jams experimentais viajantes e psicodélicos (principalmente nas faixas do Thrice Mice e Frumpy), contando até o heavy psych insanos de "Crashville", do Sphinx Tush. Instrumental dominante, com passagens longas de saxofone, órgão, guitarra, Bateria são o grande destaque, alguns vocais são femininos e outros masculinos.
Pérola recomendada para fãs de rock progressivo, jazz, krautrock e sons ao vivo dos anos 70.
Link

This album was released by German MCA in 1970. The Pop & Blues Festival '70 brings a show in Hamburg. Here we listen 5 bands, with Frumpy and Tomorrow's Gift were those achieved greater prominence in the German scene, Thrice Mice released one album in 70 and obscure Beatique Corporation and Sphinx Tush. 
Various styles mixed into 8 long tracks, most progressive rock, jazz fusion, krautrock and experimental jams (especially in the Thrice Mice and Frumpy tracks), with insane heavy psych of "Crashville", Sphinx Tush. Instrumental with long passages of sax, organ, guitar, drums are the highlight, some vocals are female and other male. Recommended for fans of progressive rock, jazz, krautrock and live sounds of the 70s.
More Info: Solidoy Music

01 Frumpy - Duty 7:35
02 Thrice Mice - Vivaldi's Revival 7:12
03 Beatique Corporation - Going Straight 3:41
04 Tomorrow's Gift - Sound Of Which 19:58
05 Frumpy - Floating 12:14
06 Beatique Corporation - Things We Said 5:21
07 Sphinx Tush - Crashville 4:40
08 Beatique Corporation - Sunwave 15:15





sábado, 14 de junho de 2014

HARD ROCK - JUMBO - UFO / Wring That Neck - 1969


Pérola formada em Oslo, capital da Noruega, no final dos anos 60 por ex-membros das bandas locais Taboo, Beatnicks. O quarteto Jumbo (não confundam com a banda italiana de mesmo nome) lançou apenas 2 singles nos anos de 68 e 69, se desfazendo logo em 1970. Teve na formação dois importantes músicos do rock norueguês dos anos 70, os guitarristas Svein Finjarn e Freddy Lindquist.  
Posto aqui o segundo e derradeiro compacto dos caras, lançado em 1969. Traz 2 faixas de hard rock, "UFO" e "Wring That Neck", esta última cover do Deep Purple (mostrando as principais influências dos caras). Guitarras pesadas e barulhentas, com bons riffs e solos e bateria "quebrando tudo" merecem destaque, a primeira música é cantada em inglês. Infelizmente nunca tiveram a oportunidade de lançar um LP, aqui a banda mostra sua qualidade com ótimas faixas. Pérola recomendada para fãs de hard rock!  
Link

Pearl formed in Oslo, capital of Norway, in the late '60s. The quartet Jumbo (not the Italian) has only released 2 singles in the years 68 and 69, disbanding soon after. Post here the second and last of the one. Brings two hard rock tracks, "UFO" and "Wring That Neck" (Deep Purple's cover). Heavy and loud guitars and drums, with good riffs and solos worth mentioning. The band shows its quality with great tracks. Pearl recommended for hard rock fans!

Svein Finjarn (guitarra, vocal)
Leif Jensen (bateria)
Freddy Lindquist (guitarra)
Tore Syvertsen (baixo)

01 UFO 4:35
02 Wring That Neck 4:37



sexta-feira, 13 de junho de 2014

JAZZ FUSION - NORDVISION - Same - 1975


Pérola vinda de Malmö, na Suécia. O grupo Nordvision foi formado no começo dos anos 70 por ex-membros de outra banda sueca, o Storm. O quarteto lançou um único e raro álbum em 1975 e se desfez logo depois, desaparecendo do mapa!
O homônimo traz 11 curtas faixas, versões modernas de canções típicas da região, passeando pelo jazz fusion e folk progressivo, na maioria do tempo acústico e tranquilo. No instrumental, bonitos arranjos de violões, percussão e ainda algumas passagens de xilofone e vibrafone dominam, as poucas letras são na língua local.
Bonito álbum, pérola recomendada para fãs de jazz fusion e folk/prog.
Link

Pearl formed in Sweden in early '70s, the group Nordvision released an only and rare album in 1975 and disbanded soon after this. 
The self-titled album brings 11 short tracks, modern versions of traditional songs of the region, strolling through jazz fusion and progressive folk, mostly acoustic and quiet. In instrumental, beautiful arrangements of acoustic guitar, percussion and even some passages of xylophone and vibraphone dominate, with few lyrics in local language. Beautiful album, recommended for fans of jazz fusion and folk/prog.

