Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

PROG/ JAZZ ROCK - GATTCH - Komplet - 2002 (1971-72)


Pérola obscura formada na antiga Tchecoslováquia, o grupo Gattch surgiu no final da década de 60 por estudantes da cidade de Bratislava, atual capital da Eslováquia, tocando inicialmente beat rock psicodélico. A banda lançou apenas um LP e um EP, ambos em 1971, durante o pouco tempo de atividade, apenas 5 anos, até se separar em 1974. Em 2002 uma compilação em 2 CDs foi lançada, com esses lançamentos de 71, mais algumas faixas bônus no primeiro CD e 16 músicas ao vivo, gravadas em 1972 em Ostrava, no segundo.
Posto aqui essa compilação, com o nome Komplet. O primeiro CD traz um rock progressivo mais ao estilo crossover, com influencia de rock clássico, jazz, psicodélico e também um pouco do estilo inicial do Gattch (beat), com bonitos voca. Já a "segunda parte", ao vivo, é composto por improvisações, mais influenciadas pelo jazz rock, na maioria do tempo instrumental e com vários solos de piano, bateria, saxofone e guitarra. Apesar disso há o predomínio de faixas curtas e todas cantadas na língua local, dando uma peculiaridade ainda maior para o som deles.
Um registro muito interessante, com vários bons momentos. Pérola recomendada para quem gosta de rock progressivo e jazz rock.
Link (2 CDs)

Obscure pearl formed in the former Czechoslovakia, the group Gattch emerged in the late 60s by students from the city of Bratislava, capital of Slovakia today, initially playing psychedelic beat rock. The band released only one LP and one EP, both in 1971 , during the short time of activity, only 5 years until disbanding in 1974. In 2002 a compilation was released on 2 CDs, with these releases of 1971, plus some bonus tracks on the first CD and 16 live tracks, recorded in 1972 in Ostrava, in the second one.
Post here this compilation, named Komplet. The first CD features the most progressive rock, crossover style with influences from classic rock, jazz, psychedelic and also a bit of the original style Gattch (beat), with beautiful vocals.In the "second part", live, consists of improvisations, more influenced by jazz rock, with various instrumental solos, with piano, drums, saxophone and guitar. Nevertheless there is a predominance of short tracks and all sung in the local language, giving an even greater distinctiveness to their sound.
A very interesting record, with several good moments . Pearl recommended for those who like progressive rock and jazz rock .


Info & Reviews: ProgArchives

Juraj "George" Stefula - bateria, percussão, vocal
Ľudovít "Ali" Beladič - piano
Tomás "Tomy" Rédey - guitarra, violino
Anton "Tony" Lančarič - baixo
Gabriel Jonás - soprano saxofone

CD1: EP + LP + Outras gravações (Bônus)

01. Na na na (5:30)
02. Kontrapunktická etuda (Contrapuntal Étude) (6:53)
03. Kvapka medu (Honeydrop) (2:57)
04. Pieseň bez slov (The Wordless Song) (3:21)
05. Narodenie (The Birth) (3:29)
06. Neznáma tvár (Unknown Face) (3:55)
07. Vlak (The Train) (3:49)
08. Vokálna stúdia - Reminiscencia I (Vocal Study - Reminiscence I) (7:36)
09. Reminiscencia II (Reminescence II) (3:30)
10. Kontrapunktická etuda (Contrapuntal Étude) (7:17)
11. Celý kraj (The Whole Land) (2:26)
12. Uz kvitne biely orgován (A White Lilac Is Blooming) (2:45)
13. Brička (The Cart) (2:56)
14. Neznáma tvár (verzia) (4:32)
15. Reminiscencia II (verzia) (3:25)
16. Rapsódia (Rhapsody) (5:59)
17. V zeleni jarin (The Green Spring) (3:33)
18. Reminiscencia II (verzia) (5:45)

CD2: Ao vivo em Ostrava, 1972

01. Krásne včely (Beautiful Bees) (2:54)
02. Celý kraj (The Whole Land) (2:16)
03. Sivé oči (Grey Eyes) (2:48)
04. Neha (Tenderness) (2:09)
05. Neznáma tvár (Unknown Face) (5:35)
06. Pesiak (Footman) (2:16)
07. Brička (The cart) (3:18)
08. D-Mol - Koncert D-Mol (Concerto in D minor) (9:29)
09. Rapsódia IV (Rhapsody IV) (5:36)
10. Bum vam (4:12)
11. Reminiscencia II (Reminiscence II) (3:16)
12. Potlesky (Applauses) (2:57)
13. Sedem minút (Seven Minutes) (7:58)
14. Narodenie (The Birth) (7:47)
15. Sonet o snehu (Sonnet About The Snow) (4:53)
16. Kontrapunktická etuda (Contrapuntal Étude) (9:49)



domingo, 29 de dezembro de 2013

HARD PROG/FOLK - SEMNAL M - Cîntece transilvane - 1980


Pérola vinda da Romênia, formada em 1977 na cidade de Cluj pelos ex-membros do grupo Mondial, Iuliu Merc (guitarra) e Stefan Boldijar (baixo, vocal). Após lançar o primeiro compacto, aconteceram algumas mudanças na formação original e a banda gravou e lançou o debut Trenul Cursa de persoane Apahida, em 1978. Já na década de 80 e 90 o Semnal M continuou lançando alguns LPs, sendo o mais recente em 2004, hoje o grupo ainda faz shows e é considerado um importante nome no rock romeno. Posto aqui o segundo disco, Cîntece transilvane, de 1980.
O álbum é composto por 10 faixas, na maioria curtas (com exceção da última), trazendo um bom e competente rock progressivo, bastante influenciado por folk no lado A, acústico e com belas melodias, e por hard rock no lado B, cheio de solos de teclado e guitarra. As letras são todas em romeno, dando um diferencial ao som dos caras. Destaque para as últimas faixas " Lungul Drum Al Nopții Către Zi" e "Mai Avem Multe De Făcut".
Nada extraordinário, mas um registro recomendado tanto para quem gosta de folk quando hard prog e para conhecer as raridades da "Cortina de Ferro".
Link

Pearl coming from Romania, formed in 1977 in the city of Cluj by former members of the band Mondial, Iuliu Merc (guitar) and Stefan Boldijar (bass, vocals). The group recorded and released their debut Trenul Cursa of persoane Apahida in 1978. Already in the 80's and 90's Semnal M continued releasing some LPs and still plays gigs and is considered an important name in Romanian rock. Post here the second album, Cîntece transilvane , 1980 .
Consists of 10 tracks, most short (except the last), bringing a good and competent progressive rock, heavily influenced by folk on side A, and with beautiful acoustic melodies, and hard rock B-side, full of keyboard and guitar solos. The lyrics are all in Romanian, giving a difference to the sound guys .
Nothing extraordinary, but a recommended both for those who like hard prog and folk.


Ştefan Boldijar (vocal, baixo)
Iuliu Merca (guitar, vocal)
George "Ghiţă" Ciolac (teclado)
Solomon "Saci" Francisc (bateria)

A1 Glasul Pămîntului (Instrumental) 2:35
A2 Învățăturile Lui Badea Ion Din Apahida Către Fiul Său Gheorghe 2:34
A3 Bal La Apahida 2:50
A4 Colindătorii 3:54
A5 Primăvara Românească 3:26
A6 Fluier De Pământ 3:06
B1   O Roată De Foc 3:40
B2   Drumuri 4:16
B3   Lungul Drum Al Nopții Către Zi 3:15
B4   Mai Avem Multe De Făcut 8:35

sábado, 28 de dezembro de 2013

FOLK ROCK - TRIO DAG - Sećanja - 1974


Pérola formada em 1972, em Belgrado, na época Iugoslávia e atual capital da Sérvia. O Trio DAG (ou DAG) foi um trio composto por Dragan Popovic, Aleksandar Milanovic e Grujica Milanovic, daí a origem do nome do trio. A banda lançou alguns compactos e apenas um raro LP em 1974, com apenas 500 cópias e participação de vários músicos do país, relançado apenas em 2013 com faixas bônus. O trio encerrou as atividades apenas um ano depois, em 75.
O álbum Sećanja traz um bonito folk rock, na maioria do tempo acústico, contando com alguns momentos de progressivo. No instrumental, destaque para violão e percussão, que predominam, mas também algumas passagens de bateria, baixo, flauta, teclado e até sitar. O vocal também é muito bonito, várias vezes com os três cantando, as letras são todas na língua local.
Nada de excepcional, mas uma pérola muito legal de conhecer e ouvir. Recomendado para fãs de prog folk.
Link (Blog Ex-Yu Muzika)

Pearl formed in 1972 in Belgrade, former Yugoslavia and current capital of Serbia. The Trio DAG (or just DAG). The members were Dragan Popovic, Aleksandar Milanovic and Grujica Milanovic. The band released several singles and only a rare LP in 1974, with only 500 copies and participation of various musicians in the country, reissued in 2013 with bonus tracks. The trio ended its activities after only one year in 75.
The album Sećanja features a beautiful folk rock, most of the time acoustic, with some progressive moments. In instrumental, especially acoustic guitar and percussion, which predominate, but some passages of drums, bass, flute, keyboard and even sitar mark the sound. The vocals are also very beautiful, many times with the three singing, the lyrics are all in the local language.
Nothing exceptional, but a very nice pearl to know and hear. Recommended for fans of prog folk.

