Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

sábado, 30 de novembro de 2013

SPACE/PSYCH ROCK - NYL - Same - 1976


Pérola francesa formada em 1975, projeto do guitarrista Michel Peteau e do baterista Stéphane Rossini após o fim do antigo grupo dos caras, o Cheval Fou. A banda Nyl contava com vários membros e lançou apenas um raro LP em 1976, que foi relançado recentemente em CD com faixas bônus pela Psych Up. O grupo acabou pouco tempo depois da gravação de seu único homônimo.
O som do grupo nesse único registro traz faixas viajantes e longas, Jams dominados pelo rock psicodélico, progressivo e space (principalmente quando os sintetizadores aparecem), pode-se ouvir alguns momentos de improviso e até Zeuhl. Todas com muita qualidade instrumental, contando com excelentes passagens de teclado, guitarra, baixo e bateria; as letras são em francês e o vocal é masculino e feminino.
Pérola muito boa, recomendada para fãs de space rock e psicodélico.
Link (When The Levee Breaks)

More info & reviews: ProgArchives and RYM

Michel Peteau (guitarra)
Stephane Rossini (bateria)
Jannick Top e Patrick Fontaine (baixo)
Elisabeth Wiener (vocal)
Loy (piano - 1)
D.B.F. (sintetizador)
Freequentin (saxofone)
Ariel Kalmar (saxofone, flauta)
Bernard Lavialle (guitarra - 2,5,7)

1. Nyl (8:04)
2. Abery (3:22)
3. Nyarlathotep (2:35)
4. Shatt (1:24)
5. Dromadaire Bleu (3:02)
6. Ailes D'or (3:08)
7. Dervishes (2:39)
Bônus 2011:
8. Ibha (3:53)
9. Jaguar I (2:19)
10. Jaguar II (1:01)
11. Nyl II (9:23)
12. Surfing Ibha (2:15)
13. Nyarlathotep II (2:22)
14. Nyl III (9:04)
15. Alex (10:50)



sexta-feira, 29 de novembro de 2013

ANATOLIAN ROCK - EDIP AKBAYRAM - Same - 1974


Pérola vinda da Turquia, e dos anos 70. Edip Akabayram é um cantor e compositor turco que ficou conhecido, junto com outros nomes como Erkin Koray e Cem Karaca, pelos seus discos de rock psicodélico turco nos anos 70, o Anadolu rock (rock da Anatólia). Akbayram começou no fim dos anos 60, formando o grupo Edip Akbayram & Dostlar, com o qual lançou alguns discos e partiu para a carreira solo, lançando seu primeiro álbum em 1974 e está até hoje está na ativa, com uma extensa discografia e o mais recente trabalho de 2012.
Posto aqui o homônimo e primeiro de Edip. O disco traz um típico som do rock turco dos anos 70, como já disse antes, o rock da Anatólia, marcado pela mistura do rock psicodélico do ocidente e a música tradicional do país. As faixas são todas curtas e não tem longos momentos instrumentais, as letras são todas na língua local. A parte instrumental mostra bem essa mescla, contando com instrumentos regionais como Saz, Bağlama, etc. e também presença de guitarra wah wah, e prestem atenção ao baixo, que vai muito bem no "segundo plano" das canções.
Imagem atual de Edip Akbayram
Link

Edip Akabayram is a Turkish singer and songwriter who was known, with other names such as Erkin Koray and Cem Karaca, for their albums of Turkish psychedelic rock in the '70s, the Anadolu rock (Anatolian Rock) . Akbayram began in the late '60s , forming Edip Akbayram & Dostlar group which released some albums and departed for a solo career, releasing his first album in 1974 and is today is on active duty, with an extensive discography.
Post here and the eponymous Edip Akbayram. The album features a typical sound of turkish '70s rock, as I said before, the Anatolian rock, marked by a blend of western psychedelic rock and traditional music from the country . The tracks are all short and has no long instrumental moments, the lyrics are all in the local language. The instrumental part shows well this mix, with regional instruments such as Saz, bağlama, etc... and also the presence of wah wah guitar, and pay attention to the bass, which goes very well in the "background" of the songs.

Info & Reviews: Hair of the Beard & RYM

Edip Akbayram (vocal)
Cudi Koynuncu (bağlama, tef, divan, saz, cura)
Galip Kayıhan (guitarra)
Mithat Danışan (baixo)
Ayzer Danga (bateria, percussão)
Murat Ses (teclado)

A1 İnce İnce Bir Kar Yağar 3:02
A2 Değmen Benim Gamlı Yaslı Gönlüme 4:59
A3 Dumanli Dumanli Oy Bizim Eller 3:06
A4 Anam Ağlar Başucumda Oturur 4:02
A5 Boşu Boşuna 3:04
B1 Daglar Dagladi Beni 4:55
B2 Yakar Icenden Icenden 4:00
B3 Deniz Üstü Köpürür 3:29
B4 Sev Beni Beni 2:24
B5 Kükredi Çimenler 4:17




quarta-feira, 27 de novembro de 2013

COUNTRY ROCK - TAYLOR - Same - 1972



Pérola formada na Nova Zelândia, na cidade de Auckland, no começo da década de 70 e que lançou apenas um raro álbum em 1972. O Taylor foi quase um "supergrupo" neozelandês de rock desconhecido, pois contava com ex-membros de pequenas bandas locais como Rebirth, Dizzy Limits, Farmyard e outros. grupo lançou apenas um álbum em 1972 e acabaram logo um ano depois, quando o baterista Keith Norris e o baixista Clint Brown formaram o Rockinghorse, depois do fim alguns membros também tentaram formar outras bandas ou seguir carreira solo.
O homônimo de 72 traz um bom country rock, composto de apenas 7 curtas faixas, contando ainda com algumas poucas passagens de hard e blues rock. Destaque para presença de duas guitarras "matadoras" (que aparecem muito bem em faixas como Simpsons World), bons riffs e solos e também para os vocais de Steve McDonald. As letras são todas em inglês e falam sobre temas típicos do estilo: shows country (Brand New County Show), estrada (Brand New Road) e mulheres (Good Time Woman). Destaque para as faixas Time, Simpson's World e Brand New Road.
Uma pérola esquecida, mas de muita qualidade, recomendado principalmente para fãs de country rock.
Link (Plixid.com)

Pearl formed in Auckland, New Zealand, in the early 70s and has just launched a rare album in 1972. Taylor was nearly a New Zealander "supergroup" of unknown rock, as had former members of small local bands like Rebirth, Dizzy Limits, Farmyard and others. The group released only one album in 1972 and ended just a year later, when drummer Keith Norris and bassist Clint Brown formed Rockinghorse, after 73 of some members also tried to form other bands or solo career .
The self titled of 72 brings a good country rock, composed of just 7 short tracks, still relying on a few passages of blues and hard rock . Highlighting the presence of two guitars (which appear very well on tracks like Simpsons World) , good riffs and solos, and also to the vocals of Steve McDonald. The lyrics are all in English and talk about typical style themes: Country concerts (Brand New County Show), road (Brand New Road ) and women (Good Time Woman) .
A forgotten pearl, but still with a lot of quality , especially recommended for fans of country rock.


