Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

BLUES ROCK - UDACHNOE PRIOBRETENIE (Удачное Приобретение) - Live ’1974 - 2000


Pérola raríssima vinda da antiga Rússia Socialista. O grupo Udachnoe Priobretenie (em russo Удачное Приобретение) foi uma das pouquíssimas bandas de blues rock que surgiram na região durante aquela época. O grupo foi formado em 1968 na capital Moscou e durou até 1981, tendo apenas deixado uma gravação de um show em 1974, lançado somente em 2000. De 1992 pra cá a banda aparece em pequenos shows pelas Rússia, com poucos membros da época setentista.  
O disco Live 1974 traz 10 faixas de puro blues rock, "cru" e com alguns traços de hard rock psicodélico. Todas as músicas são cantadas em inglês (coisa rara na antiga URSS, já que era proibido pelo governo), sendo quase todas covers de bandas como Rolling Stones, Chuck Berry, Jimi Hendrix e outros sons do blues negro americano. Destaque para ótimos riffs e solos de guitarra e também gaita de boca, que aparece em vários momentos e para as faixas "I've Got the Blues", "Someday Baby" e "Room full of mirrors", apesar de todas trazerem um competente blues rock.
Pérola altamente recomendada para fãs de blues rock.

Rare pearl of Socialist Russia. The group Udachnoe Priobretenie (Удачное Приобретение) was one of very few blues rock bands that emerged in the region during that time . The group was formed in 1968 in the capital Moscow and lasted until 1981, leaving a recording of a show in 1974, released only after the end of the socialist regime.
The album Live 1974 features 10 tracks of pure blues rock , "raw" and with some traces of heavy psychedelic rock. All songs are sung in English, witch almost all are covers of bands like the Rolling Stones, Chuck Berry, Jimi Hendrix and other black American blues. Great riffs and electric guitar solos and also harmonica. Best tracks: "I've Got the Blues", "Someday Baby" and "Room full of mirrors". Highly recommended for fans of blues rock 

Alexander Mikoyan (guitarra, gaita)
Alexey "White" Belov (guitarra, vocal)
Vladimir Matetsky (baixo)
Michael "Petrovich" Sokolov (bateria)

01 Talk With You - 2:28
02 Great Balls Of Fire - 2:32
03 I've Got The Blues - 7:36
04 Someday - 2:41
05 Sweet Little Rock-n-Roller - 1:39
06 You've Got Me Flying - 3:00
07 The Fish/The Blues - 5:15
08 Under Assistance West Cost Promotion Man - 1:57
09 Room Full Of Mirrors - 5:58
10 Someday Baby - 6:27

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

SYMPHONIC PROG/ FOLK - PESNYARY (Песняры) - Gusliar (Гусляр) - 1979


Pérola criada em 1967 na antiga Bielorrúsia Socialista, o grupo Pernyary (em russo Песняры) ficou conhecido na região por readaptar composições clássicas do país em versões de rock e pop. Lançaram vários álbuns durante a década de 70 e 80, diminuindo o ritmo de shows e discos até 2003, quando a banda foi desfeita com a morte do guitarrista e líder Vladimir Mulyavin.
Posto aqui o 5º álbum da banda, Gusliar (em russo Гусляр), de 1979 e um dos melhores dos caras, com um som mais maduro e bem trabalhado em relação aos anteriores. Quando foi lançado originalmente em 79 era dividido em 2 longas canções, mas eu posto um relançamento de 2000, que contêm apenas uma faixa, "Gusliar", de 36 minutos, baseado em um obra do escritor e poeta bielorrusso Yanka Kupala, de 1910. Traz uma interessante mistura de vários estilos, passeando pelo rock progressivo sinfônico, jazz fusion, opera rock, música tradicional (folk) e ainda alguns toques de música clássica e rock psicodélico! Muitos momentos de coro e letras na língua local marcam o disco, quanto ao instrumental o destaque fica para algumas passagens espaçadas de sax, flauta, piano, violino e guitarra. É realmente um som difícil de ser classificado, recomendo a vocês ouvirem e tirarem as conclusões sobre a música.
Pérola recomendada para fãs de prog sinfônico e opera rock.
Link

Pearl created in 1967 in the former Socialist Belarus, the group Pernyary (Песняры). They released several albums during the 70s and 80s, slowing the shows and albums until 2003, when the band ended their activities.
Post here the 5th album, Gusliar (Гусляр), of 1979, has a more mature sound than in previous. When it was originally released in 79 was divided into two long songs, but I post a relaunch from 2000, containing only one track, "Gusliar", with 36 minutes, based on an Belarusian poet Yanka Kupala. Brings an interesting mix of various styles, strolling through the symphonic progressive rock, jazz fusion, rock opera, traditional music (folk) and even some touches of classical music and psychedelic rock! Many times the choir and lyrics in local language mark the album, in the instrumental highlight for some spaced passages sax, flute, piano, violin and guitar. Recommended for fans of symphonic prog and opera rock. 
More info: ProgArchives

Vladimir Mulyavin (guitarra, vocal principal)
Anatoliy Kasheparov (vocal)
Vladislav Misevich (saxofone, flauta, vocal)
Leonid Bortkevich (vocal)
Valeriy Dayneko (vocal, viola)
Leonid Tyshko (baixo, backing vocal)
Vladimir Tkachenko (violão, violino, backing vocal)
Vladimir Nikolaev (teclado, trombone, saxofone, backing vocal)
Cheslav Poplavsky (violino, backing vocal)
Igor Palivoda (piano)
Aleksander Demeshko (bateria, backing vocal)
Mark Shmelkin (bateria, percussão)
Oktaj Ajvazov (trombone)
Evgeny Pozdyshev (trompete)
Ljudmila Isupova (vocal)

01 Gusliar (36:42)

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

ROCK - GINTARĖLIAI - Unofficial Compilation - 1967-1973


Hoje faço uma "postagem diferente" aqui no blog Pérolas do Rock'n'Roll. Seguindo a série sobre rock nos Países Bálticos, hoje posto uma banda da Lituânia, na época socialista, o Giantarėliai começou em 1965 pelos irmãos Virginijus e Eimuntas Švabas fazendo covers de Beatles. O grupo conseguiu certo sucesso na região e participou de vários pequenos festivais da região, compondo as próprias canções, mesmo assim nunca lançaram um disco (por proibição do governo da época) e apenas tiveram uma tímida participação no álbum de 72 da também lituana Oktava, acabando logo no ano seguinte, em 1973. Algumas músicas do Giantarėliai entraram em recentes compilações como Lietuvos Roko Pionieiriai, mas nenhuma coletânea saiu até hoje sobre os caras.
Juntei 10 músicas da banda presentes na internet e reuni em uma pequena coletânea, trazendo um bom rock'n'roll, com alguns momentos de beat/ pop balada e também hard rock e psicodélico, em faixas como "Stebis tėtis ir mama" e "Dar Mes Susitiksim" (melhores da banda). A guitarra merece destaque, assim como metais em alguns momentos. As letras são na maioria em lituano/russo e uma em inglês.
Boa pérola, recomendado para fãs de rock da antiga URSS.
Link