Christer Karlberg (guitarra, violão)
Mikael Neumann (violão 12-cordas, gaita, vocal)
Peter Winberg (bateria, percussão, vibrafone, xilofone)
Mads Vinding (baixo)

01 Å Inte Ska Jag Sörja 4:03
02 Moðir Mini Kvi Kvi 3:25
03 Nuori Neito 5:34
04 Den Bakvendte Visa 3:57
05 Roselill Og Hendes Moder 3:14
06 Gatandi Kem Ég Nú, Guð Minn, Til Pin 1:57
07 På Sjölunds Fagre Sletter 3:42
08 I Min Ungdom Det Gladde Mig Att Sjunga 4:23
09 Hör Du Sparver Lilla 5:45
10 Virran Reunalla 2:22
11 Jag Lagde Mig Saa Silde 4:24

quinta-feira, 12 de junho de 2014

HARD PROG - SESSION - Unikuva - 1974



Pérola formada em Kouvola, no sul da Finlândia, no começo dos anos 70. O grupo Session lançou um único e raro LP, com duas edições de capas totalmente diferentes (olhem acima), relançado em CD recentemente. Sem conseguir sucesso o grupo teve várias mudanças na formação e se desfez.
O disco Unikuva traz 8 faixas de rock progressivo, provavelmente influenciado por grandes bandas do país, como Haikara, Wigwam e outras, mas ainda sim longe do estilo sinfônico e mais próximo do rock clássico ou hard. As letras são todas na letra local, com bonitos vocais femininos e masculinos, tornando esse som bem único, no instrumental, destaque para solos matadores de órgão, metais e sopro (principalmente saxofone) e guitarra.
No geral, um álbum consistente, com vários ótimos momentos. Pérola recomendada para fãs de hard rock progressivo.
Link

Pearl formed in Kouvola, southern Finland, in the early '70s. The group Session released a single and rare LP, with two different versions ands covers. The band has had several lineup changes and disbanded soon.  
The album Unikuva features 8 tracks progressive rock, probably influenced by Haikara, Wigwam and others, but still far from symphonic style and closer to the classic or hard rock. The lyrics are all in the local letter, with beautiful female and male vocals. Instrumentally, highlighting organ solos, saxophone, metals and guitar. Overall, a consistent album, with great moments. Pearl recommended for fans of progressive hard rock.
More Info & Reviews: Unencumbered Music

Jorma Seppälä (vocal, guitarra)
Timo Heikkilä (guitarra)
Hannu Kaikko (baixo)
Juha Tykkälä (bateria, vocal)
Osmo Seppälä (teclados)

01 Unikuva 7:19
02 Sunny Blue 4:12
03 Jäätelöprinsessa 3:37
04 Tahdon olla kanssasi 2:43
05 Torstin tanssi 3:06
06 Persialaisella torilla 6:34
07 Syksy 4:32
08 Serenadi huomiselle 2:57



quarta-feira, 11 de junho de 2014

PROG/ PSYCH ROCK - MARKHEIM - Same - 1991 (1972)


Pérola de vida curta formada na Suíça em 1972, na região de Ticino (Suíça Italiana). O quarteto Markheim gravou algumas músicas nesse mesmo ano na Itália, mas as demos não foram lançadas na época. A banda se desfez no fim de 72 por falta de recursos, apenas em 1991 essas antigas gravações foram remasterizadas e finalmente lançadas, forma independente e em vinil de apenas 200 cópias!
O homônimo é dividido em 10 faixas curtas e com qualidade não muito boa. Trazendo uma interessante mistura de rock progressivo, psicodélico, folk e alguns momentos de hard (como na música de abertura "Dirty Woman"). Todas as canções são cantadas em inglês e contam com belas passagens de piano e alguns riffs mais pesados na guitarra. Quanto as faixas, destaque para "Dirty Woman", "Long Way to Go" e "Anniversary".
Nada de matador ou novo, mas som recomendado para fãs de rock anos 70.
Link