More Info: New Zealand Music

Keith Norris (Bateria/ Percussão)
Steve McDonald (Teclado/ Vocal)
Kevin Bayley (Guitarra)
Rick White (Guitar rítmica)
Clint Brown (Baixo)

A1 Good Time Woman
A2 Span the Ocean
A3 Simpson's World
A4 Hard Life
B1 Time
B2 Brand New County Show
B3 Brand New Road



terça-feira, 26 de novembro de 2013

PSYCH JAZZ ROCK - OKTAVA - Same - 1972



Oktava foi uma obscura pérola vinda da antiga URSS, mais precisamente da Lituânia (na época República Socialista), formada em Kaunas no final da década de 60 fazendo covers. Passado alguns anos, o grupo mudou a formação e passou a compor suas próprias canções e tocar em alguns países vizinhos, até que em 1972 lançaram o primeiro de três álbuns, pela gravadora estatal Мелодия (Melodiya).
Posto aqui o segundo, homônimo álbum e também mais roqueiro de todos, de 1972. O som da banda traz uma grande variedade de estilos, passando pelo rock psicodélico, jazz rock, funk e até um pouco de opera e prog rock. O vocal é masculino e feminino, instrumental conta com boa presença de trompete, sax, percussão, piano/teclado e guitarra. As letras são todas na língua local (lituano/russo). Três faixas ainda são feitas em parceria com uma outra pérola local, essa sim com som voltado ao Rock'n'roll: o Gintarėliai.
Raridade legal de ouvir, recomendado para quem gosta de jazz funk/rock europeu.
Link (Soviet Groove)

Vytautas Petrušonis - vocal
Raimonds Pauls - piano
Rimantas Brazaitis - saxofone
Janina Miščiukaitė - vocal
Virginijus Švabas - guitarra
Eimuntas Švabas - baixo
Valerijus Salyginas - bateria

A1 Pavasariška nuotaika
A2 Daina Kaunu
A3 Žingsniai
A4 Svajonė
A5 Gintarėliai - Žemės gaudesys
A6 Gintarėliai - Stebis tėtis ir mama
A7 Gintarėliai - Dar mes susitiksim
B1 Gyvenimo ratas
B2 Mėlyna daina
B3 Mažas, mažas kambarėlis
B4 Pėdos smėlyje
B5 Skrendančios dienos
B6 Pievų oras





Gintarėliai:

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

PROGRESSIVE ROCK - GOMA - 14 Abril - 1975


Banda espanhola formada na Andaluzia em 1974 por ex-membros das bandas Chilcle, Caramelos y Pipas e Gong (espanhol). O Goma teve vida curta e lançou apenas uma pérola no ano de 1975 até acabar no final do mesmo ano. O LP 14 Abril só foi relançado 20 anos depois, pelo Lost Vinyl.
O álbum traz uma ótima mistura de rock andaluz, progressivo, jazz fusion e space/psych. É composto de 4 longas e bem elaboradas faixas, na maioria do tempo instrumentais, contando com excelentes passagens de guitarra, sax e órgão, que mostram a qualidade dos músicos. Duas são cantadas em espanhol, uma em inglês e uma é totalmente instrumental. Momentos bagunçados e mais pesados (lembrando VdGG) e outros calmos se revesam no disco, "ponto fraco" é a repetição das quatro músicas, que seguem a mesma linha durante o disco.
Muito boa pérola, recomendado para fãs de rock progressivo.
Link
Link2 (Faixa a faixa)

Spanish band formed in Andalusia in 1974 by ex-members of bands Chilcle, Caramelos y Pipas and Gong (Spanish). Goma was short lived and only threw a pearl in the year 1975 to end at the end of the same year. The LP April 14 was only reissued 20 years later by Lost Vinyl.
The album features a great mix of Andalusian rock, progressive, jazz fusion and space / psych. It consists of long and well developed 4 tracks, most of the time instrumental, with excellent passages of guitar, sax and organ, showing the quality of the musicians. Two are sung in Spanish, one in English and one is totally instrumental. Messy and heavier moments (remembering VdGG) and other peaceful revesam is on the disc, "weak point" is the repetition of the four songs that follow the same line during the album.
Very good pearl, recommended for fans of progressive rock.

More info & reviews: RYM & ProgArchives

Antonio Rodriguez: Bateria
Jose Lagares: Baixo
Pepe Sanchez: Saxofone
Manuel Rodriguez: Guitarra
Alberto Toribio: Teclados e órgão

01. Aqui y ahora (11:33)
02. Madre tierra (8:07)
a. Madre tierra
b. Pellizco
03. Un nuevo abril sin sal (8:08)
04. Shotin' up "subiendo" (11:30)

domingo, 24 de novembro de 2013

PSYCH/GARAGE ROCK - LOS LOVING DARK'S - Complicado (EP) - 1968


Pérola formada por jovens de La Paz, capital da Bolívia no fim dos anos 60, o Loving Dark's(ou Los Loving Dark's) foi um dos primeiros grupos de rock no país, lançaram 3  EPs entre 1968 e 69 e acabaram no começo dos anos 70. Já no final dos anos 90 a formação original se reuniu para alguns shows na região e lançou um CD "El Retorno", o grupo também teve músicas na compilação Psicofasicos de Bolivia.
Posto aqui o primeiro EP dos caras, do começo de 68, com o nome Complicado e com 4 canções. Todas trazendo um bom rock psicodélico, típico do fim da década, muito influenciado por Beatles e Stones, ainda com pegada bem "garageira" e latina. As composições são todas em espanhol (castelhano), boas passagens de guitarra e teclado também são destaque no som deles.
Muito bom, recomendado para fãs de rock sul americano e psicodélico.
Link