Giantarėliai was a rock'n'roll band coming from Lithuania, this unofficial compilation bring 10 tracks with some moments of beat / pop ballad and also hard rock and psychedelic in tracks like "Tethys Stebis go mama". Guitar deserves attention, as well as metals in a few moments. The lyrics are mostly in Lithuanian / Russian and one in English . Pearl recommended for rock fans of the former USSR.
Info: Discogs

Virginijus Švabas (guitarra)
Eimuntas Švabas (baixo)
Jonas Toleikis (guitarra rítmica - até 1967)
Julius Brazaitis (guitarra rítmica - de 1967 até 1971)
Valerijus Salyginas (bateria - até 1970)
Vladimiras Teluchinas (bateria - de 1970 até 1973)

Žemės gaudesys
Žalia Žolė Namuos
Stebis tėtis ir mama
Septintoji Giesmė
Pievų Oras
Pamylėjau Vakar
Laimės Tau Linkiu
Kam Gi Tu Pabeldei
Dar Mes Susitiksim






segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

ELECTRONIC PROG - SVEN GRÜNBERG - Hingus - 1981


Sven Grünberg é um músico da Estônia, nascido em Tallinn em 1956, Grünberg ficou conhecido no seu país por ser pioneiro no rock progressivo e eletrônico, tocando sintetizador, moog e órgão e também participando de várias bandas locais durante as décadas de 70 e 80, como Mess e Ornament. Além disso ele compôs para vários filmes e documentários do país. Começou sua carreira solo no final da década de 70 e lançou 6 álbuns, sendo o mais recente de 2001.
O raro disco Hingus foi lançado em 1981, mas com gravações de 1978, 79 e 80. É dividido em apenas 3 faixas instrumentais, sendo 2 muito longas, tanto que a primeira é dividida em 4 partes. O único instrumento usado é o sintetizador, soando em momentos melódico, meditativo, viajante e em outros simplesmente música ambiente. Algumas influências de rock progressivo também são perceptíveis, como na faixa "Teekong".
Pérola recomendada para quem curtem música e prog eletrônico.
Link

Sven Grünberg is an Estonian musician, born in Tallinn in 1956. Grünberg was pioneer in electronic and progressive rock, playing synthesizer, moog and organ in several local bands in the 70s and 80s as Mess and Ornament. He began his solo career in the late '70s and released 6 albums.
Hingus was released in 1981, but with recordings from 1978, 79 and 80. It is divided into only 3 instrumental tracks, with 2 very long. The only instrument used is the synthesizer, sounding melodic, meditative, traveling and other times simply space ambient music. Some progressive rock influences are also apparent. Pearl recommended for those who dig electronic prog music.
ProgArchives

Sven Grünberg (Sintetizador)

01 Hingus 22:58
I Osa 7:26
II Osa 2:20
III Osa 7:04
IV Osa 6:08
02 Teekond 5:35
03 Valgusõis 17:50

domingo, 23 de fevereiro de 2014

OPERA/ PROG ROCK - IMANTS KALNIŅŠ & MENUETS - Dzeguzes balss - 1979


Imants Kalniņš é um compositor de música clássica que "flertou" em alguns momentos com o rock'n'roll. Nascido em 1941 em Riga, capital da Letônia, Imants começou sua carreira musical ainda na década de 60 com pequenos grupos de beat rock na região, durante a década de 70 ele participou de um projeto com a banda Menuets, o resultado foi um disco em 1979. Na década de 80 e 90 (a Letônia não sendo mais um país soviético) ele voltou a compor sinfonias e óperas, hoje Imants Kalniņš continua trabalhando com músicos e bandas locais. Já o grupo Menuets lançou apenas esse LP e foi dissolvido em 83 por pressão do governo da época.
Posto aqui o álbum Dzeguzes balss, citado acima, foi lançado em 1979 com a banda Menuets pela gravadora estatal Melodiya. O disco traz 8 músicas, misturando rock progressivo e ópera/ música clássica, influencias de Kalniņš. Existem vários momentos de bonito coro, com vocais masculinos e femininos, as letras são todas em letão. No instrumental, destaque para a flauta, que aparece bastante, e a guitarra e teclado, dando um ar psicodélico em algumas músicas.
Bela pérola, recomendado para quem curte ópera e prog rock e também rock da antiga URSS.
Link

During the 70's the Latvian composer Imants Kalniņš participated in a project with the rock band Menuets, the result was an album in 1979. Dzeguzes Balss was launched in by state label Melodiya. The album features 8 songs, mixing progressive rock and opera / classical music influences of Kalniņš. There are several moments of beautiful chorus, with male and female vocals, the lyrics are all in Latvian. In instrumental, especially the flute, which appear quite good, and guitar and keyboard, giving a psychedelic atmosphere in some songs . Beautiful gem, recommended for those who enjoy opera and prog rock.

Imants Kalniņš (composição)

Menuets:
Juris Sējāns (baixo, flauta, vocal)
Baiba Jagere (flauta, vocal)
Leons Sējāns (guitarra)
Alberts Bartaševičs (violão, vocal)
Juris Kulakovs (teclado)
Inese Pabērza (vocal)
Adrians Kukuvass (vocal)