Info & Reviews: ProgArchives

Dragan Popović (violão, guitarra, vocal)
Aleksandar Milanović (violão, gaita, vocal)
Grujica Milanović (percussão, vocal)


Convidados:
Slobodan Markovic (teclado)
Ljubomir Ristic (sitar)
Branimir Malkoc (flauta)
Robert Nemecek (baixo)
Rasa Djelmas (bateria)

1 Svitanje 3:10
2 Jutro jednog pauna 3:09
3 Ljubav 2:33
4 Cvet starog samuraja 4:00
5 Tragovi u pesku 2:55
6 I kad 5:06
7 Na Drini ćuprija 8:40
8 I na kraju zvuk 4:27
Bônus:
9 Voz 4:16
10 Smiljana 4:09



sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

PROGRESSIVE ROCK - INDEXI - Modra rijeka - 1978


Indexi foi um dos primeiros grupos de rock da extinta Iugoslávia e também um dos mais duradouros da região. A banda foi formada em Sarajevo, atual capital da Bósnia e Herzegovina, em 1962, tocando beat/pop, nessa época o grupo lançou vários compactos e EPs com covers e composições próprias e alcançou sucesso fazendo shows por vários países do leste europeu. Lançaram apenas três LPs, o primeiro em 72, outro em 78 e o último em 1999. Apesar de continuar em atividade nas décadas de 80 e 90, o Indexi gravou muito pouco até se desfazer definitivamente em 2001.
Posto aqui o disco Modra rijeka, de 1978, considerado o melhor deles e um dos mais importantes de rock progressivo do país. Um álbum conceitual altamente elaborado com base nas letras de um dos mais conhecidos poetas da Bósnia, Mak Dizdar; com algumas passagens de simples palavras faladas. Instrumental muito bem trabalhado, dominado por excelente e longos solos de teclado, a guitarra e violão também tem momentos deslumbrantes, comparável aos melhores momentos de prog sinfônico italiano; linhas de baixo de bom gosto também marcam as 9 faixas presentes. Harmonia vocal muito bonita, com todas as letras na língua local.
Uma pérola altamente recomendada para fãs de rock progressivo.
Link

Indexi was one of the first rock groups of the former Yugoslavia and one of the most enduring of the region. The band was formed in Sarajevo, now the capital of Bosnia and Herzegovina in 1962, playing beat/pop, this time they released several EPs and singles with covers and own compositions and achieved success touring for several eastern European countries. Released only three LPs, the first at 72, another at 78 and the last in 1999. Although to remain active in the 80s and 90s, Indexi recorded very little until disbanded definitively in 2001.
Post here the disc Modra Rijeka, 1978, considered the best of them and one of the most important progressive rock of the country. A highly elaborate concept album based on the letters of one of the most popular poets of Bosnia, Mak Dizdar, with some passages of simple spoken words. Instrumental worked very well, dominated by long and excellent solos of keyboard, electric and acoustic guitar also has amazing moments, comparable to the best moments of Italian symphonic prog; tasteful basslines also mark the 9 tracks present. Beautiful vocal harmonies, with all the letters in the local language .
A pearl highly recommended for fans of progressive rock.


More info & reviews: ProgArchives

Davorin Popovic (vocal)
Fadil Redzic (baixo)
Nenad Jurin (teclado)
Djordje Kisic (bateria)
Slobodan A. Kovacevic (guitarra)

Convidados:
Tihomir Pop Asanovic (órgão)
Ranko Rihtman (piano)

1. Modra Rijeka (1:01)
2. Blago (4:05)
3. Brod (5:00)
4. More (11:19)
5. Zapis O Zemlji (0:38)
6. Slovo O Covjeku (5:52)
7. Pustinja (4:32)
8. More II (4:19)
9. Modra Rijeka II (6:51)



quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

PROG/ART ROCK - OTA PETŘINA - Super-Robot - 1978


Ota Petřina é um guitarrista e vocalista tcheco, nasceu em 1949 em Ústí nad Labem, na época Tchecoslováquia e atual região norte da República Tcheca. Começou na música durante a década de 70 no grupo Bacily e lançou apenas dois álbuns na carreira solo, em 1978 e 83, além desses LPs Petřina participou de vários grupos e projetos e compôs para filmes e outros artistas do país. Oto ainda está vivo e envolvido em alguns projetos pela região. Outra curiosidade sobre ele é que ficou sem se apresentar ao vivo por quase 15 anos (74-87) devido à uma proibição do governo comunista, por ele se recusar a cortar o cabelo comprido.
O álbum Super-Robot, de 1978, traz um som bonito, único e bastante diferenciado do que se fazia no "resto do mundo", misturando rock progressivo sinfônico, com alguns momentos de space rock psicodélico, experimental e outros de simples folk acústico e até mesmo blues rock (faixa 4), com todas as músicas cantadas na língua local. Algumas passagens de guitarra elétrica e acústica, assim como sintetizador marcam o instrumental; o vocal de Petřina também chama muito a atenção (positivamente), até um pouco teatral, com alguns momentos melancólicos e outros cantado alegremente. Destaque para as faixas "Já nejsem já", "Čas neodeslaných dopisů"  e "Super Robot".
Uma excelente pérola, recomendado para fãs de prog/art rock dos anos 70.
Link

Ota Petřina is a Czech guitarist and singer, was born in 1949 in Ústí nad Labem, Czechoslovakia at the time and current northern Czech Republic. Started in music during the 70s with the group Bacily and released only two albums in a solo career in 1978 and 83 in addition to these LPs Petřina participated in various groups and projects, and composed for movies and other artists. Oto is still alive and involved in some projects by region.
The album Super Robot, 1978, brings a beautiful and very unique sound. Mix symphonic progressive rock, with some moments of psychedelic/ space rock, experimental and other simple acoustic folk and even blues rock (track 4), with all songs sung in the local language. Some passages of electric and acoustic guitars, as well as the synthesizer mark instrumental, Petrina's vocal also draws a lot of attention (positively), even a little theater, with some melancholy moments and others sang cheerfully . Highlighting the tracks "Have nejsem now", "Čas neodeslaných dopisů" and "Super Robot".
A great pearl, recommended for fans of prog/ art rock of the '70s.