Pearl formed by young people of La Paz, capital of Bolivia, in the late '60s, Los Loving Dark's was one of the first rock bands in the country, released three EPs between 1968 and 69, until ended in the early 70. Already in the late 90's original lineup reunited for a few shows in the region and released a CD "El Retorno", the group also had songs in the compilation Psicofasicos de Bolivia.
Post here the first EP of the guys, in the beginning of 1968, named Complicated. All 4 songs bring a good psychedelic rock, typical of the era, much influenced by the Beatles and Stones, with a garage rock way. The compositions are all in Spanish (Castilian), good passages of guitar and keyboard are also highlighted in their sound.
Very good, recommended for fans of South American and psychedelic rock.


Félix Chávez (vocal, guitarra)
Boris Rodríguez (bateria)
Gilberto Martínez (baixo)
Jaime Loayza (teclados)

A1 Comlicado
A2 No quiero llegar a viejo
B1 El adivino
B2 Mi imposible



sábado, 23 de novembro de 2013

PSYCH ROCK - ESCOMBROS - Same - 1970



Pérola chilena formada em 1967, na capital Santiago, fazendo covers de Hendrix, Great Funk e Cream. O Escombros foi uma das primeiras e mais importantes bandas do rock no país, assim como Jaivas, Blops, Kissing Spell e outros. Gravaram apenas um álbum, lançado em 1970 pelo selo Arena; a banda existiu até 1973, quando o vocalista Walter Ziman saiu. O homônimo foi relançado recentemente em CD com faixas bônus do primeiro compacto deles.
Escombros traz um bom rock clássico, maciçamente influenciado pelo psicodélico dos grupos citados acima e ainda com uma dose de progressivo e hard rock. Músicas curtas, letras todas em inglês e boa presença de bateria e guitarra também são destaques do som dos caras.
Pérola muito boa, vale a pena conhecer e ouvir.
Link (Contramão)


Chilean pearl formed in 1967, in the capital Santiago, doing covers of Hendrix, Cream and Great Funk. Escombros was one of the first and most important rock bands in the country, as well as Jaivas, Blops, Kissing Spell and others. They recorded only one album, released in 1970 by the label Arena, the band existed until 1973, when vocalist Walter Ziman left. The namesake was recently reissued on CD with bonus tracks of their first single.
Escombros brings a good classic rock, heavily influenced by psychedelic groups mentioned above and with some progressive and hard rock. Short songs, all lyrics in English and good presence of drums and guitar are also highlights of the sound.
Very good pearl, worth listen.


Walter Sitzmann - vocal, piano
Lito Benito - guitarra
"Lolin" Ricardo Mendeville - guitarra rítmica
José Rosemblut - baixo
Michel Boisier - bateria

01. Stone Free - 2:27
02. Romeo Y Julieta - 3:10
03. Zenith - 3:30
04. Cyclops - 3:26
05. Magnetism - 2:42
06. Mauritius - 3:03
07. Green Eyed Lady - 3:32
08. Circumstances - 2:40
09. Sitting In The Park - 3:35
10. Understanding - 3:00
11. I Love You - 3:38
12. Girl - 3:52
Bônus:
13. Love Machine - 3:44
13. Green eyed lady - 3:35

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

PROG FOLK - GÉNESIS - Same - 1974


Grupo lendário e muito importante para o rock colombiano, o Génesis surgiu em 1972, na capital Bogotá e lançou vários álbuns no seus vinte anos de atividade, o grupo só acabou "oficialmente" em 1992, com a morte do fundador e uma das figuras mais importantes do rock no país: Humberto Monroy (Ciclo Cero, The Speakers), mas a partir do começo da década de 80 o "Genesis Colombiano" mudou o nome para Maíz, trocou os integrantes e tentou um som mais comercial para vender nos EUA e Europa, mas acabou fracassando.
Posto aqui o homônimo de 1974, o segundo disco deles. Traz uma boa mistura do rock, principalmente progressivo, e o folk e música colombiana, um álbum muito consistente, com ótimas faixas. Ótimo instrumental, com destaque para flauta de Echavarria, violão e guitarra; vocal de Monroy também é muito bom e encaixa bem nas músicas. Momentos mais suaves (soft) e calmos, outros pesados e movimentos se revesam nos menos de 30 minutos de duração. As letras são todas em espanhol. Destaque para as músicas Manos de hombre, Don Simon e a bonita Como decirte cuanto te amo.
Pérola recomendada para quem gosta de folk rock e progressivo.
Link (Rock'n'Roll Archives)

Legendary and very important for the Colombian rock, the group Génesis came up in 1972, in the capital Bogota and released several albums in its twenty years of activity, the group only ended "officially" in 1992 with the death of the founder and one of the figures most important rock in the country: Humberto Monroy (Cycle Cero, The Speakers), but from the beginning of the 80's the "Colombian Genesis" changed its name to Maiz, changed the members and tried a more commercial sound to sell in the U.S. and Europe, but failed .
Post here the eponymous of 1974, the second disc of them . Brings a good mix of rock, particularly progressive, and Colombian folk music, a very consistent album, with nice songs. Great instrumental, highlighting Echavarria's flute, acoustic and electric guitar, Monroy's vocals is also very good and fits well in the songs. Soft moments and other heavy and bustling revesam in less than 30 minutes long. The lyrics are all in Spanish. Emphasis on "Manos de Hombre" , "Don Simon" and beautiful "Como decirte cuanto te amo".
Pearl recommended for those who like folk rock and progressive.