Pearl formed in Switzerland in 1972, in the region of Ticino. The quartet Markheim recorded some songs that year in Italy, but the demos were not released at the time. The band disbanded in late 72 and only in 1991 these recordings were remastered and released, with only 200 copies! 
The self-titled album is divided into 10 short tracks, with not very good quality. Bringing an interesting mix of progressive, psychedelic, folk rock and some hard rock moments ("Dirty Woman"). All songs are sung in English and have beautiful passages of piano and some heavier riffs on guitar. As for the tracks, especially "Dirty Woman", "Long Way to Go" and "Anniversary". Nothing killer or really new, but still recommended for fans of 70s rock.

Andreas "Brian" Wyden (baixo)
Trevor Thoms (guitarra)
Enzo "Heinz" Geninazza (bateria, percussão)
Phillip Reeves (piano)

01 Dirty Woman 2:44
02 Birdman 2:58
03 Lonely Traveller 3:20
04 Long Way To Go 3:39
05 Gold Dust In Your Eyes 2:42
06 Boering 2:05
07 Anniversary 3:30
08 No Tytle (Stale Bread And Water) 4:35
09 Whore House 3:42
10 New Day 2:36



terça-feira, 10 de junho de 2014

KRAUT/ JAM ROCK - ELLUFFANT - Release Concert - 1972


Mais uma obscura pérola vinda da Holanda, o Elluffant foi uma dupla formada em Roterdã no começo dos anos 70, por Cees de Visser, na bateria e percussão e Ernst Kersting, no órgão e teclados. Deixaram apenas um raro álbum em 1972, gravado ao vivo de forma independente e com apenas 150 cópias, vendidas por uma instituição local.
O disco Release Concert traz apenas 2 longas faixas instrumentais, ambas na casa dos 16 minutos, seguindo a linha experimental, influenciada pelo som alemão do Krautrock e também rock psicodélico e progressivo. Os jams trazem um som viajante e até sombrio em alguns momentos, com longos solos de órgão e bateria se alternando e uso de vários pedais e distorções.
Pérola recomendada pra quem curte obscuridades do rock, sons experimentais e krautrock.
Link

Pearl from the Netherlands, the duo Elluffant was formed in Rotterdam in the early '70s. Released only a rare album in 1972, recorded live and with only 150 copies, sold by a local institution. 
The album Release Concert features only 2 long instrumental tracks, following the experimental rock music, influenced by the German Krautrock sound and also psychedelic and prog rock. The jams bring a stoned and even dark sound at times, with long organ solos and drums alternating, with using multiple pedals and distortion. Recommended for those who enjoy obscurities, krautrock and experimental sounds.
More Info & Reviews: Tyme Machine

Cees De Visser (bateria, percussão)
Ernst Kersting (órgão, teclado)

01 Ubiquinon 16:05
02 Ouabaïne 16:49

segunda-feira, 9 de junho de 2014

PSYCHEDELIC ROCK - LES GOSSES - Same - 1971


Pérola obscura formada em Roermond, na Holanda, ainda no começo dos anos 60, o grupo Les Gosses lançou um compacto e um único álbum em 1971, este último lançado de forma independente e com apenas 270 cópias, até hoje não relançado e valendo um bom dinheiro entre colecionadores.
O disco homônimo traz 11 faixas curtas que misturam rock psicodélico típico do final da década de 60, com pitadas de progressivo, hard e também algumas baladas. Os covers presentes mostram as influências dos caras, como "Thunderback Ram", do Mott the Hoople, "What Is And What Should Never Be", do Led Zeppelin e "Your Own Choice", do Procol Harum. No instrumental, destaque para o órgão, piano e guitarra, as letras são em inglês e com alguns momentos de coro.
Nada de extraordinário, mas uma boa raridade para fãs de rock psicodélico dos anos 60.
Link

Obscure pearl formed in Roermond, Netherlands, still in the early '60s. The group Les Gosses released a rare and single album in 1971, with only 270 copies. The self-titled album features 11 short tracks that mix typical psychedelic rock of the late 60s, with touches of prog, hard and also some ballads. The covers show the influences of guys like "Thunderback Ram" by Mott the Hoople, "What Is And What Should Never Be" by Led Zeppelin and "Your Own Choice" by Procol Harum. In instrumental, great passages of organ, piano and guitar, the lyrics are in English and with some moments of chorus. Nothing extraordinary, but a good rarity for fans of '60s psychedelic rock.