Info & reviews: Prog Archives

Ota Petřina (vocal, guitarra, flauta, gaita)
Vladimir Padrůněk (baixo)
Jan Neckář (piano, sintetizador)
Anatoli Kohout (bateria)

1 Já nejsem já (10:42)
2 Čas neodeslaných dopisů  (4:41)
3 Nebýt tebe (5:42)
4 Tak zazpívej jí blues (3:44)
5 Podivín (Weirdo) (1:54)
6 Computer III. Generace  (4:50)
7 Super Robot (11:34)
Bônus:
8 Karin (5:08)
9 Vnitřní svět tvých jantarových očí  (4:31)

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

PROGRESSIVE ROCK - DEŽO URSINY - Provisorium - 1973


Dežo Ursiny foi um músico, cantor e compositor nascido em 1947 na cidade de Bratislava, na época Checoslováquia, e atual capital da Eslováquia. É considerado um dos pioneiros e mais importantes nomes do rock no país, começando a carreira na música durante a década de 60, tocando e liderando vários grupos de beat rock, como The Beatmen e The Soulmen. Começou na carreira solo em 1970 e lançou seu primeiro LP em 73, após problemas com o regime comunista Ursiny passou 5 anos compondo apenas para filmes, voltando a gravar um álbum apenas em 1978, dali pra frente ele não parou mais, sendo dono de uma longa discografia. Em maio de 1995 Dežo faleceu devido ao um câncer.
Posto aqui o debut de Ursiny, o LP Provisorium (nome do seu último grupo, em 69) considerado o melhor do artista e gravado junto de vários ex-membros da banda Flamengo. Traz um ótimo e ambicioso (para o país) rock progressivo, com claras influencias de jazz fusion. É composto por 4 faixas, totalmente cantadas em inglês e com destaque para "Christmas time", de 19 minutos, contando com alguns arranjos mais complexos e belas e longas passagens instrumentais. No lado B o som se aproxima ao prog britânico da época, com maior destaque para o vocal de Ursiny. No instrumental destaque para a guitarra (tocada ao estilo de jazz), algumas passagens mais isoladas de flauta, sax, órgão, piano e bateria, esta última "ganha" um solo na última faixa.
No geral, um belo disco, mas sem muitas surpresas ou "extraordinariedades". Recomendado principalmente para fãs de rock progressivo.
Link (Stáhnout)

Dežo Ursiny was a musician, singer and songwriter born in 1947 in the city of Bratislava, Czechoslovakia at the time, and current capital of Slovakia. It is considered one of the pioneers and most important names in rock in the country, beginning his career in music during the 60s, playing and leading several groups of beat rock, as The Beatmen and The Soulmen. He began his solo career in 1970 and released their first LP in 73 and is owner of a long discography. In May 1995 Dežo passed away due to cancer .
Post here the debut Ursiny, the LP Provisorium, considered the best of the artist and recorded with several former members of the band Flamengo. Brings a great and ambitious (for the country) progressive rock, with clear influences of jazz fusion. It consists of 4 tracks, sung entirely in English and highlighting "Christmas time" , 19 minutes, with some more complex and beautiful arrangements and long instrumental passages. On side B sound approaches to the British prog of the time, most notably the vocal Ursiny. Instrumental in highlighting the guitar (played in jazz style), few isolated passages of flute, sax , organ, piano and drums, with a solo on the last track .
Overall, a beautiful album, but without a lot surprises. Recommended for fans of progressive rock.

More info & reviews: ProgArchives

Dežo Ursiny (guitarra, vocal)
Jaroslav Filip (piano, órgão, tímpano)
Vladimír Kulhánek (baixo)
Jaroslav Šedivý (bateria)
Jaroslav Kubík (flauta, saxofone)

1. Christmas time (19:23)
2. Looking for the place to spend next summer (6:02)
3. Apple tree in winter (4:47)
4. I have found (7:58)



segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

BLUES ROCK - OPUS ALFA - Same - 1972


Opus Alfa foi uma pérola formada no Uruguai em 1970 na capital Montevidéu, originalmente fazendo covers de artistas americanos como Hendrix. Já no ano seguinte, com a entrada do baixista Jorge Barral e do baterista Jorge Graf a banda começou a compor as próprias canções e buscar um som mais original, com letras em castelhano. Assim o grupo lançou o primeiro compacto, com um som um pouco mais voltado ao canbombe, música típica do país, e no ano seguinte, 1972, gravou e lançou seu único LP, esse já na linha do blues rock. O Opus Alfa acabou no mesmo ano, mas 3 integrantes da banda formaram na mesma época o trio Días de Blues, clássico do rock uruguaio nos anos 70.
O homônimo de 72 traz um típico blues rock muito bom, composto por 9 curtas faixas e na maioria do tempo calmas e lentas, com vários ótimos momentos de guitarra, contando ainda com alguns riffs ao estilo hard rock. Passagens de teclado, flauta e até violino também chamam a atenção em algumas faixas. Todas as letras são em espanhol/castelhano.
No geral, o disco não traz nada de extraordinário ou muito novo, mas alguns bons momentos ainda podem ser ouvidos. Pérola recomendada para quem curte blues rock.
Link

Opus Alfa was a pearl formed in 1970 in Uruguay capital Montevideo. The group released a single, with a sound a bit friendlier to canbombe, typical music of the country, and in the following year, 1972, recorded and released their only LP, longer in this line of blues rock. Opus Alfa disbanded in the same year, but 3 members of the band formed around the same time the trio Días de Blues.
The namesake of 72 brings very good blues rock typical of the era, composed of 9 short tracks and most of the time calm and slow, with lots of great guitar moments, still relying on some riffs to hard rock style. Some keyboard , flute and violin passages also draw attention to some tracks.
Overall , the album brings nothing extraordinary or very new, but some good moments can be heard. Pearl recommended for those who enjoy blues rock.

Daniel Bertolone (Guitarra, Flauta, Vocal)
Jorge Barral (Baixo, Violão, Guitarra)
Jesús Figueroa (Vocal)
Atilano Losada (Teclado, Violino)
Jorge Graf (Bateria, percussão)

1- Blues de mi ciudad (6:16)
2- Ilusión (2:26)
3- Vamos mal.Ah no! (5:10)
4- El hueco de mi soledad ( 7:15)
5- Miel y humo (4:02)
6- Padre (3:50)
7- Destino de mis pasos (5:08)
8- Tanguez (4:05)
9- Calma de un día (3:40)

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

HARD ROCK/BLUES - SAM DICE - Dutch Disease - 1978


Pérola holandesa formada na cidade de Losser no final da década de 60 pelos irmãos Frits, Arie e Harrie Ekkel. Com a entrada do baixista Kees Reinders o grupo Sam Dice lançou seu único e raro LP, de 1000 cópias e que nunca foi relançado em CD. A banda continua tocando por clubes e bares da Holanda, com frequência bem menor, no repertório músicas próprias e alguns covers.
O disco Dutch Disease traz um bom rock'n'roll, com várias passagens mais voltadas ao hard rock e blues, destaque para o ótimo vocal, todo em inglês, e tremendo trabalho de guitarra, com fortes riffs e solos de guitarra. Destaque para a faixa de abertura "A Diff'rent Town, A Diff'rent Sweetheart", com uma pegada country/hard, as mais pesadas "I Cannot get The Next Plano Home" e "Trouble Is Not What I Wanted" e a última e mais "bluseira" do álbum, Tears "Are Wasted All The Time", incrível blues rock com 7 minutos.
Link (Rock Archeologia)

Dutch pearl formed in the city of Losser in the late 60's by brothers Frits, Arie and Harrie Ekkel. With the additions of bassist Kees Reinders Sam Dice released their only and rare LP of 1000 copies and was never reissued on CD. The band continues playing for clubs and bars in the Netherlands, with a much lower frequency, repertoire own songs and some covers.
The album Dutch Disease features a good rock'n'roll, with several more devoted to hard rock and blues passages, especially the great vocal, all in english, and shivering guitar work, with strong riffs and guitar solos. Emphasis on the opening track "The Diff'rent Town, The Diff'rent Sweetheart" with a country / hard footprint, heavier "I Can not get The Next Home Plan" and "Trouble Is Not What I Wanted" and the last and more bluesy of the album: "Tears Are Wasted All The Time" amazing blues rock with 7 minutes.

Frits Ekkel – guitarra, vocal
Arie Ekkel - guitarra rítmica, vocal
Kees Reinders – baixo, vocal
Harrie Ekkel – bateria

01. A Diff'rent Town, A Diff'rent Sweetheart
02. I Cannot Get The Next Plane Home
03. You're In My Selection
04. Trouble Is Not What I Wanted
05. A Kind, Kind Love You Gave Me
06. Oh, Suzy
07. Tears Are Wasted All The Time





Os caras ao vivo, em 2010:

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

JAZZ FUNK - WOJCIECH KAROLAK - Easy! - 1974


Wojciech Karolak é um multi-instrumentista polonês, ele nasceu em 1939 na capital Varsóvia, se destacando por tocar órgão Hammond, apesar de também ter tocado sax e piano. Começou sua carreira no fim da década de 50 e passou por vários grupos de jazz no país de origem, formou seu trio e não parou mais, chegando a gravar com artistas americanos, por isso hoje é considerado um grande nome do jazz polonês e da região.
Posto aqui um dos vários trabalhos de Karolak, o álbum Easy!, de 1974 e que contou com presença de vários outros "dinossauros" do jazz polaco, como Czesław Bartkowski e Tomasz Szukalski. Traz um bom e relaxante jazz fusion, mergulhando no funk e até ritmos latinos em várias faixas como Strzeż Się Szczeżui, Easy e Why Not Samba. O disco é quase todo instrumental, apenas na primeira faixa ouvimos o vocal feminino de Ewa Wanat (do grupo Novi Singers), destaque para boas passagens do saxofone, percussão e claro, o órgão Hammond, sempre presente de forma arrebatadora.
Pérola bastante agradável, recomendado para quem curte jazz fusion/funk.
Link

Wojciech Karolak is a Polish multi-instrumentalist, he was born in 1939 in the capital Warsaw, highlighting for playing Hammond organ, though he also played sax and piano. He began his career in the late 50's and went through several jazz groups in the country of origin, formed his trio and never stopped, reaching record with American artists, so today is considered a big name in Polish jazz.
Post here one of several jobs Karolak, the album Easy!, from 1974 and attended by the presence of several other consecrated of Polish jazz, as Czesław Bartkowski and Tomasz Szukalski. Brings a nice relaxing jazz fusion, dipping into funk and even Latin rhythms on several tracks as Strzeż Sie Szczeżui, Easy and Why Not Samba. The album is almost entirely instrumental, only the first track we hear female vocals Ewa Wanat (group Novi Singers), especially good passages saxophone, percussion and of course the Hammond organ, always present sweeping fashion.