Humberto Monroy: Guitarra, gaita e vocal
Edgard Restrepo: Piano, teclados, percussão
Juan F. Echavarria: Flauta, percussão
Guillermo Guzman: Baixo, percussão

01. Reconfortame - 1:51
02. Señora del silencio - 2:31
03. Manos de hombre - 2:34
04. Como decirte cuanto te amo - 2:46
05. Cumbia Cienaguera - 3:31
06. Sueñas, quieres, dices - 3:18
07. Vasija de barro - 2:08
08. Don Simon - 2:36
09. Quiero Amarte - 2:10



quinta-feira, 21 de novembro de 2013

HEAVY PSYCH - KRIS KRINGLE - Sodom - 1971


Pérola obscura do rock nacional, o Kris Kringle (papai noel em alemão) foi um projeto que surgiu no final da década de 60 e mudou de nome várias vezes, a banda paulista tinha como cantor Dudu França (que mais tarde ficaria conhecido com o estilo disco). O único LP lançado pela banda foi Sodom, de 1971, e teve duas versões com duas capas diferentes e boa qualidade, hoje também é muito disputado e vale uma boa grana por aí.
O álbum em si traz um ótimo hard rock psicodélico, heavy psych, com vários bons covers de Beatles (Help), Beggar's Opera (Sarabande), Toe Fat (That's My Love For You), Ashton,Gardener & Dyke (The Resurrection Shuffle). Instrumental bem trabalhado, com muita qualidade dos músicos, destaque para ótimas passagens de Hammond, e guitarra e vocal agressivo marcam o som do grupo. Alguns momentos mais "suaves" de beat/pop também podem ser ouvidos nesse belo registro do rock brazuca dos anos 70. As letras são todas em inglês.
Capa do lançamento de 1972
Pérola recomendada para todos os fãs de rock nacional e psicodélico.
Link (Blog Neanderthal)
Mais informações -> Lágrima Psicodélica & Neanderthal

Pearl obscure of Brazilian rock, Kris Kringle was a project that emerged in the late 60s and has changed its name several times. The only LP released by the band was Sodom, 1971, and had two versions with two different covers and great quality, today it's worth a lot of money.
The album itself brings a great heavy psych, with several good covers of bands like Beatles (Help) , Beggar's Opera ( Sarabande), Toe Fat (That's My Love For You), Ashton,Gardener & Dyke (The Resurrection Shuffle). Well labored Instrumental with a lot of quality players, especially great passages Hammond and guitar, and aggressive vocals mark the group's sound. Some soft moments with beat/pop can also be heard in this beautiful rock record of 70s . The lyrics are all in English.
Pearl recommended for all fans of the Brazillian and psychedelic rock.


Dudu França (vocal, bateria)
Marcos Maynard (guitarra, órgão)
Carlos Alberto (guitarra, sax)
Marco Antônio Fernandes "Nescau" (baixo)
Otávio Augusto Fernandes Cardoso (teclado, guitarra)

1 Louisiana
2 Help
3 That's My Love for You
4 The Resurrection Shuffle
5 Janie Slow Down
6 Susie
7 The Monkey Song
8 Sarabande
9 Mr. Universe
10 What You Want



terça-feira, 19 de novembro de 2013

FOLK PROG - AMAUTA - Amauta 1979 -1980 - 2008


Obscura e raríssima pérola formada em Quito, capital do Equador; no final da década de 70, pelo chileno Pedro Pino D´achiardi, que saiu do país natal por causa do golpe de 73 e foi morar no Equador. Lá o guitarrista conheceu outros músicos equatorianos e o também o pianista conterrâneo Tomás Lefever e assim, em 1978 surgia um dos primeiros grupos de rock do país, o Amauta nunca chegou a lançar um álbum, ou mesmo single, apenas algumas gravações caseiras e ao vivo foram feitas nos anos de 1979 e 1980 quando a banda se desfez e Pino partiu para novos projetos pelo Equador. Apenas em 2008 essas poucas gravações foram lançadas em formato digital.
O som da banda não tem muito de rock, mas uma boa mescla de música andina, típica do país, e algumas passagens mais voltadas ao rock, principalmente progressivo. Ótima presença da flauta, violão, em momentos piano e instrumentos típicos do local marcam o instrumental dos caras, as faixas são na maioria do tempo instrumentais. O ponto fraco é a gravação, muito amadora e precária. Bons jams podem ser ouvidos no som do Amauta.
Nada de excelente, mas uma pérola legal para conhecer e um registro interessante para o rock sul americano.
Link

Obscure and very rare pearl formed in Quito, capital of Ecuador, in the late 70s, by the Chilean Pedro Pino D' achiardi , who left their home country because of the coup of 73 and went to live in Ecuador . There he met other Ecuadorians guitarist and also fellow pianist Thomas Lefever and so, in 1978 appeared one of the first rock groups of the country: Amauta. The band never got to release an album, or even single, just a few home and live recordings were made in the years of 1979 and 1980 when the band dissolved. Only in 2008 these few recordings were released .
The band's sound doesn't have a lot of rock, but a good mix of Andean music, typical of the country, and some passages more focused on rock, particularly progressive . Great presence of flute, guitar, piano and at times typical local instruments mark the instrumental part, the tracks are most instrumental. The weak point is the recording, very amateurish and precarious. Good jams can be heard in the sound of Amauta.
Nothing outstanding, but a pearl cool to know and an interesting record for the south american rock


Pedro Pino D'Achiardi (guitarra, charango)
Tomás Lefever (piano)
Fernando Albornoz (flauta)
Ángel Cobo (violão, baixo)
Galo Larrea (guitarra)
Felipe Albornoz (bateria)

1 Camino, reflexión y entrega 3:17
2 Juego 1:54
3 Yambo 6:47
4 Variaciones de Amauta 4:33
5 Ingahurco 2:37
6 Variaciones de Amauta (En vivo) 4:48
7 Concreto Polar (En vivo) 8:35
8 Hay un lugar (En vivo) 4:20
9 Camino, reflexión y entrega (En vivo) 4:02

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

HEAVY PSYCH - PIEL DE PUEBLO - Rock de las heridas - 1972


Pérola formada na Argentina em 1971 por ex-integrantes das bandas La Barra de Chocolate e Vox Dei, após o fim dessas duas. O Piel de Pueblo tinha na sua formação Pajarito Zaguri. A banda lançou apenas um álbum em 1972 e se desfez alguns anos depois, apesar de hoje em dia seu disco Rock de las heridas seja considerado um dos melhores do rock dos "hermanos" nos anos 70.
O álbum Rock de las heridas traz um excelente hard rock dos anos 70, muito influenciado pelo rock psicodélico e com algumas pitadas de blues. Faixas na maioria curtas, excelente trabalho na guitarra "wha-wha", marcante com riffs e solos matadores. Presença de violino elétrico em alguns momentos, voz rouca e letras todas em espanhol, com temas políticos-sociais do país também marcam esse ótimo registro do heavy psych/acid rock sul americano.
Pérola altamente recomendada para fãs de rock pesado e psicodélico dos anos 60 e 70.
Novo Link