A1 Dziesmiņa Dziedama Pusčetros No Rīta 4:38
A2 Viņi Dejoja Vienu Vasaru 3:15
A3 Dzeguzes Balss 2:44
A4 Septiņas Skumjas Zvaigznes 6:08
B1 Piedod, Piedod, Piedod Man! 3:57
B2 Dziesma Par Florīdas Smiltīm 3:40
B3 Dziesmiņa Par To Gadījumu Ar Džordāno Bruno  2:50
B4 Raganas Dziesmiņa Pēc Sprieduma Pasludināšanas 9:01



sábado, 22 de fevereiro de 2014

PSYCH ROCK/ BEAT - Дос-Мукасан (Dos-Mukasan) - Same - 1976


Pérola vinda do Cazaquistão, na época República Socialista Cazaque! O grupo Dos-Mukasan (em russo Дос-Мукасан) surgiu no final da década de 60 e foi talvez a única ou primeira banda de rock do país soviético. Lançaram 4 álbuns durante a década de 70 e 80, todos pela gravadora estatal Melodiya, e conseguiram certo sucesso na região. Recentemente antigos membros do Mukasan se reuniram. Esse é o pouco de informação que consegui "captar" de sites e blogs russos.
Posto aqui o segundo disco dos caras, homônimo de 1976. Traz 9 músicas, com destaque principal para a primeira faixa: "Betpak dala" (бетпак дала), 7 minutos de ótimo rock psicodélico instrumental, enquanto as outras são mais curtas e seguem a linha de beat/ pop rock, sem nada muito interessante a oferecer. Alguns bons momentos de teclado e guitarra, assim como letras em russo marcam o som dos caras.
Pérola recomendada para fãs de beat rock psicodélico.
Link

Pearl coming of Kazakhstan (Kazakh Socialist Republic at the time). The group Dos-Mukasan (Дос-Мукасан) was formed in the late 60's and released four albums in the 70s and 80s. Post here their second, eponymous of 1976, bringing 9 tracks, with the great open "Betpak dala", 7-minute instrumental psychedelic rock, while others are beat / pop typical '60s rock with nothing extraordinary.

Dosim Suleev
Murat Kusainov
Hamit Sanbaev
Alexander Litvinov


Sharip Lobster
Bakit Dzhumadilov
Askar Dzhankushukov
Nurtas Kusainov
Kurmanali Omarov .

01. Betpak dala
02. Ahau bikem
03. Auylyn senin irgeli
04. Laylim-shyrak
05. Tugan zher
06. 16 kyz
07. Kua bol
08. Sulu kyz
09. Kuanyshym menin



sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

PROG ROCK - HARRY ROESLI AND THE PHILOSOPHY GANG - Philosophy Gang - 1973


Harry Roesli foi um músico e cantor indonésio, em 1970 ele formou o grupo Harry Roesli and the Philosophy Gang (ou apenas Philosophy Gang). A banda lançou um único álbum em 1973 e logo depois se desfez, nessa época Roesli começou sua longa carreira solo, interrompida apenas em 2004, quando o músico sofreu um ataque cardíaco e veio a falecer. Harry Roesli é bem conhecido na sua terra natal, mas esse disco de 73 ainda continua na obscuridade, nunca sendo relançado. A música "Don't Talk About Freedom" entrou na compilação Those Shocking Shaking Days.
O álbum Philosophy Gang é divido em 7 canções, mesclando um simples rock progressivo, com poucas influencias de jazz fusion e folk. Bonitos arranjos e trabalho sólido da bateria e percussão, com alguns bons momentos de teclado, guitarra e flauta marcam o instrumental. As faixas são na maioria do tempo suaves e tranquilas, com destaque para "Don't talk about freedom", "Borodudur" e "Peackock Dog". As letras são todas em inglês.
"Somzinho" legal para conhecer e ouvir as vezes, pérola recomendada para fãs de prog.
Link

Harry Roesli was an Indonesian musician and singer, in 1970 he formed the group Harry Roesli and the Philosophy Gang (or just Philosophy Gang). The band released one album in 1973 and soon after it they disbanded, Roesli began his long solo career. 
The album Gang Philosophy is divided into 7 songs, mixing a simple progressive rock, with few influences of jazz fusion and folk. Beautiful arrangements and solid job of drums and percussion, with some good moments keyboard, guitar and flute instrumental score. The tracks are mostly soft, key tracks: "Do not talk about freedom", "Borodudur" and "Peackock Dog".

Harry Roesli (vocal, baixo, violão, percussão, flauta)
Albert Warnerin (guitarra, vocal)
Janto Soedjono (bateria, percussão)
Indra Rivai (teclados)
Harry Pochang (gaita, vocal)
Dadang Latief (guitarra)

01. Peackock Dog
02. Roda Again
03. Don't Talk About Freedom
04. Borobudur
05. Imagine (Blind)
06. Malaria
07. Roses




quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

PROG/PSYCH ROCK - HAWK - Africa She Too Can Cry - 1972


Pérola vinda da África do Sul, o Hawk (também conhecido como Jo'burg Hawk) surgiu em 1970 na cidade de Joanesburgo e lançou dois álbuns no começo da década de 70, alcançando certo reconhecimento na sua terra natal e na Inglaterra (onde chegaram a fazer uma pequena turnê) é hoje considerada uma das pioneiras do rock progressivo no país. O primeiro álbum dos caras, African Day, de 1971 é o mais conhecido deles, mas por isso posto aqui o segundo e último, lançado no ano seguinte e pouco tempo antes da banda se desfazer. Posto aqui a versão em CD, lançada em 2004, com 5 faixas bônus.
Africa She Too Can Cry traz 12 faixas com ótima mistura de rock progressivo, ainda nos seus primeiros passos pelo continente africano, e o psicodélico, contando ainda com ritmos típicos da região ("Uvuyo" e "Mumbo Jumbo"), bem diferente do debut, este mais soft rock. O vocal de Dave Ornellas merece destaque, com alguns momentos profundos e outros de empolgação e coral, na última faixa bônus ouvimos um dueto masculino e feminino. Quanto ao instrumental, o clássico trio guitarra/baixo/bateria está bastante presente, com alguns momentos legais de percussão e violão. Melhores faixas: "War Talk", "Rolling of the Bones" e com certeza "African Day Suite", com seus quase 17 minutos e várias divisões.
Nada extraordinário, mas um disco com vários bons momentos. Recomendado para fãs de prog e psych.
Link

Hawk was a band from South Africa, formed in 1970 in Johannesburg and released two albums in the early 70s. Post here the second and least known of them, Africa She Too Can Cry, 1972, reissued in 2004 with 5 bonus tracks. It brings a good mix between progressive and psychedelic rock, with regional rhythms on tracks like "Uvuyo" and "Mumbo Jumbo". Emphasis on vocal, with some more melancholic moments and more exciting. Best tracks: "War Talk", "Rolling of the Bones" and certainly "African Day Suite", with its almost 17 minutes. Nothing extraordinary, but an album with several good moments. Recommended for fans of prog and psych.