Frits Nijsen (vocal, guitarra)
Hans Heijnen (baixo)
René van de Hurk (piano, órgão)
Frits van Ooteghem (bateria, percussão)

01 What Is And What Should Never Be
02 It's A Beautiful Day
03 Dies Irea
04 Mon Reve
05 Shoot
06 Your Own Choice
07 Times We Were Young
08 Strange to Die
09 Thunderback Ram
10 Was It You
11 In My Place



domingo, 8 de junho de 2014

PROGRESSIVE ROCK - IRON DUKE - First Salvo - 1974


Pérola formada na Dinamarca, no começo dos anos 70. O quarteto Iron Duke lançou dois álbuns, em 1974 e 77, ambos raros e até hoje não relançados. Não há muita informação disponível sobre o grupo.
Posto aqui o debut, First Salvo, de 74. É composto por 7 faixas de rock progressivo sinfônico, com composições baseadas em obras de Georg Friedrich Händel e Edvard Grieg. No instrumental, domínio dos teclados (Moog, piano e órgão Hammond) mostrando influências de bandas como ELP e Ekseption, com longos solos, a guitarra e flauta aparecem bem em alguns momentos. Apesar de majoritariamente instrumental, algumas músicas são cantadas em inglês. Quanto as faixas, destaque para "Iron Duke", "Beast of Prey" e a suíte "Rockin' Edward".
Pérola recomendada para fãs de rock progressivo e teclados.
Link

Pearl formed in Denmark in the early '70s.  The quartet Iron Duke released two albums in 1974 and 77, both rare and not reissued until now. There is not much information available about the group. 
Post here the debut, "First Salvo". Is composed of 7 symphonic progressive rock tracks, based on Georg Friedrich Händel and Edvard Grieg compositions. The instrumental is full of keyboards (Moog, piano and Hammond organ) showing influences of bands like ELP and Ekseption, guitar and flute appear well at times. Best tracks: "Iron Duke", "Beast of Prey" and the suite "Rockin 'Edward'. Recommended for fans of progressive rock and keyboards.

Hans Resen (baixo, vocal, flauta, violão)
Jens Olesen (piano, órgão, Moog)
Tommy Hansen (guitarra, vocal)
Claus Sarup (bateria)

01 Happy Band 2:49
02 Iron Duke 7:56
03 The Blacksmith & The Baker 3:35
04 Beast Of Prey 7:29
05 See The Conqu'ring Hero Comes 3:11
06 Psalm 2:46
07 Rockin' Edward 15:06



sexta-feira, 6 de junho de 2014

PSYCH/ FOLK ROCK - GINO PERTOT - Jew Nails - 1976


Gino Pertot é um cantor e compositor de Viena, capital da Áustria. Ele participou de alguns projetos e bandas locais, mas lançou um único e raro álbum solo em 1976, originalmente lançado com apenas 200 cópias, talvez um dos mais raros que já saíram do país, foi relançado somente em 2010.
O álbum Jew Nails traz 12 curtas faixas, mesclando calmas e acústicas passagens de folk, com percussão, congas e violão e outros momentos ácidos/ psicodélicos obscuros, com letras sobre cosmos e presença de teclados e saxofone. No geral, bonitos arranjos e vocal agradável de Pertot, com letras em inglês marcam as faixas. Destaque para "Poem to Vienna", "Pain in The Ass G.maj", "Lady Veronica" e "Reeny, oh reeny", apesar de todas seguirem a mesma linha.
Pérola recomendada só para fãs de folk rock acústico e influências psicodélicas.
Link