Info & Reviews: RYM, Polish Jazz

Wojciech Karolak - órgão Hammond, piano elétrico
Tomasz Szukalski, Janusz Muniak - saxofone
Tomasz Stańko - trompete
Wojciech Kowalewski - percussão
Czesław Bartkowski - bateria

A1 A Day in the City 5:20
A2 (DACP 796) Endless Transit 4:10
A3 Instant Groove 7:05
A4 Strzeż Się Szczeżui 3:45
B1 Easy 5:53
B2 Why Not Samba 4:12
B3 Seven Shades of Blue 3:55
B4 Goodbye 6:25



quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

HEAVY BLUES/PSYCH - THE HELPFUL SOUL - First Album - 1969


Pérola japonesa formada em Quioto em 1968 e que lançou apenas dois LPs no ano de 1969. The Helpful Soul infelizmente não conseguiu alcançar. Diz a história que o líder, guitarrista e vocalista do grupo Junio Nakahara após abrir um show para o Blues Creation com o Helpful Soul se "encantou" tanto com o som do Blues Creation que resolveu mudar seu próprio nome para Tstomu Ogawa, acabou com a banda e formou outra pérola, o Too Much,  com um som mais diferente e lançando um único álbum em 71.
Posto aqui o segundo álbum do grupo, curiosamente intitulado First Album. Traz 7 faixas de ótimo heavy blues psicodélico, bastante ácido e chapado, ficando claro a influencia de grandes nomes da época, como Cream e Hendrix, tanto que alguns covers destes estão presentes, como You Got Me Floatin' e Spoonful. Alguns bons e longos jams podem ser ouvidos, com destaque para guitarra barulhenta e bateria "nervosa", quanto as faixas "Peace for Fools", "Spoonful" e também "Crossroads" merecem ser ouvidas com mais atenção, todas as letras são em inglês.
Pérola de alta qualidade, altamente recomendado para quem curte heavy acid blues.
Link (Blog Contramão)

The Helpful Soul  was a japanese pearl formed in Kyoto in 1968 and released only two LPs in 1969. The story that the leader, guitarist and vocalist of the group Junio ​​Nakahara after opening a show for the Blues Creation with Helpful Soul was "delighted" with the sound of the Blues Creation that decided to change his name to Tstomu Ogawa, ended the group and formed another band: Too Much, with a more distinctive sound and releasing an album in 71 .
Post here the group's second album, curiously titled First Album. 7 tracks bring great heavy psychedelic blues, acid and very stoned, getting clear influences of bands like Cream and Hendrix, some covers are present, as You Got Me Floatin' and Spoonful . Some good and long jams can be heard, highlight for noisy  guitar and "nervous" drums, tracks as "Peace for Fools" , "Spoonful" and also "Crossroads" deserve to be heard with more attention, all the lyrics are in English .
Pearl of high quality, highly recommended for those who enjoy heavy acid blues.

Junio Nakahara (vocal, slide guitar)
Gene Shoji (guitarra)
Charles Che (baixo)
Eiichi Tsukasa (bateria)

1 Blues for My Baby 8:06
2 Fire 2:42
3 Peace for Fools 10:33
4 You Got Me Floatin' 3:14
5 Spoonful 14:48
6 Kansas City 3:42
7 Crossroads 5:13

Bônus (CD):
8 Little Wing 3:50
9 Aldin's Theme 2:35



terça-feira, 17 de dezembro de 2013

PSYCH ROCK - BABYLON - Take Me High / Κάθε βράδυ - 1971


Outra desconhecida pérola vinda da Grécia, o trio Babylon lançou apenas dois singles em 1971, durante os 2 únicos anos de atividade da banda (1970-72). Posto aqui o primeiro compacto deles, trazendo as canções "Take Me High" e "Κάθε βράδυ", o lado A traz um hard psicodélico, com bom trabalho de guitarra "ácida" e letra em inglês; a segunda música é mais voltada o beat rock psicodélico do final dos anos 60, cantada em grego. 
Pérola legal para conhecer.
Link

Another unknown pearl coming from Greece,  the trio Babylon has only released two singles in 1971, during the only 2 years of activity the band (1970-72). Post here the first single of them, bringing the songs "Take Me High" and "Κάθε βράδυ", the A side brings a heavy psych, good work "acid" guitar and lyrics in English and the second song is more geared to beat psychedelic rock of the late '60s, sung in Greek. Nice pearl.

Αλέκος Γλύκας [Alekos Glikas] (guitarra, vocal)
Εύρης Παρίτσης [Evris Paritsis] (baixo, vocal)
Λευτέρης Τζήμας [Lefteris Tzimas] (bateria)

A Take Me High
B Κάθε βράδυ



PSYCHEDELIC ROCK - PETALOUDA / LIVE - ι μπορείς να κάνεις στη ζωή σου / Θάθελα να φωνάξω - 1973

Grupo Πεταλούδα - 1973


Duas raridades vindas da Grécia, os grupos Live e Petalouda (em grego Πεταλούδα) nunca lançaram um álbum, apenas um compacto, cada uma com uma música, estas saíram do LP Pop Festival '73, que reuniu várias pérolas gregas do começo da década de 70. As duas canções Τι μπορείς να κάνεις στη ζωη σου (O que você pode fazer na sua vida) e Θάθελα να φωνάξω (Eu queria gritar) trazem um bom rock psicodélico, com letras em grego e também boas passagens de guitarra e órgão (lado A).
Link

Two rarities coming from Greece, the groups Live and Petalouda (Greek Πεταλούδα) never released an album, just a single, each with a song, that came out of the LP Pop Festival '73, which brought together several Greek pearls of early 70's. The two songs Τι μπορείς να κάνεις στη ζωη σου (What can you do in your life) and Θάθελα να φωνάξω (I wanted to scream) bring a good psychedelic rock, with lyrics in Greek and also good passages of guitar and organ (side A ).

Πεταλούδα:
Χρήστος Κουλουμπής (guitarra, vocal)
Γιώργος Αδαμόπουλος [Giorgos Adamopoulos] (baixo)
Ανδρέας Κουλουμπής [Andreas Kouloumpis] (bateria)
Θέμις Γεωργακόπουλος [Themis Georgakopoulos] (orgão)

Live:
Κώστας Μπίγαλης [Kostas Mpigalis] (vocal)
Κώστας Γεωργιάδης [Kostas Georgiadis] (guitarra)
Αλέξανδρος Καλιόπουλος [Alexandros Kaliopoulos] (baixo)
Χρήστος Κοντογιώργος [Hristos Kontogiorgos] (bateria)