Dave Ornellas (vocal)
Mark "Spook" Kahn (guitarra)
Braam Malherbe (bateria)
Les "Jet" Goode (baixo)
Julian Laxton (violão)

Participação:
Ivor Back (bateria)
Alfred "Ali" Lerefolo (percussão, vocal)
Billy "Knight" Mashigo (percussão, vocal)
Audrey Motaung (vocal)
Pete Kubheka (vocal)

1 Uvuyo 3:14
2 Elegy for Eden 2:41
3 The Rolling of the Bones 2:44
4 Dark Side of the Moon 2:58
5 War Talk 2:43
6 Africa 2:50
7 African Day Suite 16:26
a. African sun
b. This Elephant Must Die
c. Beaters
d. Hunt
e. The Elephant is Dead
f. Nglovu Ephili
g. Yebo Mama
h. Sunset

Bonus Tracks:
8 Orang Outang 3:54
9 Kalahari Dry 2:37
10 Mumbo Jumbo 3:40
11 Hunter 4:04
12 In My Youth 4:56



quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

BEAT PSYCH GARAGE - VARIOUS - Waking Up Scheherazade Vol. 2 - 2010 (60s & 70s)


Segundo volume da compilação Waking Up Scheherazade, lançado em 2010. Pérolas raríssimas vinda da Síria, Egito, Sudão, Marrocos, Líbano e Irã! Os grupos foram ativos durante a segunda metade dos anos 60 e alguns continuaram até o começo da década de 70.
As 14 músicas aqui presentes seguem a mesma linha da primeira compilação, beat rock de garagem típico dos anos 60, com fortes pegadas psicodélicas e música árabe (principalmente nos vocais e percussão). Guitarra fuzz e wah wah aparece bastante, seguido pelo órgão e sax/ flauta. Ótimo registro dos primeiros tempos do rock/ pop entrando no Oriente médio e África. Para ver o primeiro volume, clique aqui.
Link

Second volume of the compilation Waking Up Scheherazade, released in 2010. Rare pearls from Syria, Egypt, Sudan, Morocco, Lebanon and Iran! The groups were active during the second half of 60s and some continued into the early 70s. 
The 14 songs presented here follow the same line of the first compilation, beat rock typical '60s garage, psychedelic with Arabic music (especially on vocals and percussion). Guitar fuzz and wah wah appear quite, followed by organ and sax / flute. Great record of the early days of rock / pop entering the Middle East and Africa.
More Info: Middle East Fusion

Soli - Irã
Les Frères Megri - Marrocos
Shar 'Habeel - Sudão
1 Wrong Notes - Verequoi (Egito)
2 Shar 'Habeel - Dance And Cheer (Sudão)
3 Abdelhadi - Belrhyat (Marrocos)
4 Feridun Foroughi - Wals Jackle (Irã)
5 The News - Tell Me (Líbano)
6 Duraid Lahham - Tamo Yamo (Síria)
7 Les Frères Megri - Sebar (Marrocos)
8 Soli - Music Negar (Irã)
9 Tony Franks & The Hippin' Souls - Crazy Woman (Líbano)
10 Wrong Notes - Oriental Dance (Egito)
11 Shar 'Habeel - El Bambi (Sudão)
12 Naima Samih - Zifaffildada (Marrocos)
13 Tony Franks & The Hippin' Souls - Keep It (Líbano)
14 Jo & The New Magnifici - Sunshine (Líbano)

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

PSYCH/ GARAGE ROCK - VARIOUS - Waking Up Scheherazade - 2007 (60s & 70s)


Compilação cheia de pérolas do norte da África e Oriente Médio, países com pouca ou nenhuma tradição no rock, como Líbano, Argélia, Irã, Armênia e outros (vejam abaixo na track list). A compilação Waking Up Scheherazade teve 2 volumes, o primeiro que posto aqui, de 2007 e o segundo em 2010. São de grupos pequenos da região, ativos na segunda metade da década de 60, alguns moveram para os EUA e lançaram LPs ou compactos, mas nada com grande sucesso.
As 16 músicas aqui presentes seguem o gênero beat psicodélico de garagem dos anos 60, com claras influencias de Beatles e Stones e ritmos da arábia. Guitarra fuzz aparece em vários momentos, assim como o órgão e instrumentos típicos da região, como percussão. As letras são na maioria em inglês, mas com forte sotaque e outras ainda em árabe e francês.
Compilação perfeita para fãs do arab rock, rock psicodélico de garagem e para quem quer conhecer sobre o rock naquela região. Segundo volume aqui.
 Link

Compilation full of gems from North Africa and the Middle East, such as Lebanon, Algeria and Iran. Waking Up Scheherazade had two volumes, the first that I post here, 2007 and the second in 2010. Small groups of the region, active in the second half of the 60s.
The 16 songs presented here follow the genre psychedelic/ garage beat of '60s and rhythms of arabia. Guitar fuzz appears at various times, as well as the organ and instruments typical of the region, such as percussion. The lyrics are mostly in English, but with a strong accent and still others in Arabic and French. Perfect compilation for fans arab rock, psychedelic rock and garage for those who want to know about the rock in that region.
More info: Middle East Fusion


Kareem Isaaq Middle Eastern Rock - Irã / EUA
El-Abranis - Argélia
Sea-Ders - Líbano
1. Sea-Ders - Thanks A Lot (Líbano)
2. El-Abranis - Athedjaladde (Argélia)
3. Simon C Edwards And His Soul Set -I Got You (Líbano)
4. Morocco - Ela Tho (Armênia/USA)
5. Kouroush - Dil Dasa Per Mesha (Irã)
6. The Kool Kats - Step Out (Líbano)
7. Nai Bonet -  The SeventhVeil (Egito/USA)
8. Tony Franks & The Hippin' Souls - Last Night - Waking Up Scheherazade (Líbano)
9. Elias Rahbani And His Orchestra - From The Moon (Líbano)
10. Raks - Raks Dance (Irã)
11. Kareem Isaaq Middle Eastern Rock - Besasha (Irã/USA)
12. Ray Psyah - Deep Down Inside (Líbano)
13. Sea-ders - Undecidedly (Líbano)
14. El-Abranis - Avetheri A L'afjare - (Argélia)
15. Simon C Edwards & His Soul Band - The Way I Do (Líbano)
16. Morocco - Opa Kukla (Armênia/USA)



sábado, 15 de fevereiro de 2014

JAZZ FUSION - BIRIGWA - Same - 1972


Birigwa foi um grupo formado nos EUA no começo dos anos 70 pelo músico e cantor ugandense Birigwa. O projeto durou pouco tempo, mas deixou um álbum registrado em 1972, relançado somente em 2011 e contando com o baixista Phil Morrison (Stark Reality) e Stan Strickland, no sax e flauta. Aparentemente, Birigwa não lançou mais nada na sua curta carreira musical.
O disco homônimo traz 7 curtas faixas, totalizando menos de 30 minutos. O som é bem difícil de ser classificado, passando por jazz, folk, rock, funk e música africana, há o uso de vários instrumentos, passando pela guitarra e bateria até violão, flauta, sax, congas, piano e fliscorne, cada um com vários bons momentos. As letras são todas em língua nativa da África, tendo alguns momentos de risadas e gritos no meio. Belas canções e arranjos estão presentes, revesando entre momentos melódicos e "arrastados" e outros mais dançantes, com profundas raízes na música da região (Uganda).
Pérola recomendada para fãs de afro jazz e folk.
Link