Gino Pertot is a singer and composer born in Vienna, Austria. He participated in some projects and local bands, but launched a unique and rare solo album in 1976, originally released with only 200 copies.
The album "Jew Nails" features 12 short tracks, mixing calm and acoustic folk passages with percussion, congas and acoustic guitar and other obscure acid/psychedelic moments, with presence of keyboards and saxophone. Overall, beautiful arrangements and pleasant vocals, with English lyrics, mark the tracks. Emphasis on "Poem to Vienna", "Pain in The Ass G.maj", "Lady Veronica" and "Reeny, oh Reeny". Only recommended for fans of acoustic folk rock and psychedelic influences.
More info: PsychFolk

Gino Pertot (vocal, guitarra)
Bobby Sommer (saxofone)
Jano Stojka (congas, percussão)
Peter Janda (teclados, piano)
Gustl Klein (guitarra)

01 Anita, the Saggitarius 03:58
02 Unthrutful Yes 03:50
03 What Kind of Human 05:34
04 Poem to Vienna 05:16
05 Lady Veronica 06:04
06 Johnnie Preston 02:56
07 Pain in The Ass G.maj 06:36
08 Dorothy 02:15
09 Join the Bahamas 03:27
10 About Me 03:22
11 Reeny, oh reeny 04:56
12 Nick Drake 04:21



quinta-feira, 5 de junho de 2014

HARD/BLUES ROCK - VAVOURA BAND - Live - The Early Days - 2003 (1977-81)


Pérola vinda da Grécia, o Vavoura Band (ou Banda do Barulho) foi formado em 1976 originalmente como trio em Atenas, e lançou apenas um EP em 1980 na época. A banda acabou no anos 80 com a saída do baixista, vocalista e líder Johnny "Vavouras". No começo dos anos 2000, dois CDs dos caras saíram, incluindo registros ao vivo em vários shows pela Grécia entre 1977 e 81, que posto aqui.
O disco Live - The Early Days conta com 12 faixas, sendo 3 bônus, trazendo um bom hard rock, com altas doses de blues e também rock psicodélico! Como são músicas ao vivo, longas passagens instrumentais rolam soltas, com riffs e solos pesados na guitarra, acompanhados por boas linhas de baixo e bateria. As letras são todas em inglês. Destaque para as faixas "UFO", "Park House Blues", as duas partes de "Alcatraz" e a sabática "The Curse".
Recomendado para fãs de hard blues rock psicodélico.
Link

Pearl coming from Greece, the Vavoura Band was formed in 1976 originally as a trio in Athens, and has only released an EP in 1980 at the time. In early 2000, two CDs of the guys came out, including live recordings at several shows in Greece between 1977 and 81, that I post here. 
The album Live - The Early Days features 12 tracks, with 3 bonus, bringing a good hard rock with high doses of blues and psychedelic rock! Long instrumental passages are present, with heavy riffs and solos of guitar, accompanied by good bass lines and drums. The lyrics are all in English. Best tracks: "UFO", "Park House Blues", "Alcatraz" and "The Curse". Recommend for fans of hard/blues/psych rock!

Johnny Vavouras (baixo, vocal)
Yiannis Drolapas (guitarra)
Vangelis Vekios (bateria)
Thanos Papapostolou (bateria)

01 UFO 08:52
02 The Curse 04:49
03 Love Strucken’ Man 03:40
04 Miroloi 02:30
05 Alcatraz 06:14
06 Park House Blues 06:30
07 Taximi 01:49
08 The Dance Of Aphrodite 02:11
09 17 03:24
10 (I Ain’t The) Junkie 04:36
11 Memories 04:13
12 Alcatrazz II 08:19

terça-feira, 3 de junho de 2014

CLASSIC ROCK - DRAGO MLINAREC - Pjesme s planine - 1972


Drago Mlinarec é um guitarrista e vocalista nascido em Zagreb, atual capital da Croácia. Foi pioneiro no rock do leste europeu, com o Grupa 220, formado ainda nos anos 60. Lançou seu primeiro álbum solo em 1971 e outros vários nos anos 70 e 80, ainda hoje Drago se apresenta ao vivo e colabora em alguns projetos.
Posto aqui seu segundo trabalho, Pjesme s planine (em português, Músicas da Montanha), de 1972. O disco é composto de 7 faixas, trazendo um bom rock clássico, direto e comum da época, mas não fraco ou genérico. Além de boas passagens de guitarra, órgão Hammond, gaita de boca e letras em croata, as duas longas e ótimas faixas "Pjesme s planine" e "Dijete zvijezda" merecem destaque, com influências psicodélicas e de hard rock e direito à longos momentos instrumentais.
Pérola recomendada para fãs de rock'n'roll anos 70!
Link