Α Πεταλούδα - Τι μπορείς να κάνεις στη ζωη σου
B Live - Θάθελα να φωνάξω



segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

HARD ROCK - CHARLIES - Buttocks - 1970


Pérola vinda da Finlândia, formada no final da década de 60 na cidade de Lahti. O grupo Charlies lançou dois álbuns no ano de 1970 e foi um dos pioneiros do hard rock no país, mesmo assim não conseguiu sucesso como outros nomes finlandeses como Wigwam e Tasavallan President. Infelizmente a banda se desfez alguns anos depois, em 1973.
Posto aqui o segundo disco do grupo, Buttocks, mais "hardeiro" que o primeiro, este um pouco mais voltado para o blues psicodélico (mas que também é muito bom). Buttocks traz um ótimo hard rock, contando ainda com algumas influencias de blues e progressivo, lembrando outras bandas como Jetro Tull, Captain Beyond, Grand Funk e outras. Guitarra barulhenta e selvagem predomina e é o principal destaque, passagens de flauta e sax dão um bom toque progressivo em alguns momentos, outros instrumentos bem incomuns ao rock também aparecem, como tamborim, tambores e chocalhos. Todas as letras são em inglês.
No geral, outra ótima pérola. Hard rock poderoso, recomendado para fãs do estilo.
Link (Daily Prize for Good Music)


Pearl coming from Finland, formed in the late 60s in the city of Lahti. The group Charlies released two albums in 1970 and was a pioneer of hard rock in the country, yet failed to succeed as other Finnish names like Wigwam and Tasavallan President. Unfortunately the band disbanded a few years later, in 1973 .
Post here the second disc group: Buttocks, harder than the first, this is a bit friendlier to the psychedelic blues (but which is also very good). Buttocks brings a great hard rock, still relying on some blues and progressive influences, reminding other bands like Jethro Tull, Captain Beyond, Grand Funk and others. Noisy and wild guitar predominates and is the main highlight, passages of flute and sax give a good progressive touch in some moments, and other unusual instruments to rock also appear, such as tambourine, Moroccan Clay Drums, Cowbell and Sandballs. All lyrics are in English.
Overall, another great pearl. Powerful hard rock , recommended for fans of the style.


Eero Ravi- Guitarra
Kari Lehtinen- Baixo, tamborim
Igor Sidorow- Flauta, sax
Ari Ahlgren- Bateria, tambor
Wellu Lehtinen- Vocal, Gaita, Chocalhos

01. Tuesday Song 3:33
02. Like The Purpose Told Me 5:18
03. Smoggy Story 5:58
04. Try,Try Or You Will Never Die 7:52
05. Feeling That Feeling 3:15
06. Living For Myself (I'm A King Dreamer) 3:41
07. Madness And Other Kind Of Influences 5:23
08. For You Catherine And Before You 6:22



domingo, 15 de dezembro de 2013

HEAVY PSYCH - HAIR - Piece - 1970


Pérola vinda da Dinamarca, formada na capital Copenhague no final da década de 60. O grupo Hair lançou apenas um álbum em 1970, LP original vale um bom dinheiro hoje em dia. O quarteto se desfez em 1971, mas o baixista Allan Sørensen e o baterista Peter Valentin formaram a banda RiverHorse, que está na ativa até hoje.
Falando sobre o som do disco Piece, traz um bom heavy psych, típico da época, lembrando bastante as bandas da costa oeste americana, como Blue Cheer, Doors e outros. É composto por 6 faixas com bastante peso, com destaque para excelente trabalho da guitarra fuzz e órgão Hammond, outro ponto forte é o vocal de Paddy Gythfeldt, tudo cantado em inglês.
No geral, um álbum realmente surpreendente, "matador", sem nenhuma música ruim. Pérola altamente recomendada para quem gosta de hard rock psicodélico da década 60 e 70.
Link (Rock Rarities)

Pearl coming from Denmark, formed in the capital Copenhagen in the late 60s. The group Hair released only one album in 1970, the original LP is worth good money nowadays. The quartet disbanded in 1971.
Talking about the sound of the album Piece, it brings a good heavy psych, typical of the era, rather reminding the American West Coast bands such as Blue Cheer, Doors and others. It consists of 6 tracks with enough weight, highlighting the excellent work of fuzz guitar and Hammond organ, another strong point is the voice of Paddy Gythfeldt, all sung in English.
Overall, a really amazing album, "killer", with no bad music. Pearl highly recommended for those who like hard rock psychedelic decade of 60 and 70.

Paddy Gythfeldt - órgão, guitarra, vocal principal
Benny Dyhr - guitarra, vocal
Allan Sorensen - baixo, vocal
Peter Valentin Rolnes - bateria, percussão, vocal

01 Coming Through - 4:37
02 Supermouth - 3:44
03 Dream Song - 10:24
04 Everything's Under Control - 4:27
05 Pleasant Street - 6:21
06 Piece (Of My Heart) - 11:10

sábado, 14 de dezembro de 2013

SOUTHERN ROCK - CROSSROADS - Southern Strutter - 1979


Crossroads foi um grupo de rock sulista americano formado no meio dos anos 70 em Arkansas, uma verdadeira pérola que lançou apenas um raro e desconhecido álbum em 1979.
O som do Crossroads traz um típico southern rock dos anos 70, com ótimo trabalho das duas guitarras solos e algumas passagens de teclado e piano. Momentos mais melódicos e românticos, em faixas como "Angel" e "Soul Searchin'", são bem similares a outros nomes do estilos como The Marshall Tucker Band e outros mais "sujos" e empolgantes, com bons riffs, ao estilo de Lynyrd Skynyrd também são destaque, como nas faixas "Southern Strutter" e "Sowin' Our Wild Oates" se revezam nos mais de 30 minutos desse LP.
No geral, uma pérola que não mostra nada de extraordinário ou inovador no estilo, mas tem algumas ótimas passagens. Recomendado para fãs de country/southern rock.
Link

Crossroads was a southern rock American group formed in the mid '70s in Arkansas, a real pearl that launched only a rare and unknown album in 1979.
The sound of the Crossroads brings a typical southern rock of the 70s, great job with the two lead guitars and some passages of keyboard and piano. More melodic and romantic moments on tracks like "Angel" and "Soul Searchin '", are very similar to other names in styles like Marshall Tucker Band and The other most "dirty" and exciting, with good riffs in the style of Lynyrd Skynyrd are also featured, as the tracks "Southern Strutter" and "Sowin 'Our Wild Oates' take turns in more than 30 minutes of this LP.
Overall, a pearl that does not show anything unusual or innovative in style, but has some great passages. Recommended for fans of country / southern rock.



Ken Wheaton - guitarra
Bobby Rodgers - guitarra
John Echols - vocal, guitarra rítmica
Mike Taylor - vocal, teclado
Wayne Winston - baixo
Joe Laster – bateria

01. Sowin' Our Wild Oates - 4:26
02. Angel - 3:57
03. Which Way From Here - 3:07
04. Allison - 3:53
05. Southern Strutter - 3:55
06. Warm Day In The Winter - 3:48
07. Music On Our Mind - 3:43
08. Soul Searchin' - 3:47
09. Many Times - 4:10

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

PSYCHEDELIC ROCK - FOURTH SENSATION - Same - 1970


Mais um misterioso grupo italiano, o Fourth Sensation foi formado no final da década de 60 e lançou apenas um álbum em 1970 pela gravadora Ricordi International, como se fosse uma banda estrangeira,  tanto que o nome dos membros não está na capa, pois 3 eram de outro grupo italiano, o The Pleasure Machine. Mesmo assim o quarteto não conseguiu sucesso e acabou pouco tempo depois, alguns integrantes continuaram na carreira musical, participando de bandas bem mais conhecidas na região como Il Volo (Vince Tempera) e Area (Ares Tavolazzi).
O homônimo traz um bom rock psicodélico, longe do progressivo que dominava o rock do país na época, algumas passagens de blues e jazz também podem ser ouvidas, lembrando outros grupos como Blue Phantom e The Underground Set. Destaque principal para o excelente e "matador" Hammond, presente em todos os momentos e muito consistente, a guitarra, em alguns momentos fuzz, também aparece muito bem junto ao órgão em algumas faixas; as linhas de baixo, que ficam no segundo plano, também dão um bom tom as canções. Outra curiosidade sobre o disco é que todas as faixas tem nome de mulher terminados com a letra A.
No geral, um bom disco psicodélico, nada extraordinário, mas alguns ótimos jams podem ser ouvidos por aqui. Pérola recomendada!
Link

Another mysterious Italian group, Fourth Sensation was formed in the late 60's and released only one album in 1970 by Ricordi International label, like a foreign band, so the name of members is not on the cover because 3 were of another Italian group, The Pleasure Machine. Anyway, the quartet could not succeed and ended shortly thereafter, some members continued the musical career by attending and best-known bands in the region as Il Volo (Vince Tempera) and Area (Ares Tavolazzi) .
The namesake brings a good psychedelic rock, away from progressive rock that dominated the country at the time, some passages of blues and jazz can also be heard, reminding other groups as Blue Phantom and The Underground Set. Main highlight is the excellent and "killer " Hammond, present at all times and very consistent, guitar (fuzz in some moments) also appear fine with organ on some tracks, the bass lines, which is in the background, also give a nice tone to songs. Another curiosity about the disc is that all the tracks have a woman's name and end with the letter A.
Overall, a good hard psychedelic, nothing extraordinary, but some great jams can be heard here . Pearl recommended !