Birigwa was a group formed in the U.S. in the early '70s by Ugandan musician and singer Birigwa. The project lasted a short time, but left an album recorded in 1972, reissued just in 2011.
The eponymous album features 7 short tracks, totaling less than 30 minutes. The sound is pretty hard to be rated, through jazz, folk, rock, funk and African music, there is the use of various instruments: guitar and drums, acoustic guitar, flute, sax, congas, piano and flugelhorn, each with several good moments. The lyrics are all in the native language. Beautiful songs and arrangements are present, taking turns between melodics and more dancing moments, with deep roots in the music of the region (Uganda).
Pearl recommended for fans of african jazz and folk.
Info: African Psych

Birigwa (vocal, violão, guitarra)
Arthur Brooks (fliscorne)
Mait Edey (percussão, congas, piano)
Vinnie Johnson (bateria)
Phil Morrison (baixo)
Stan Strickland (flauta, saxofone)

1 Okusosola Mukuleke 5:46
2 Uganda 4:58
3 Kanemu-Kanabili 1:58
4 Lule Lule 4:11
5 Njabala 2:57
6 Obugumba 4:45
7 Yelewa 5:54



sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

PSYCHEDELIC/ AFRO ROCK - COLOMACH - Same - 1974


Outra pérola vinda da África, esse som veio da Nigéria. O grupo Colomach foi formado em meados da década de 70 em Lagos e lançaram um único e raro álbum em 1974, com número baixíssimo de cópias e que só foi relançado em 2013, também pela Soundaway. A banda teve algumas músicas presentes em recentes compilações como The World Ends e Nigeria Rock Special.
O álbum homônimo traz 10 faixas curtas e bastante similares ao rock que se fazia na África dos anos 70, rock de garagem com pesadas influencias de rock psicodélico, zam rock e afrobeat, além da música tradicional feita na região. A guitarra fuzz domina, junto com boas passagens de percussão tradicional e bateria. As letras são todas na língua local, dando ainda mais singularidade a este registro.
Pérola recomendada para quem gosta de rock psicodélico africano.
Link

Pearl coming from Nigeria. The group Colomach was formed in the mid-70s in Lagos and launched a unique and rare album in 1974, with a very low number of copies and was only reissued in 2013, by Soundaway.
The eponymous album features 10 short tracks and quite similar to the rock that was in Africa 70s, garage rock with heavy influences from psychedelic, zam rock and afrobeat beyond traditional music made in the region. The fuzz guitar dominates, along with good passages of traditional percussion and drums. The lyrics are all in the local language, giving even more uniqueness to this record. 
Soundway Records

Line up:
Togo Gneni Mamadou
?

A1 Enoviyin
A2 Ottoto Shamoleda
A3 Cotocun Gba Gounke
A4 Bernadetta
A5 (Flute) Sweet Sounds From Colomachi
B1 K Assa Kpa Sama Kpa
B2 Kpanlongo (Folklore)
B3 Pipan
B4 Yebo Blues
B5 (Acoustic Guitar) Sonorites Sahelienne

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

AFRO ROCK - EDZAYAWA - Projection One - 1973


Pérola muito obscura vinda de Gana. O quinteto Edzayawa foi formado no final da década de 60 por jovens ganeses, e lançou um único e raro álbum em 1973 na Nigéria, antes de se desfazer poucos anos depois. Este álbum só foi relançado em 2012, após quase 40 anos, em CD e vinil pela Soundway. O líder e tecladista/flautista do grupo Nana Danso seguiu na música com a Pan African Orchestra.
Este disco, intitulado Projection One, traz uma típica mistura de funk rock ocidental com traços da música africana (afro rock), é compostos por 8 faixas, com destaque para o incrível órgão, contando ainda com bons toques de flauta e percussão. Se diferencia da maioria dos álbuns de rock da região na época por não ter guitarra fuzz e nem muitas influencias de rock psicodélico, além de algumas composições mais bem trabalhadas e poucos momentos experimentais e instrumentais. Destaque para as as faixas "Darkness", "Godzin", "Amanehun" e "Obuebee", apesar da maioria das músicas serem muito boas.
Pérola altamente recomendada para fãs de afro rock.
Link

The quintet Edzayawa was formed in the late 60s by young Ghanaians, and launched a unique and rare album in 1973 in Nigeria, before discarding a few years later. It was re-released only in 2012, by Soundway.
The album One Projection brings a typical mix of funk rock with traces of West African music (afro rock), is composed of 8 tracks, with amazing organ and good touches of flute and percussion. Differs from most rock albums of the region at that time by not having fuzz guitar and many influences of psychedelic rock, plus some further elaborated songs and experimental/ instrumental compositions. Emphasis on the tracks  "Darkness", "Godzin", "Amanehun" and "Obuebee". Highly recommended for fans of african rock.