Pearl formed in Argentina in 1971 by former members of the bands La Barra de Chocolate and Vox Dei. Piel de Pueblo had is a member Pajarito Zaguri, important guitarist in the country. The band released only one album in 1972 and disbanded a few years later, although nowadays Rock de las heridas is considered one of the best hard rock record from Argentina in the 70s.
The album Rock de las heridas brings an excellent hard rock, typical of the 70s, heavily influenced by psychedelic rock and with some touches of blues. Most short tracks, excellent "wha-wha" guitar work, marked with killer riffs and solos. Presence of electric violin at times, hoarse voice and lyrics all in Spanish with social-political issues of the country also mark this great south american record of heavy psych/acid rock.
Pearl highly recommended for fans of heavy rock and psychedelic '60s and '70s.


More Info & Reviews: Cabeza de Moog & RYM


Pajarito Zaguri (vocal, guitarra)
Nacho Smilari (guitarra)
Willie Pedemonte (baixo)
Carlos Calabro (bateria)

A1 Silencio para un pueblo dormido 4:43
A2 La tierra en 998 pedazos 9:09
A3 Jugando a las palabras 3:45
B1 Por tener un poco más 3:04
B2 Sexo galáctico 5:55
B3 La pálida de Nacho 2:50
B4 Vení amigo a la zapada 3:05
B5 El Rockito de la bufonada 2:53

domingo, 17 de novembro de 2013

PSYCH/GARAGE ROCK - COLD COFFEE - Venus/Volando Alto - 1970



Pérola vinda do Uruguai e formada na capital Montevidéu no fim da década de 60, com ex-integrantes dos grupos Mother’s Worries e Los Malditos. O Cold Coffee nunca chegou a lançar um LP, apenas alguns poucos singles no comecinho dos anos 70 até se desfazerem em 1972. Destaque para o compacto simples Venus / Volando Alto, de 1970. A música do lado A é um bom cover da banda holandesa Shocking Blue, com vocal feminino, e a segunda Volando Alto, segue com a linha psicodélica da costa oeste, esta já com voz masculina e feminina, boa presença de guitarra. As duas faixas tem letra em inglês e contam com um toque bem amador e "garageiro". Pérola legal para conhecer.
Link

Pearl coming from Uruguay, formed in the capital Montevideo and late 60's, with former members of Mother's Worries and Los Damned. Cold Coffee never released an LP, only a few singles in the beginning of the 70s until split in 1972. Emphasis on the single Venus / Volando Alto, of 1970. The music side is A is a good cover of the Dutch band Shocking Blue, with female vocals, and the second Volando Alto, follows the line of west coast psychedelic, it has male and female voice, good presence of guitar. The two tracks have lyrics in English and an amateur touch . Pearl cool to know.


Ernesto Soca (guitarra)
Pippo Spera (guitarra)
Quique Cano (baixo)
Ricky Levy (bateria)
Daniel Amaro (vocal, guitarra)
Lelé Paglia (vocal, guitarra)
Helena "Pip" Paglia (vocal)

A Venus 4:08
B Volando Alto 3:30



quarta-feira, 13 de novembro de 2013

HARD ROCK - TARKUS - Same - 1972


Tarkus foi uma pérola vinda do Peru. Formada na capital Lima em 1972, a banda tinha como integrantes peruanos o vocalista e guitarrista Alex Nathanson e baterista Walo Carillo, ambos ex-Telegraph Avenue e para completar os argentinos Guillermo Van Lacke, no baixo e Dario Gianella, guitarra. O grupo teve uma carreira "meteórica", durando menos de 1 ano, mesmo assim um álbum foi lançado em 72. Em 2007 o integrante Walo Carrillo e o filho de Guillermo Van Lacke, Christian Van Lacke se reuniram para alguns shows no país, a partir daí surgiu o projeto Tlön, que ainda está na ativa, seguindo a mesma linha de som do Tarkus. O grupo foi também um dos pioneiros do rock pesado e dos primórdios do heavy metal na América Latina.
O homônimo de 1972 traz um hard rock muito competente, consistente e original para a época, contando ainda com algumas influencias de acid rock do fim dos anos 60. As letras são todas em espanhol, com 8 faixas curtas, mas com guitarras pesadas, ótimos riffs, bateria "nervosa" e vocal agressivo. Percebe-se claramente influências de Led Zeppelin, Black Sabbath e Pappo Blues. Som cru e pesado, caracterizam bem essa joia do rock sul americano.
Pérola altamente recomendada para fãs do "hardão setentista".
Link (En busca del tiempo perdido)

Tarkus was a pearl coming from Peru. Formed in the capital Lima in 1972, the band had as members Peruvian vocalist and guitarist Alex Nathanson and Walo Carillo drummer , both ex-former Telegraph Avenue and to complete the Argentines Guillermo Van Lacke, on bass Dario Gianella, guitar . The group had a short career , lasting less than one year , even so an album was released in 72 . In 2007 the member Walo Carrillo and son of Guillermo Van Lacke , Christian Van Lacke gathered for some shows in the country , from there came the project Tlön , which is still active , following the same line of sound Tarkus . The group was also a pioneer of hard rock and early heavy metal in Latin America .
The eponymous of 1972 brings a hard rock very competent, consistent and unique for the time and we also have some influences of acid rock of the late '60s . The lyrics are all in Spanish , with 8 short tracks, but with heavy guitars, great riffs, "nervous" drums and aggressive vocals . It is clearly influenced by Led Zeppelin, Black Sabbath and Pappo Blues . Sound is raw and heavy, well characterize this jewel of South American rock .
Pearl highly recommended for fans of heavy rock from the 70s.