Vince Tempera (órgão)
Ares Tavolazzi (guitarra)
Angelo Vaggi (baixo)
Ellade Bandini (bateria)

A1 Julia
A2 Clarissa
A3 Vanessa
A4 Petula
A5 Elena
B1 Lisa
B2 Diana
B3 Marta
B4 Cinzia
B5 Georgia



PROGRESSIVE ROCK - LE ORE DI PUNTA - Come Adamo ed Eva / L' Abisso - 1972


Mais uma pérola italiana bastante rara e desconhecida do vasto "prog italiano", Le Ore di Punta nunca chegou a lançar um LP, apenas dois singles em 1972. A história e os membros do grupo são desconhecidos, posto aqui o segundo compacto da banda. As canções "Come Adamo ed Eva" e "L' Abisso" trazem um bom rock progressivo, bem suave (soft rock) com belo vocal masculino e músicas cantadas em italiano. Algumas passagens de flauta e piano merecem destaque.
Link

Line up: ?

01 Come Adamo ed Eva
02  L' Abisso

Very rare Italian pearl that never releasead an LP, just two singles in 1972. The story and the group members are unknown, post here the second single from the band. The songs "Come Adamo ed Eva" and "L 'Abisso" bring a good progressive rock, soft rock way, with beautiful male voice and songs sung in Italian. Some passages of flute and piano are noteworthy.



quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

PROGRESSIVE ROCK - MADDER LAKE - Still Point - 1973





















Mais uma pérola australiana formada em Melbourne, essa não tão desconhecida. O Madder Lake lançou 2 álbuns e vários singles nos seus 5 anos de atividades, pela "recém-nascida" Mushroom Records. Em 1978, ano que o grupo se desfez, foi lançado uma coletânea: The Best of Madder Lake. Posto aqui o primeiro e mais conhecido disco do Madder: Still Point, que foi relançado em CD na década de 90 e mais recentemente com várias faixas bônus do ao vivo no festival de Sunbury, em 1973 e músicas dos compactos da banda.
O álbum de estreia do grupo traz um ótimo rock progressivo, com canções originais e influencia de vários outros estilos como hard, blues, folk e rock psicodélico. Instrumental bem arranjado, guitarra em vários momentos com pedal wah-wah, piano e órgão se revezam . Outro destaque é o ótimo vocal de Mick Fettes, que encaixa bem nas canções. Um disco bem consistente, com várias faixas de bastante qualidade, principalmente Salmon Song, On My Way to Heaven e a última e talvez o hit da banda, 12-lb Toothbrush.
Link (When the Levee Breaks)
Site Oficial

Australian pearl formed in Melbourne. Madder Lake has released 2 albums and several singles in their five years of activities, by Mushroom Records. In 1978, a compilation "The Best of Madder Lake" was released. Post here first and best known album Madder: Still Point, which was reissued on CD in the 90s and more recently with several bonus tracks of live in Sunbury Festival in 1973 and the single songs of the band.
The group's debut album brings a great progressive rock, with original songs and influenced by various other styles as hard, blues, folk and psychedelic rock. Well arranged instrumental guitar at various times with wah-wah pedal, piano and organ take turns. Another highlight is the great vocals of Mick Fettes, which fits well in the songs. A very solid album, with several tracks of enough quality, especially Salmon Song, On My Way to Heaven and the last and perhaps the hit of the band, 12 - lb Toothbrush.
Very good Pearl , one of the highlights of the Australian rock , recommended for fans of '70s rock , particularly progressive.

More info & reviews -> RYM & Rock On Vinyl

Mick Fettes (Vocal)
Jack Kreemers (Bateria)
Brendon Mason (Guitarra)
Kerry Mckenna (Baixo)
John McKinnon (piano, órgão, vocal)
Andy Cowan (teclado)

A1 Salmon Song 8:23
A2 On My Way to Heaven 4:53
A3 Helper 5:12
B1 Listen to the Morning Sunshine 5:03
B2 Goodbye Lollipop 3:37
B3 Song for Too Little Ernest 4:29
B4 12lb. Toothbrush 6:02

HARD ROCK - CHOOK - Cold Feet / Tables Turn - 1971


Pérola vinda da Austrália, formada em Melbourne em 1970, o Chook só lançou um compacto em 1971 e acabou no final do mesmo ano. As músicas do grupo estão entrando em várias compilações recentes sobre sons obscuros da Austrália da década de 70; outra curiosidade é que a faixa lado A, "Cold Feet" teve um vídeo promocional. Seu single traz duas ótimas e canções na melhor linha "hardão setentista", arrebentando com bons riffs e solos de guitarra e também ótimo vocal, realmente essa banda tinha potencial para gravar um álbum. Recomendado para fãs de hard rock.
Link


Australian band formed in 1970 that only released a single in 1971, following the line of '70s hard rock with great guitar riffs and solos and nice vocal. Pearl recommended for fans of hard rock.

Mick Sampson (vocal)
Alex O'Hara (guitarra)
Ian Ryan (baixo)
Jeff Lowe (bateria)

A Cold Feet 3:05
B Tables Turn 3:10







quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

PSYCHEDELIC ROCK - VÄNTOREL - Ma olen nahktiibadega Väntorel - 1997 (1971)

Pérola muito desconhecida e rara, vinda da Estônia socialista. O Väntorel foi um grupo que durou pouco mais de um ano, formado em 1970 na capital Tallinn originalmente com o nome de Keldriline Heli, a banda nunca chegou a lançar um LP ou compacto nos seus poucos meses de atividade, apenas em 1971 o grupo gravou várias faixas, que só vieram a ser lançadas em 1997, já em CD pela Salumuusik. Pouca informação se sabe sobre o grupo na internet, e a maioria ainda está em russo.
As 15 faixas trazem um bom rock psicodélico, com algumas influencias de prog e hard rock. Instrumental "pesado", com incríveis passagens e revezamento de órgão e guitarra distorcida, bem ao estilo Deep Purple, marcam esse som. O vocal é masculino e feminino, faixas cantadas na língua local também dão um toque mais especial as músicas (apenas Hot Sun é cantada em inglês).
Ótima pérola, rock pesado/ psicodélico de qualidade. Recomendado para fãs dos estilos.
Link

Unknown and very rare pearl coming of socialist Estonia Väntorel was a group that lasted just over a year, formed in 1970 in the capital Tallinn originally under the name Keldriline Heli, the band never got to release an LP or compact in its few months of activity, only in 1971 the group recorded multiple tracks, which only came to be launched in 1997, now on CD for the Salumuusik. Little information is known about the group online, and most are still in Russian.
The 15 tracks bring a good psychedelic rock, with some influences of prog and hard rock. "Heavy" instrumental, with incredible passes of organ and distorted guitar, in Deep Purple style, mark the sound. The voice is male and female, tracks sung in the local language also give a more special  touch to the songs (only Hot Sun is sung in English).
Great pearl, quality heavy/psychedelic rock. Recommended for fans of the styles.