More Info: RYM / Soundway Records



Nana Danso (órgão, flauta)
Nana Sutherland (baixo, vocal)
Roland Doe (bateria, vocal)
Ayi Kweifio (vocal)
Kwasi Asamoah (percussão)

01 Darkness 6:00
02 Gondzin 4:26
03 Edzayawa 4:26
04 Naa Korle 4:20
05 Amanehun 6:20
06 Abonsan 4:40
07 Obuebee 3:08
08 Adesa 4:05



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

PSYCH/GARAGE ROCK - THE SAVAGES - Black Scorpio - 1973


Pérola obscura vinda da Índia! O grupo The Savages foi formado em Mumbai no final da década de 60 e lançou dois álbuns, o primeiro é um registro ao vivo de 1969 e o segundo e último é esse que posto aqui, de 1973, relançado em 2008 pela Shadocks. Além dos LPs, vários compactos e um CD foi lançado recentemente com esses dois discos. Apesar da banda não ter durado por tanto tempo, são os pioneiros do rock no país.
O disco Black Scorpio, de 1973, traz 10 faixas misturando composições originais e vários covers (40,000 Headman, Southern Man, Plan Your Revolution)  de grupos de rock americanos/britânicos, da onde vem a maior influencia dos caras. Rock psicodélico e "garageiro" com atmosfera bem amadora e de anos 60, com boa presença de guitarra fuzz e órgão/ teclado marcam o som do grupo.
Nada extraordinário, mas uma bela pérola para quem gosta de rock de garagem e psicodélico dos anos 60, 70.
Link

Obscure gem coming from India! The Savages was formed in Mumbai in the late 60's and released two albums, the first is a live recording from 1969 and the second and last one is from 1973. Although the band have not lasted so long, are the pioneers of rock'n'roll in India. 
The album Black Scorpio, 1973, brings 10 tracks mixing original compositions and several covers (40,000 Headman, Southern Man, Plan Your Revolution) of American / British rock groups, which are the influential of these guys. Psychedelic and garage rock with very amateurish atmosphere and '60s rock, with good presence of fuzz guitar and organ / keyboard mark the group's sound. Nothing extraordinary, but a nice gem for those who like garage and psychedelic obscurities.
More info: Indian Bands Hub

Bashir Sheikh (bateria, vocal)
Ralph Pais (baixo)
Prabhakar Mundkur (teclado, órgão vocal)
Russell Perreira (vocal)

1 I 2:50
2 Whipping Post 2:28
3 Southern Man 3:27
4 You've Got A Friend 3:46
5 I Want To Be Free 3:13
6 Plan Your Revolution 3:21
7 40,000 Headman 3:45
8 Everything I Own 4:01
9 Trouble No More 5:38
10 Bossa Roo 4:13




terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

PSYCHEDELIC FOLK - KOUROSH YAGHMAEI - Hajme Khali / Akhm Nakon - 1974


Pérola vinda do Oriente Médio, mais precisamente do Irã. Kourosh Yaghmaei (يغمائي کورش ) é um cantor e músico nascido em Shahrud, e que começou na música jovem durantes os anos 60, com pequenos de grupos de beat e pop no país. Já nos anos 70 Yaghmaei partiu para carreira solo e lançou vários singles na década de 70, conseguindo sucesso na época. Após a revolução islâmica, em 1979, Kourosh foi proibido de cantar e se apresentar por quase 20 anos, apenas na década de 90 ele voltou e em 2011 um álbum foi lançado com suas antigas canções da década de 70, com o nome de Back From the Brink. É considerado um pioneiro e o "vovô" do rock no Irã.
Posto aqui um simples compacto dele, de 1974, com as músicas Hajme Khali (sem volume) e Akhm Nakon (não fique bravo), trazendo uma interessante mistura de rock psicodélico, com fortes raízes na música local e algumas influencias da música dos anos 60 (beat). Boa presença de bateria, guitarra fuzz e letras em persa marcam o som do cara.
Link
Site Oficial

Rarity of Iran, Kourosh Yaghmaei is a singer and musician who began playing rock and pop in the '60s. In the 70 Yaghmaei released several singles in the solo. It pioneered the country rock. 
Post here a single, of 1974 with the songs Hajme Khali and Akhm Nakon, bringing an interesting mix of psychedelic rock, with strong roots in the local music and some influences of 60s music (beat). Good presence of drums, guitar fuzz and Persian letters mark the sound of him.

Kourosh Yaghmaei - vocal, guitarra
+ Banda de Apoio (?)

A Hajme Khali
B Akhm Nakon



Back From the Brink:


domingo, 9 de fevereiro de 2014

HARD PROG/FOLK - BARRY HAY - Only Parrots, Frogs and Angels - 1972


Barry Hay é um conhecido cantor e músico nascido em 1948 na Índia, mas se mudou quando criança para Amsterdan, capital da Holanda, junto com a família e onde foi criado e se consagrou na música. Barry começou  tocando em pequenos grupos de beat/ pop nos anos 60, como The Haigs e no começo do Schocking Blue, mas foi com o Golden Earring que ele alcançou sucesso, lançando vários álbuns e hits durante a fase dourada do grupo, um dos mais importantes do país. Em 1972 o cantor lançou um álbum, paralelo ao trabalho no Golden, que não conseguiu retorno e acabou se tornando uma pérola desconhecida por muitos, por isso posto aqui.
O disco Only Parrots, Frogs and Angels, de 1972, traz 8 músicas que misturam vários estilos, rock psicodélico, progressivo, country, folk e hard, com poucos momentos mais comerciais, de pop/rock. Há uso de vários instrumentos, como flauta, teclados, saxofone, percussão violão e violino. O vocal de Barry Hay, conhecido por muitos, também merece destaque. Melhores faixas: "Sometimes Three Times", "Xena" e "Once Upon a Time". No geral, um disco sem nada de extraordinário ou muito diferente do que se fazia na época, mas que merece ser mais conhecido e ouvido.
Pérola recomendada para quem curte rock dos anos 70 em geral e especialmente fans de Golden Earring.
Link

Barry Hay is a well-known singer and musician born in 1948 in India, but moved as a child to Amsterdam. Barry began playing in small groups beat / pop in the '60s, but it was with the Golden Earring he achieved success, releasing several albums during the 60s and 70s. In 1972 the singer released a parallel album, without sucess and eventually became a real rarity.
The album Only Parrots, Frogs and Angels, 1972, brings 8 songs that blend various styles, psychedelic rock, progressive, country, folk and hard, with few moments more commercial. There is use of various instruments like flute, keyboards, saxophone, percussion, guitar and violin. The voice of Barry Hay, known by many, is also noteworthy. Best tracks: "Sometimes Three Times", "Xena" and "Once Upon a Time". Overall, nothing extraordinary or very different than it was at the time, but it deserves to be better known and heard.