Alex Nathanson - Vocal
Dario Gianella - Guitarra
Guillermo Van Lacke - Baixo
Walo Carillo - Bateria

1 El Pirata 3:13
2 Martha ya Esta 5:33
3 Cambiemos ya 3:26
4 Tampestad 3:24
5 Tema Para Lilus 4:42
6 Tranquila Reflexion 4:46
7 Rio Tonto 4:27
8 Tiempo en el Sol 2:15

terça-feira, 12 de novembro de 2013

PSYCHEDELIC FOLK - 9:30 FLY - Same - 1972

Pérola obscura formada na cidade de Cheltenham, Inglaterra, no começo dos anos 70, o 9:30 Fly lançou apenas um raro álbum em 1972 e depois sumiu do mapa.
O grupo traz no seu homônimo um típico folk rock inglês da época, muito influenciado pelo rock psicodélico e também progressivo. Bons arranjos, momentos suaves e outros de mais peso se revezam nos 40 minutos do álbum, destaque para o violão que tem ótima presença e excelente vocal masculino e feminino do casal Michael e Barbara Wainwright marcam o som do 9:30 Fly. Destaque também para as faixas Mr. 509, Brooklyn Thoughts e Life and Times.
Nada extraordinário, mas uma boa pérola, altamente recomendada para fãs de acid folk.
Link (Blog England Music)

Obscure pearl formed in the town of Cheltenham, England, in the early 70s. 9:30 Fly just released a rare album in 1972 and then dropped off the map.
The group brings in its Self Titled a typical English folk rock of the era, heavily influenced by psychedelic and progressive rock too. Good arrangements, soft times and other more weight take turns in 40 minutes of the album, especially the guitar that has great presence and excellent male and female vocal of the couple Michael and Barbara Wainwright mark the sound of Fly 9:30. Highlights also tracks Mr. 509, Brooklyn Thoughts and Life and Times.
Nothing extraordinary, but a good pearl, highly recommended for fans of acid folk.

More Info & Reviews -> RYM & Vinyl Antiquity

Michael Wainwright – Vocal
Barbara Wainwright – Vocal, Piano
Lyn Oakey - Guitarra, Violão
Gary Charman - Baixo
Mike Clark - Bateria

A1 Life and Times 5:00
A2 Summerdays 5:45
A3 September 2:35
A4 Unhinged 6:25
B1 Mr. 509 7:05
B2 Brooklyn Thoughts 3:35
B3 Time of War 8:40



HARD ROCK - THE TENDERFOOT KIDS - Choo-Choo / Man in Black - 1970


Mais uma raridade vinda da Bélgica, o Tenderfoot Kids infelizmente nunca chegou a lançar um LP, apenas meia dúzia de compactos no fim da década de 60 e começo de 70, todos muito raros. Algumas músicas do grupo aparecem em recentes compilações sobre raridades do rock belga daquela época. Posto aqui um dos melhores e último lançamento deles: Choo-Choo e Man in Black, single com um bom e poderoso hard rock, sem deixar de lado as influências psicodélicas. Destaque para boa presença de guitarra e vocal.
Sem dúvida essa pérola poderia ter lançado um ótimo álbum na época. Não deixe de ouvir outras canções dos caras.
Link

Rarity coming from Belgium, Tenderfoot Kids unfortunately never got to release an LP, only half a dozen singles in the late 60s and early 70s, all very rare. Some songs of the group appear in recent compilations of rarities Belgian rock of that era. Post here one of their best and latest release: Choo-Choo and Man in Black, a single with good and powerful hard rock, without leaving psychedelic influences. Highlighting the presence of good guitar and vocals.
No doubt that pearl could have released a great album at the time. Be sure to listen to other songs of the guys.


William Thurion (William Tay) (vocal, guitarra)
Claude Kaiser (guitarra, vocal)
Jacky Colleau (baixo)
Georges Klein (bateria)

A Choo-Choo 3:00
B Man In Black 2:20



segunda-feira, 11 de novembro de 2013

PSYCH/GARAGE ROCK - CLIMAX - Vancouver City / You... I - 1970



Pérola vinda da Bélgica, formada nos anos 60 por jovens o Climax (ou The Climax) nunca chegou a lançar um LP nos seus poucos anos de atividade, apenas alguns compactos no começo da década de 70, na maioria com covers. Posto aqui um dos primeiros deles: o single You... I, com as músicas Vancouver City e You... I, esta última cover do grupo americano The Rugbys, que trazem um típico rock psicodélico do fim dos anos 60, com uma pegada bastante "garageira" e influenciada por beat/pop rock. Legal para conhecer.

Pearl coming from Belgium, formed in the 60s; Climax (or The Climax) never released a LP in its few years of activity, only some singles in the early 70s, most with covers. Post here one of the first of them: the single You. .. I, with the songs Vancouver City and You. .. I, the latter cover the American group The Rugbys, that bring a typical psychedelic rock of the late '60s, very garage rock style. Nice to know.

Músicos: ?

A You... I
B Vancouver City



sábado, 9 de novembro de 2013

HEAVY PSYCH - SCORPION - I Am the Scorpion - 1970


Pérola vinda da Suécia, o Scorpion (não confundam com a banda americana de mesmo nome que lançou um álbum em 1969) foi formado no fim da década de 60 como projeto do vocalista Bo Anders Larsson e lançou apenas um raro LP em 1970 produzido por Kim Fowley, sem conseguir sucesso o grupo acabou pouco tempo depois.
O som da banda traz um típico hard rock do começo da década de 70, meio comercial e muito influenciado pelo rock psicodélico "hippie" dos EUA e beat rock britânico. A guitarra tem alguns bons solos e riffs, as letras são todas em inglês, mas carregadas de sotaque. Destaque para as faixas "Hey Girl I'm Ugly", "Sagitarius" e "Red Queen of the Underground"
Nada extraordinário, mas um bom dico para fãs de rock psicodélico.
Link (Blog Ezhevika Fields)

Pearl coming from Sweden, Scorpion (do not confuse with the American band with the same name) was formed in the late 60s as a project of singer Bo Anders Larsson and only released a rare LP in 1970 produced by Kim Fowley, without achieve success the group ended shortly thereafter.
The band's sound brings a typical hard rock of the early 70s, through trade and heavily influenced by "hippie" psychedelic rock U.S. and British beat rock. The guitar has some good solos and riffs, the lyrics are all in English, but loaded accent. Highlight the tracks "Hey Girl I'm Ugly", "Sagitarius" and "Red Queen of the Underground"
Nothing extraordinary, but a good physician for fans of psychedelic rock.