Lagle Alpius (vocal)
Andres Valkonen (teclado, órgão, vocal)
Andres Talvik (vocal)
Viljar Rähn (guitarra, vocal)
Härmo Härm (guitarra rítmica)
Ants Rand (baixo)
Tiit Plaks (bateria)

1. Ma olen nahktiibadega väntorel 6:12
2. Inimesed vaatavad merele 2:56
3. Kollaste lillede org 5:00
4. Loodus 4:33
5. Kas sa suudad 3:17
6. Kuusiku metalne lainetus 2:22
7. Hot Sun 2:45
8. Kotkalend 3:11
9. Julgus 3:14
10. Sa tulid tuppa 5:10
11. Otu ja Mari 2:23
12. Hääled 3:29
13. Maailm ilma rohukõrreta 3:10
14. Väsimus 4:04
15. Väntoreli lein 4:46



terça-feira, 10 de dezembro de 2013

ZAM ROCK/ ACID - SALTY DOG - Same - 1976


Quando achei que todos os grupos de Zam Rock já haviam sido postados aqui no blog, eis que aparece mais uma pérola do país africano: Salty Dog. A banda foi uma das mais obscuras do movimento e surgiu "na onda" de grupos importantes da época, como Witch e Amanaz, foi formada no meio da década de 70 como trio e lançou apenas um homônimo em 1976, pela pequena gravadora local Zambezi, desaparecendo alguns anos depois. O tempo passou e o trio continuou na obscuridade, apenas em 2013 a o disco foi relançado em CD e vinil com faixas bônus pela Strawberry Rain, que vem relançando obscuros registros de bandas da África e Ásia. E assim aos poucos a história e a música do grupo começa a ser divulgadas na internet.
O som da banda traz o típico Zam Rock, muito influenciado pelo rock psicodélico e ácido americano e britânico da época, o blues rock e a música africana também tem algumas passagens. A guitarra fuzz sempre muito presente é o destaque na parte instrumental, bateria "agressiva" também tem ótimos momentos. Algumas faixas mais acústicas e românticas também podem ser ouvidas, como Try A Little Harder e Lullaby. As músicas são todas em inglês. Um álbum muito consistente, com várias ótimas faixas, destaque principal para as três primeiras: Fast, Mama e See The Storm.
Pérola altamente recomendada para fãs de Zam Rock e rock psicodélico.

Salty Dog was one of the more obscure bands of the Zam Rock movement, started influenced by important groups of the era, such as Witch and Amanaz. The group was formed in the mid-70s as a trio and released just an album in 1976, the small record Zambezi , disappearing after a few years . Time passed and the trio continued in obscurity, in 2013 the album was reissued on CD and vinyl with bonus tracks by Strawberry Rain.Now gradually the story and music of the group begins to be disclosed on the Internet .
The band's sound brings the typical Zam Rock, heavily influenced by American and British psychedelic/acid rock of the time, blues rock and African music also has some passages . The fuzz guitar always present is the highlight in the instrumental part, "aggressive" drums also has great moments. Some more acoustic and romantic tracks can also be heard as Try A Little Harder and Lullaby. The songs are all in English. A very consistent album, with several great tracks, main highlight for the first three : Fast , Mama and See The Storm.
Pearl highly recommended for fans of Zam Rock and psychedelic rock .

Info & Reviews: Afrobeat Music

Jackie Mumba - guitarra, vocal
Norman Muntemba - baixo
Alex Mwilwa - bateria.

01. Fast
02. Mama
03. See The Storm
04. Down In My Shoes
05. Try A Little Harder
06. Tisauke
07. Sunshine In My Hair
08. Have you Got it
09. Doggy Rock
10. Lullaby
11. Sunday Morning Sunshine (Bônus 7")
12. Down In My Shoes (Bônus 7")



segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

ACID FOLK - ERICA POMERANCE - You Used to Think - 1968



Obscura pérola vinda do Canadá. Erica Pomerance foi (ou é) uma cantora, produtora e poeta canadense de Montreal, em 1968 ela reuniu um grupo de músicos para a gravação do seu primeiro e único álbum, entre eles membros do grupo americano Octopus Dion Grody, Lanny Brooks e Craig Justen e outros como Billy Mitchel e Richie Heissler. Depois do lançamento a cantora sumiu do mapa e nunca mais lançou alguma coisa, pouca informação se sabe sobre ela, apenas em 2009 o álbum foi remasterizado e relançado em CD.
Seu disco, You Used to Think, traz uma forte e clara influencia do folk rock psicodélico feito principalmente na Inglaterra daquela época. Essa gravação traz de diferencial o som experimental, viajante e em momentos até hipinótico, expressado muito bem em faixas como Koanisphere e Anything Goes. O vocal é todo feminino, em inglês e em alguns pontos falado, outros cantado e até em momentos "chapado", com alguns gemidos e gritos ao fundo. Na parte instrumental o violão domina, acompanhado suavemente em algumas faixas pela flauta e sax; até a sitar, instrumento típico da música indiana, tem algumas tímidas passagens.
Pérola meio difícil de gostar, mas de muita qualidade. Altamente recomendado para fãs de acid folk.
Link (The Music Weaver)

Obscure pearl coming from Canada. Erica Pomerance is a singer, producer and poet of Montreal, in 1968 she gathered a group of musicians to record her first and only album, among them members of the American group Octopus Dion Grody , Lanny Brooks and Craig Justen and others like Billy Mitchell and Richie Heissler. After launching the singer never released anything, little information is known about her, only in 2009 the album was remastered and reissued on CD.
Erica Pomerance
Her album: You Used to Think, brings a strong and clear influences from folk psychedelic rock made ​​mostly in England at that time. This record brings experimental, traveller and even Hypnotic sounds, expressed very well on tracks like Koanisphere and Anything Goes. The vocals are all female, in English with spoken , sung and even other "stoned" moments , with some moans and screams in the background . Instrumental part in the guitar dominates, gently accompanied on some tracks by flute and sax, sitar have a few tickets shy .

More info & reviews: The Savage Saints & RYM

Richard Heisler - Violão
Erica Pomerance - Vocal e letras
Trevor Koehler - Saxofone
Gail Pollard - Sitar, Flauta

Participações:
Lanny Brooks - baixo
Tom Moore - flauta
D. Cooper Smith - percussão
Dion Grody - violão

A1 You Used To Think 3:15
A2 The Slippery Morning 3:46
A3 We Came Via 7:03
A4 The French Revolution 3:21
A5 Julius 4:42
B1 Burn Baby Burn 5:40
B2 Koanisphere 7:08
B3 Anything Goes 5:31
B4 To Leonard From The Hospital 5:27



domingo, 8 de dezembro de 2013

JAZZ ROCK - J.F. MURPHY & FREE FLOWING SALT - Almost Home - 1970

Pérola norte-americana de Jazz rock, formada no final da década de 60 pelo cantor, compositor e guitarrista americano J.F. Murphy. Posto aqui o primeiro álbum do grupo, na época chamado J.F. Murphy & Free Flowing Salt, que depois viria mudar para JF Murphy & Salt, com o qual viria lançar mais dois álbuns no começo da década 70, todos com a mesma formação. Já em 1975 Murphy desmancha o antigo grupo e forma o Murphy's Law, com o qual lançou um álbum sem sucesso e desistiu da carreira musical.
O disco Almost Home , de 1970, traz uma interessante mistura de vários estilos, variando entre jazz, rock, folk, blues e alguns momentos de improviso. Belas e bem construídas passagens instrumentais de saxofone, flauta, guitarra, piano e até gaita de boca marcam as canções. Destaque para Trilogy, com 3 partes e também First Born e Waiting Hymn of the Republic.
No geral, uma pérola muito legal para ouvir e conhecer, recomendado para fãs de jazz rock e rock dos anos 70.
Link (Blog Progressive Review)

U.S. Jazz rock Pearl, formed in the late 60s by singer, songwriter and guitarist J.F. Muurphy. Post here the first album, at that time Muurphy JF & Free Flowing Salt, who would later change to JF Murphy & Salt, with which would release two more albums in the early 70's, all with the same lineup. By 1975 Muurphy split the old group and the form Murphy's Law, with which released an album without success and gave up the music career.
The album Almost Home, of 1970, brings an interesting mix of various styles, ranging from jazz, rock, folk, blues and some moments of improvisation. Fine and well constructed instrumental passages with saxophone, flute, guitar, piano and harmonica mark the songs. Highlight for Trilogy, with 3 parts and also First Born and Waiting Hymn of the Republic.
Overall, a very nice pearl to listen and know, recommended for fans of jazz rock and '70s rock.