Barry Hay (Vocal, Flauta, Violão, Saxofone)
Ron Westerbeek (Órgão)
Snowflake Strings (Cordas)
Patricia Paay (Vocal)
Hans Hollestelle (Guitarra)
Frank v.d. Kloo (Guitarra)
Louis Debij (Bateria)
Jan Hollestelle (Baixo)
Robert Jan Stips (Teclado)
Herman Van Veen (Violino)

01 Xenia 8:42
02 Sometimes Three Times 6:16
03 Oh Lord I'm Gonna Try 5:01
04 Roll Another Rock 4:44
05 I Want to Be With You 5:43
06 Did You Really Mean It? 4:40
07 Once Upon a Time 6:36
08 March-Xenia 0:45



sábado, 8 de fevereiro de 2014

PROG/ PSYCH ROCK - THE HAPPENINGS FOUR + 1 - Hikishio Michishio - 1971


Pérola vinda do Japão, formado em 1965 por jovens de Fukuoka. O grupo The Happenings Four começou tocando beat e lançou três álbuns entre 1968 e 70, além de vários EPs e compactos. Em 1971, com a entrada do guitarrista Mizutani Kimio, lançaram o quarto e último álbum, com nome de The Happenings Four + 1, e infelizmente acabaram no ano seguinte. O líder e organista Kuni Kawachi continuou com projetos e carreira solo durante a década de 70.
O disco Hirishio Michishio (na versão japonesa 引潮・満潮, ou Long Trip) traz 11 faixas de tradicional mescla entre rock psicodélico e progressivo nos seus anos iniciais (proto-prog), com belos arranjos, momentos obscuros e pesados e outros calmos. O instrumental tem bastante qualidade, com destaque ao órgão, tocado extremamente bem e presente em todas as faixas, com excelentes solos. O belo vocal de Kitagawa também merece atenção, apesar das letras serem todas em japonês. Destaque para as faixas "Tsuruhashi To Shovel", divida em 3 partes e "Shi - Shi Ni Chokumen Sita Ningen No Jotai To Shinri (Death)".
Uma pérola essencial para fãs de rock da terra do sol nascente e de prog/psych em geral.
Link

Pearl coming from Japan, formed in 1965 by young people from Fukuoka. The group The Happenings Four began playing beat and released three albums between 1968 and 70. In 1971, with the addition of guitarist Kimio Mizutani, released their fourth and final album, with the name of The Happenings Four + 1 , and sadly disbanded in the following year.
The album Hirishio Michishio (in the Japanese version 引 潮·満 潮 or Long Trip) brings 11 tracks of traditional blend of psychedelic and progressive rock (proto-prog), with nice arrangements, dark and calm moments. The instrumental has enough quality, especially the organ, played extremely well on all tracks, with excellent solos. The beautiful voice of Kitagawa also deserves attention, even though the lyrics are all in Japanese. Highlighting the tracks "Tsuruhashi To Shovel", "Shi - Shi Ni Chokumen Sita Ningen In Jotai To Shinri ( Death )". An essential gem for fans of japanese rock and prog / psych in general.

Info & Reviews: Prog Archives, Solidboy Music

Kuni Kawachi (piano, órgão)
Tome Kitagawa (vocal,conga)
Chito Kawachi (bateria, vocal)
Pepe Yoshihiro (baixo)
Mizutani Kimio (guitarra)

1. Hikishio Michishio (5:12)
2. Kane No Naru Ki (2:37)
3. Tsuruhashi To Shovel 10 Dai (1:17)
4. Denki Isu (7:06)
5. Nagai Tabi (3:39)
6. Yogensha (4:49)
7. Tsuruhashi To Shovel 30 Dai (1:17)
8. Oshie (3:37)
9. Shi - Shi Ni Chokumen Sita Ningen No Jotai To Shinri (10:22)
10. Sakura To Kawara-yane Ga Mieru Machi (4:50)
11. Tsuruhashi To Shovel 50 Dai (1:43)

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

PROGRESSIVE ROCK - 21.PERON - Same - 2003 (1977)


Mais uma obscura pérola da Turquia. A história do 21.Peron começa no final da década de 60, com o nome de Izmir College Band fazendo alguns shows covers em escolas e clubes da região de Esmira. Em 1972 o grupo mudou o nome para 21 Peron e grava várias músicas nessa época (75-77), mas que só saíram em um simples compacto. A banda se desfez no final da década de 70, e passados mais de 20 anos, em 2003, as antigas gravações são lançadas em CD e vinil, pela Arkaplan.
O álbum homônimo traz 12 faixas, todas instrumentais, combinando várias estilos, passando pelo rock progressivo sinfônico, psicodélico, hard e também da música tradicional turca. Órgão Hammond e guitarra wah wah são destaque no instrumental, mas algumas suaves passagens de violino e percussão também são presentes. Alguns comparam o som dos caras ao de Zappa, Gentle Giant e até Genesis, mas tudo com clima original. As músicas seguem todas as mesma linha, mas o destaque fica para as primeiras, como "Anne" e "18400 TL" e "Petruska".
Pérola recomendada para fãs de rock progressivo, com pegadas folk e psych.
Link

A darker gem from Turkey. The story of 21.Peron begins in the late 60's, under the name of Izmir College Band. In 1972 the group changed its name to 21.Peron and record several songs at the time (75-77), but that wasn't released in a LP. The band disbanded in the late 70s, and in 2003, the old recordings were released on CD and vinyl by Arkaplan.
The eponymous album features 12 tracks, all instrumental, combining various styles, from the symphonic prog, psychedelic, hard rock and also traditional Turkish music. Hammond organ and guitar wah wah are highlighted in the instrumental, but some soft passages of violin and percussion are also present. Influenced by Zappa, Gentle Giant and even Genesis, but everything with  eastern music atmosphere. Best tracks: "Anne", "TL 18400" and "Petrushka".
Pearl recommended for fans of progressive rock, with folk and psych touches.

Info: Turkish Progressive Music

Andreas Wildermann (órgão)
Haluk Öztekin (guitarra)
Halil Yildinm (bateria)
Alp Gültekin (violino)
Gökhan Akçay (baixo, vocal, 1975-?)
Seyhan Eriþ (guitarra, 1973-75)
Aron Þerez (baixo, 1973-75)

1 Anne 7:27
2 18400 TL 6:59
3 F.M.O. (Film Müzigi Olabilir) 2:49
4 Petruska 5:20
5 Çocukluk Anilarim 4:13
6 Inilti 2:44
7 Bes 3:27
8 Sarap Mahzeninde Gece 2:39
9 F.M.O. (Film Müzigi Olamadi) 3:21
10 Arap Bebegin Dansi 5:04
11 Anlatamiyorum 3:17
12 Köy Dügünü 2:57