More Info: Swedish Progg

Bo Anders Larsson (vocal)
Hasse Jonsson (baixo)
Lars Erichsen (baixo)
Lasse Summanen (guitarra)
Pelle Holm (bateria)
Ted Ström (órgão)

A1 I Am the Scorpion 3:09
A2 Hey Girl I'm Ugly 2:20
A3 Sagitarius 2:22
A4 Everybody Knows My Name 2:14
A5 Red Queen of the Underground 3:54
A6 Blues for Jimi Hendrix 1:29
B1 Michoican 2:30
B2 Funky Yellow Car 2:11
B3 Are You My Friend 2:32
B4 Hey La La La 2:51
B5 We....Are Through 1:59
B6 Love Is Ment for Two 3:30


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

PSYCHEDELIC ROCK - AHORA MAZDA - Same - 1970


Pérola formada em Amsterdã, capital da Holanda em 1965 pelo flautista e saxofonista Rob van Wageningen e pelos irmãos Peter (baixo) e Winky Abbink (bateria) originalmente voltada ao jazz, após a entrada do baixista Tony Schreuder em 1968 a banda volta o seu som para o rock psicodélico, mas ainda assim muito influenciado pelo improvisação e jazz. O grupo lançou um único álbum em 1970 e acabou apenas um ano após o lançamento do homônimo, que foi relançado com faixas bônus em 1999.
O som da banda traz uma excelente mescla de vários estilos, principalmente rock psicodélico e jazz, tendo alguns momentos progressivo, hard e space rock ou até avant-prog. Conta com 6 faixas (vinil original), na maioria longas e algumas extensas improvisações. No instrumental o destaque fica para boas passagens de flauta, sax e guitarra, outros instrumentos como órgão, piano, trompete e percussão em geral também dão um "toque a mais" ao álbum, o vocal em inglês cheio de sotaque também merece destaque. Já as 5 faixas bônus são apenas curtas improvisações.
No geral, uma pérola excelente, altamente recomendada para fãs de rock psicodélico e de rock obscuro em geral.
Link - parte 1 / Link - Parte 2 (Blog Old Psych Prog)

Pearl formed in Amsterdam, Netherlands in 1965 by flautist and saxophonist Rob van Wageningen and by brothers Peter (bass) and Winky Abbink (drums) originally focused on jazz, after the entry of bassist Tony Schreuder in 1968 the band back their sound to psychedelic rock, but still very influenced by jazz and improvisation . The group released one album in 1970 and split only a year after the release of the same name, which was reissued with bonus tracks in 1999 .
The band's sound brings an excellent mix of various styles , mainly jazz and psychedelic rock , with some moments of progressive, hard and space rock or even avant - prog . It features 6 tracks ( original vinyl ) , mostly long and lengthy improvisations and some good passages of flute, sax and guitar . Instruments such as organ, piano, trumpet and percussion in general also provide an " extra touch " to the instrumental part, vocal full of accent English is also noteworthy. As for the 5 bonus tracks are just short improvisations .
Overall, a great pearl , highly recommended for fans of psychedelic rock and obscure rock in general.

More info & Reviews: ProgArchives / RYM

Peter Abbink (guitarra, vocal, piano, trompete, órgão)
Rob van Wageningen (flauta, saxofone, vocal, percussão, kalimba)
Tony Schreuder (baixo, percussão)
Winky Abbink (bateria)

01. Spacy Tracy 8:31
02. Timeless Dream 3:35
03. Oranje Vrijstraat 7:33
04. Fallen Tree 9:16
05. Power 6:51
06. Fantasio 5:25
Bônus:
07. Vybral Stroll 2:01
08. Nosy Noise 3:09
09. Huppo Jaw 1:57
10. Pushy 4:44
11. Try To Forget 3:00

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

SYMPHONIC PROG - TRITONUS - Between the Universes - 1976

Pérola vinda da Alemanha, formada pelo tecladista Peter K. Seiler em 1972, o Tritonus chegou a lançar dois álbuns durante seus 7 anos de atividade, até acabar em 1979. No seu disco de lançamento, de 1975 a banda tinha um som mais focado no rock clássico tradicional, mas sem conseguir muito sucesso Seiler mudou dois membros do grupo e assim lançaram Between the Universes.
O disco de 1976 é considerado o melhor álbum dos caras e tem som voltado ao rock progressivo sinfônico e eletrônico, muito "cósmico" e viajante. Conta com apenas 3 longas faixas dominadas por extensas passagens de sintetizadores (moog) e órgão, o baixo e bateria ficam no som ao fundo. O vocalista Geff Harrison (Kin Ping Meh, 2066 & Then) tem participação na primeira faixa. Destaque para Suburban Day Suite, bela canção de 17 minutos.
Nada de excepcional, mas uma pérola legal para conhecer, recomendada principalmente para fãs de progressivo sinfônico.
Link (Blog Old Psycho Prog)

Pearl from Germany, formed by keyboardist Peter K. Seiler in 1972, Tritonus released two albums during their seven years of activity, until split in 1979. In its release disc, 1975 the band had a sound more focused on traditional classic rock, but without achieving much success Seiler changed two members of the group and thus launched Between the Universes.
The disc 1976 is considered the best album of the guys and have sound back to progressive rock and electronic, very "cosmic" and traveler. It has only 3 tracks long dominated by long passages of synths (moog) and organ, bass and drums are the sound in the background. The singer Geff Harrison (Kin Ping Meh, 2066 & Then) has participation in the first track. Highlight for Suburban Day Suite, beautiful song of 17 minutes.
Nothing exceptional, but a pearl nice to know, especially recommended for fans of symphonic progressive.