More Info & Reviews: ProgNotFrog

Russell Warmolts - Baixo, Back Vocal
Ronnie Allard - Flauta, Saxofone, Back Vocal
George Christ - Congas, Gaita, Percussão, Back Vocal
J.F. Murphy - Guitarra, Teclado, Piano, Vocal
Bobby Kurtz Paiva - Bateria

01. Medley - Rocknroll Band II and I
02. Sing your Song
03. Waiting Hymn of the Republic
04. Northbound Train
05. First Born
06. Trilogy (A Lifeline - B The Example)
07. Trilogy (C The Immigrant)
08. Almost Home
09. Where has the Laughter Gone

sábado, 7 de dezembro de 2013

BLUES ROCK - LA QUINTA VISIÓN - Monkey's Shout (EP) - 1971


La Quinta Visión foi uma pérola, também mexicana, formada em Guadalajara em 1967, originalmente fazendo covers de grupos como Doors, Beatles e Cream. A banda chegou a gravar dois EPs no ano de 1971, já com composições próprias e se tornou importante nome do rock na região, junto com La Revolución de Emiliano Zapata, La Fachada de Piedra, 39.4 e outros. Após várias mudanças, o grupo acabou em 1975.
Posto aqui o segundo e último EP, com o nome de Monkey's Shout (Lamentos de un Mico), trazendo 3 curtas faixas de um ótimo e agitado blues rock, também influenciado pelo psicodélico inglês/americano. Conta com excelentes e "matadoras" passagens de guitarra e gaita de boca, todas as letras são em inglês.
Pérola arrasadora, ótima pedida para fãs de blues rock.
Link
Capa com as canções em inglês

Fernando Dávalos Orozco (Vocal)
Pedro Goñi Fregoso (baixo)
Guillermo Dávalos Orozco (guitarra)
José Luis La Changa Sainz González (guitarra)
Francisco Paco Goñi Fregoso (bateria)

1 Monkey's Shout 3:44
2 Let Them Run 2:55
3 Don't Hide Your Love 2:48


La Quinta Visión was a Mexican pearl, formed in Guadalajara in 1967, originally doing covers of groups like Doors, Beatles and Cream. The band recorded two EPs in 1971, now with its own compositions and has become an important name rock in the region, along with La Revolucion Emiliano Zapata, 39.4 and others. After several changes, the group disbanded in 1975.
Post here the second and last EP, with the name of Monkey's Shout (Laments un Mico), bringing 3 short tracks of a great blues rock, psychedelic influenced. It has excellent and "killer" passages of guitar and harmonica, all the lyrics are in English.
Really good pearl, great choice for fans of blues rock.




LATIN ROCK - LOS CLICKS - We Gotta Get You a Woman / Foolish People - 1971


Pérola mexicana realmente rara e obscura, a história e os integrantes do Los Clicks são um mistério, o grupo lançou apenas um compacto em 1971 e desapareceu do mapa. Deixaram nesse seu único registro duas boas canções com ritmo latino, influenciado também pelo rock psicodélico. Destaque para a percussão e guitarra (principalmente na faixa Foolish People). As letras são todas em inglês e também traz um cover da banda americana Runt.  

Mexican Pearl really rare and obscure, history and members of the Los Clicks are a mystery, the group released only a single in 1971 and disappeared. Left in its only record two good songs with a Latin rhythm, also influenced by psychedelic rock. Emphasis on percussion and guitar (mainly in the track Foolish People). The lyrics are all in English and also features a cover of the American band Runt.

Info: RYM

Line up: ?

A - Foolish People
B - We gotta get you a woman



quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

PSYCHEDELIC ROCK - FLUIDO - Same (EP) - 1969

Informação sobre a banda Portuguesa Fluido, do site Os Reis do Yé Yé:
"Com o fim dos Sheiks, o  Paulo de Carvalho integra o Trio Combo e em 1968 forma a Banda 4, com a qual edita 1 EP. Em 1969, funda O Fluido, com Luis Romão e Cristiano Semedo (ex-Banda 4) e Filipe Mendes (ex-Chinchilas). No entanto Paulo de Carvalho começa a se destacar solo e muitas músicas dos Fluido são editadas apenas em nome de Paulo de Carvalho. Em 1970, o grupo já não existe. Em 1971, todas as musicas gravadas com os FLUIDO são lançadas num LP da Polydor com o nome de "Paulo de Carvalho"".
Posto aqui o primeiro e único EP do Fluido, com 4 canções bem curtas (casa dos 2 minutos), com um típico rock psicodélico do final daquela década, com algumas boas passagens de guitarra, teclado ao fundo e também bons vocais, as letras são em inglês e também português.
Link (Blog Músicas dos Anos 60)

Information of the Blog "Reis do Yé Yé":
"With the end of the Sheiks, Paulo de Carvalho integrates Combo and in 1968 form the Band 4, with which edits 1 EP. In 1969, he founded Fluido with Luis Romãoo and Cristiano Semedo (ex-Band 4) and Philip Mendes (ex-Chinchillas). Nevertheless Paulo de Carvalho begins to stand out and many solo songs of fluid are edited only in the name of Paul de Carvalho. In 1970, the group no longer exists and in 1971 all songs recorded with Fluido are launched in the LP under the name "Paulo de Carvalho" ".
Post here the first and only EP Fluid, with 4 songs very short (around 2 minutes), with a typical psychedelic rock of the end of that decade, with some good passages of guitar, keyboard in the background and vocals also good, the lyrics are in English and Portuguese.

Paulo de Carvalho - vocal
Luis Romão - bateria
Cristiano Semedo - baixo
Filipe Mendes - guitarra

A1 Idade dos Lilazes
A2 O Homem Sentado
B1 People Begin to See
B2 I'm Warning



terça-feira, 3 de dezembro de 2013

VARIOUS - Those Shocking Shaking Days: Indonesian Hard, Psychedelic, Progressive Rock And Funk: 1970-78 - 2011


Mais uma recente compilação de obscuras pérolas de regiões "fora do mapa" do rock nos anos 70. Those Shocking Shaking Days foi lançado originalmente em 2011 em CD pela Now-Again Records e contém 20 canções remasterizadas de grupos diferentes e todos esquecidos do rock no país durante a década de 70 (1970-78), a compilação também saiu em LP triplo, junto com um livro trazendo imagens e histórias de cada pérola. A maioria das bandas aqui presentes foram formadas no final da década de 60 e várias chegaram a lançar um LP na época.
As faixas variam muito de estilo, indo do hard rock (Freedom Of Rhapsodia, por exemplo) até o funk/soul, passando também pelo rock psicodélico "fuzzado", acid e progressivo. Percebe-se uma boa mescla de música (principalmente rock) ocidental com os ritmos e folk regional. As letras são em inglês e outras na língua local, algumas bandas também ousaram ao fazer críticas políticas, já que o país passava por uma ditadura. Algumas passagens "matadoras" de guitarra, presença de órgão em alguns momentos marcam bem esse lançamento. Destaque também para as faixas "Do What You Like", do AKA, "Evil War", do Shark Move e "Freedom", do Freedom Of Rhapsodia e a longa e bem trabalhada "Don't Talk About Freedom", do Gang of Harry Roesli.
No geral, uma compilação de muita qualidade, recheado de boas músicas. Altamente recomendado para quem está conhecendo ou quer conhecer rock da Indonésia e também para fãs de prog/psych dos anos 70.
Link (Experimental etc)

Recent compilation of obscure pearls of  unknown regions of rock in the '70s. Those Shocking Shaking Days was originally released in 2011 on CD by Now-Again Records and contains 20 remastered songs from different groups and all forgotten rock in the country during the 70's (1970-78), it was also released as 3xLP bringing a book with pictures and stories of each band. Most of them were formed in the late 60's and several launched an LP at the time.
The tracks vary greatly in style, going from hard rock (Freedom Of Rhapsodia , for example) to the funk / soul also reaching fuzz psych/acid rock and progressive. We can listen a good mix of Western music (mostly rock) with rhythms and regional folk. The lyrics are in English and other local language, some bands also made political criticisms. Some passages of "killer" guitar , presence of organ in a few moments mark this release as well . Also highlighting the tracks " Do What You Like", AKA; " Evil War " by Shark Move and " Freedom ", Freedom Of Rhapsodia .
Overall, a compilation of high quality , full of good songs. Highly recommended

1 Panbers – Haai
2 The Brims – Anti Gandja
3 Rollies – Bad News
4 Super Kid – People
5 Shark Move – Evil War
6 Golden Wing – Hear Me
7 AKA – Do What You Like
8 IVO's Group – That Shocking Shaking Day
9 Ariesta Birawa Group – Didunia Yang Lain
Freedom of Rhapsodia
10 Terenchem – Jeritan Cinta
11 Benny Soebardja And Lizard – Candle Light
12 Koes Plus – Mobil Tua
13 The Gang Of Harry Roesli – Don't Talk About Freedom
14 Black Brothers – Saman Doye
15 AKA – Shake Me
16 Rasela – Pemain Bola
17 Freedom Of Rhapsodia – Freedom
18 Rhythm Kings – The Promise
19 Duo Kribo – Uang
20 Murry – Pantun Lama


AKA, importante banda do país na época