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

ANATOLIAN ROCK - AĞRI DAĞI EFSANESI - Deli Gönül Neylersin (Single) - 1972


Pérola vinda da Turquia, formada em 1972 pelo tecladista e organista Murat Ses, o grupo Ağrı Dağı Efsanesi nunca chegou a lançar um álbum, mas mesmo assim conseguiu certo reconhecimento no movimento do Anatolian Rock (Rock da Anatólia). A banda lançou alguns compactos no começo da década de 70. Posto aqui o primeiro, com as músicas Deli Gönül Neylersin e Düşenin Dostu Olamazmış, ambas trazendo uma mescla do rock ocidental (principalmente space e psicodélico) e música típica do país, com uso de instrumentos como órgão Hammond, moog, guitarra e outros locais como kazoo, bağlama e yaylı. Recomendado para quem curte (ou quer conhecer) o rock no país.
Link

Band from Turkey, the group Ağrı Dağı Efsanesi was formed in 1972 by Murat Ses and never released an album, just some singles in the early 70s. Their first single, with the songs Deli Gönül Neylersin and Düşenin Dostu Olamazmış bring a typical Anatolian Rock, mixing rock with traditional Turkish music. Hammond organ, moog, guitar and other instruments like kazoo, bağlama e yaylı are present. Recommended for those who like the rock in the country.
Info: Turkish Progressive Music


Murat Ses (órgão Hammond, Moog)
Nejat Toksoy (vocal, kazoo)
Mustafa Sarışın (guitarra, bağlama, yaylı tambur)
Fikret Ural (guitarra)
Nadir Uygun (bateria)
Erhan Akdoğan (baixo)
Tahsin Ünüvar (flauta)

A Deli Gönül Neylersin
B Düşenin Dostu Olamazmış

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

SPACE ROCK - CYBOTRON - Colossus - 1978


Pérola formada em Melbourne, na Austrália, em 1975. O Cybotron começou com apenas dois músicos: Steve Maxwell Von Braund e Geoff Green, logo o baterista Gil Matthews integrou o grupo e assim lançaram o primeiro álbum, em 1976, considerado o primeiro de rock experimental/eletrônico do país. Logo no ano seguinte Colin Butcher substituiu Matthews na bateria e o trio lançou o segundo disco, Colossus, de 1978, nessa época o Cybotron conseguiu certo sucesso, fazendo shows pela Europa, após novas mudanças na formação a banda lançou um último LP em 1980 e se separou no ano seguinte.
Posto aqui o segundo álbum do grupo, de 1978, considerado o melhor do trio, é dividido em 4 longas e instrumentais faixas. Como já disse acima, o som da banda é space rock, prog eletrônico e experimental. O instrumental, como em todas as bandas do gênero, é dominado por sintetizadores, teclados, órgão, piano e Mellotron, com prolongados e hipnóticos solos, contando ainda com boas passagens de saxofone e sólido trabalho na batera. Nada muito original, mas som competente, lembrando Tangerine Dream Hawkwind.
Pérola altamente recomendada para fãs de space rock e prog eletrônico.
Link

Pearl formed in Melbourne, Australia, in 1975. Cybotron started with just two musicians: Steve Maxwell Von Braund and Geoff Green, it's considered the first experimental / electronic rock of the country. They released 3 albuns during 1975-80 and disbanded in 1981.
Post here the second album from 1978, considered the best of the trio, is divided into 4 long and instrumental tracks. The group's sound is space rock, electronic prog and experimental. The instrumental is dominated by synthesizers, keyboards, organ, piano and Mellotron, with extended and hypnotic solos, still relying on good passages of saxophone and solid work on the drums. Nothing too original, but competent sound, reminding Tangerine Dream and Hawkwind. Highly recommended for fans of space rock and electronic prog.


Info & Reviews: Prog Archives


Steve Maxwell Von Braund (sintetizador, saxofone, percussão)
Colin Butcher (bateria, percussão)
Geoff Green (piano, orgão, Mellotron, sintetizadores)

1 Colossus 8:07
2 Eclipse 10:40
3 Medusa 7:41
4 Raga in Asia Minor 15:37



Ao Vivo (Pt. 1) -> Pt. 2

domingo, 2 de fevereiro de 2014

PSYCHEDELIC FOLK - SAM HUNT / MAMMAL - Beware the Man - 1972


Pérola formada por jovens de Wellington, capital da Nova Zelândia, em 1969. A banda Mammal fazia poucos shows no começo, por que os membros ainda estavam na faculdade, até que em 1972, o poeta Sam Hunt (amigo do tecladista Backhouse) começou a fazer shows com o grupo, recitando alguns poemas durante o intervalo das músicas. A experiencia deu tão certo que o Mammal, junto com Sam Hunt gravaram um álbum em 1972, que acabou sendo o único do grupo. Após brigas e várias mudanças na formação a banda acabou, em 1974 e alguns membros continuaram na música,tocando no Blerta, Dragon e Tamburlaine.
O disco Beware the Man traz onze faixas de rock psicodélico na maioria do tempo calmo e acústico (soft rock), com algumas passagens de folk e country. Algumas músicas começam com poesias faladas por Hunt, as músicas são muito bem tocadas, com interessantes mesclas de guitarra e violão, teclado, sax, gaita e violino.
Um belo álbum, pérola recomendada para fãs de acid folk e rock psicodélico.
Link

Band formed by youth from Wellington, capital of New Zealand, in 1969 . In 1972 the poet Sam Hunt began playing gigs with the group reciting some poems during the songs. The experiment was so successful that the Mammal, along with Sam Hunt recorded an album in 1972 the only one of them. After fights and several lineup changes the band ended in 1974.
The album Beware the Man brings 11 tracks of psychedelic rock, most of the time acoustic and soft style, with passages of folk and country. Some songs begin with poems spoken by Hunt, the songs are well played , with interesting mixes of electric and acoustic guitars, keyboards, sax, harmonica and violin. A beautiful album, Pearl recommended for fans of acid folk and psychedelic rock.

Info: NZ Music

Mammal:
Rick Bryant (saxofone, vocal)
Bill Lake (guitarra, gaita, vocal)
Tony Backhouse (baixo, teclado)
Simon Morris (guitarra, vocal)
Mike Fullerton (bateria)
Robert Taylor (violão)

A1 A Valley Called Moonshine 7:01
A2 Beware the Man 4:18
A3 A Wind of Wolves 2:10
A4 Walking the Morning City 4:39
B1 Hot Water Bottle Baby Blues 3:33
B2 Sandshoe Shuffle 2:23
B3 When Morning Comes 2:28
B4 Lyn 1:16
B5 Collision 3:58
B6 Con the Man and Melissa 4:01
B7 Bracken Country 3:16