Drago Mlinarec is a guitarist and vocalist born in Zagreb, current capital of Croatia. He was a member of Grupa 220 in the 60s and from 70s until today is in solo career. Post here his second album, Pjesme s planine (Song from the Mountain), 1972. The disc consists of 7 tracks, bringing a good, direct classic rock. Besides good passages of guitar, Hammond organ, harmonica and lyrics in Croatian, the two long tracks "Pjesme s planine" and "Dijete Zvijezda" are noteworthy, with psychedelic and hard rock influences and with long instrumental moments. Recommended for fans of '70s rock'n'roll!

Drago Mlinarec (vocal, violão, gaita)
Nenad Zubak (baixo)
Srećko Zubak (piano, órgão Hammond)
Jadranko Budić (guitarra, backing vocal)
Ivan Stančić (bateria)

01 Nocna ptica 3:30
02 Pjesma o njenim snovima 3:41
03 Trebao sam ali nisam 2:48
04 Pjesme s planine 9:37
05 Skladište tišine 4:37
06 Otac i sin 3:59
07 Dijete zvijezda 12:03



domingo, 1 de junho de 2014

PROG ROCK - PAVOL HAMMEL & MARIÁN VARGA - Zelená pošta - 1972


Projeto formado no começo dos anos 70 em Bratislava, atual capital da Eslováquia e na época Tchecoslováquia. O álbum Zelená Pošta, de 1972, foi gravado por um verdade "supergrupo" do rock da região, contando com Pavol Hammel, Marián Varga, Dušan Hájek e Fedor Frešo, todos ex-membros da banda Prúdy. Além disso, estes músicos participaram de outros importantes grupos locais como Collegium Musicum, Fermáta, Blue Effect e Matadors (do guitarrista Radim Hládik) e outros discos solo.
O trabalho traz 10 faixas que combinam o rock progressivo tradicional com passagens sinfônicas e jazz fusion, o trabalho incrível no órgão e teclados de Marián domina o instrumental, lembrando em vários momentos o som do próprio Collegium. Infelizmente, as letras são na língua local e dificultam o entendimento das músicas, mas dão um diferencial ao álbum. Quanto as faixas, os destaque ficam com "Tenis", "Smutná ranná električka" (com um ótimo solo de guitarra), "Cesty bláznov" e "Zelená pošta", apesar de ser um trabalho sólido.
Pérola recomendada para fãs de rock progressivo e rock da antiga "cortina de ferro".
Link

Project formed in the early '70s in Bratislava, current capital of Slovakia. The album Zelena Pošta, 1972, was recorded by a true "supergroup" of the Czechoslovakia rock, with former members of the band Prudy, Collegium Musicum, Fermáta , Blue Effect and Matadors (guitarist Radim Hladik).
The album presents 10 tracks that combine traditional progressive rock with symphonic and jazz fusion passages, the incredible work in organ and keyboards dominates the instrumental, remembering the sound of Collegium Musicum. The lyrics are in the local language give a differential to the album. Best tracks: "Tenis" , "Smutna Ranna električka" and "Zelena pošta", despite being a solid job. Recommended for fans of prog/symphonic rock. 
More info & Reviews: ProgArchives

Pavol Hammel (guitarra, vocal)
Marián Varga (órgão, piano, sintetizador)
Fedor Frešo (baixo, vocal)
Dušan Hájek (bateria)
Marián Varga
Rastislav Vacho (guitarra)
Radim Hládik (violão, guitarra)

01 Domáca úloha 1:12
02 Z ďatelín 3:30
03 Tenis 4:38
04 Smutná ranná električka 5:25
05 Krajina bielych dievčat 6:48
06 Páví ples 6:10
07 Cesty bláznov 3:36
08 Nechtiac 1:46
09 Slnečnice 3:25
10 Pošta 7:05

Pavol Hammel