More Info & Reviews -> RYM & ProgArchives

Peter K. Seiler (órgão, piano, sintetizadores)
Ronald Brand (baixo, vocal, guitarra)
Bernhard Schuh (bateria)
+
Geff Harrison (vocal - 01)

1. Between the Universes (9:58)
2. Mars Detection (8:08)
3. Suburban Day Suite (17:48)
a. The Day Awakes 7:55
b. The Day Works 5:53
c. The Day Rests 3:58

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

KRAUTROCK - DEAF - Alpha - 1994 (1969-72)



Obscura pérola formada na Suíça no fim da década de 60. O Deaf nasceu como projeto do vocalista e guitarrista Dany Rühle e do organista Jelly Pastorini, ambos ex-membros da banda de rock psicodélico suíça The Shiver. Infelizmente o grupo não conseguiu lançar nenhum álbum ou mesmo compacto nos seus três anos de atividade, apenas alguns jams foram gravados nos anos de 71 e 72, o tempo passou e só em 1994 a gravadora Black Rills lançou uma coletânea em vinil e com número bastante limitado de cópias, com o nome de Alpha, trazendo 4 longas faixas gravadas ao vivo ou em estúdio.
O som dos caras trazia um rock altamente experimental, com longas passagens instrumentais, típico do Krautrock, que mesmo tendo sua origem e auge na Alemanha, se espalhou para alguns países vizinhos e o Deaf foi uma dessas bandas não-alemãs do estilo. Elementos do rock progressivo tradicional, jazz e sons viajantes do rock psicodélico/ space também estão presentes. As quatro músicas variam entre momentos calmos, melódicos e outros mais barulhentos e até "esquizofrênicos", o instrumental domina quase todo o disco, as vezes algumas vozes são ouvidas ao fundo. Destaque para boas passagens de teclado, órgão, percussão e flauta. Quanto as faixas, apesar de ser consistente, sem nenhuma música ruim, a mais longa do disco merece ênfase: Alpha, única do lado B e na casa de 22 minutos.
Pérola altamente recomendada para quem gosta de rock experimental e krautrock.
Link (Krautrock Maniacs)

Obscure pearl formed in Switzerland in the late 60's. Deaf was "born" as a project of vocalist and guitarist Dany Rühle and organist Jelly Pastorini, both ex-members of the psychedelic rock band The Shiver . Unfortunately the group didn't release any albums in its three years of activity, only a few jams were recorded in the years 71 and 72 and only in 1994 the label Rills Black released a compilation vinyl and with quite number limited copies, named Alpha, bringing four long tracks recorded live or in the studio.
The sound of the guys brought a highly experimental rock with long instrumental passages , typical of Krautrock. Traditional elements of progressive rock, jazz and trippy moments of psychedelic rock / space are also present . The four songs vary between quiet , melodic  moments and more noisy and even " schizophrenic ", the instrumental dominates almost the entire record , sometimes some voices are heard in the background . Highlight for good passages of keyboard, organ, percussion and flute. As for the tracks , despite being consistent with no bad music, the longest of the album worth emphasis: Alpha , single B-side and with more than 22 minutes .
Pearl highly recommended for those who like experimental rock and krautrock .

More info & reviews: ProgArchives / All Music

Dany Rühle (guitarra, vocal)
Jelly Pastorini (teclados, órgão)
Bert Buchmann (baixo)
Jack Conrad (flauta, vocal)
Güge Jürg Meier (bateria)
Benjamin Jager (vocal - 1971)
Mark Storace (vocal - 1972)


A1 No Time 9:43
A2 Run You Off The Hill 6:39
A3 The Galactic Pack Of Fönds Kari 8:18
B Alpha 22:34



domingo, 3 de novembro de 2013

HARD ROCK - GIPSY LOVE - Same - 1972

Pérola formada em Viena, capital da Áustria em 1971. O Gipsy Love teve um período de atividade muito curto (apenas dois anos) mesmo assim o grupo conseguir gravar e lançar dois álbuns, ambos em 1972. Após a saída do guitarrista Karl Ratzer, em 1973, a banda se separou. O Gipsy também tinha como tecladista o músico austríaco Peter Wolf.
Posto aqui o primeiro e homônimo álbum de 72. Apesar de ser classificado como Krautrock, o som da banda é muito mais próximo do típico hard rock do começo da década de 70, na maioria do tempo "suave" e melódico (soft rock), com algumas influências de rock progressivo, lembrando em vários momentos bandas da vizinha Alemanha, como Birth Control. O teclado, órgão e guitarra aparecem muito bem em alguns momentos, a voz de George Doggette não agrada muito e as letras são todas em inglês.
No geral, nada excepcional ou muito diferente do som da época, mas uma pérola recomendada para quem gosta de hard rock dos anos 70.
Link (Tyme Machine)

Pearl formed in Vienna, capital of Austria in 1971. The Gipsy Love had a very short period of activity (only two years) even so the group recorded and released two albums, both in 1972. After the departure of guitarist Karl Ratzer, in 1973, the band split.
Post here first and eponymous album 72. Despite being classified as Krautrock, the band's sound is much closer to the typical hard rock of the early '70s, most of the time soft and melodic rock, with some influences of prog, resembling in many moments bands from Germany, as Birth Control. The keyboard, organ and guitar appear well at times, the voice of George doggette does not bode well and the lyrics are all in English.
Overall, nothing exceptional or very different from the sound of the time, but a pearl recommended for those who like hard rock of the 70s.

George Doggette (vocal)
George Doggette & Karl Ratzer
Jano Stojka (bateria, percussão)
Karl Ratzer(guitarra, vocal)
Peter Wolf (órgão, piano)
Kurt Hauenstein (baixo, vocal)

01. Just A Little Love (5:38)
02. There Is Something In Your Mind (4:35)
03. Every Time I See Your Smile (7:26)
04. I Observed So Many Changes (4:47)
05. Let Me Come Over (3:10)
06. Don’t Be Surprised (5:45)
07. She Smiles (7:33)
08. In Search (1:27)
09. What’s It All About (4:30)



sexta-feira, 1 de novembro de 2013

PROG FOLK - Spilverk Þjóðanna - Sturla - 1977


Raríssima pérola vinda da Islândia! O Spilverk Þjóðanna  foi formado em 1973 por jovens da capital Reykjavík, a banda chegou a gravar 6 álbuns durante a década até sumir no mapa em 1979, vendo a discografia deles imagina-se que conseguiram algum sucesso na terra natal. Mesmo assim pouca informação se tem sobre o grupo na internet, e a maioria ainda está em islandês.
Posto aqui um dos últimos discos deles: Strurla, de 1977, provavelmente o com maior presença de rock do quarteto. O som do Spilverk, assim como a maioria das bandas do país na época, tem forte influência da música típica da região (folk), misturado com o rock inglês, principalmente progressivo. Bons momentos de guitarra e teclados, presença também de violino e violão são destaque do instrumental. Os vocais são masculinos e femininos e todas as canções são cantadas na língua local. Destaque para as faixas "Sirkus Geira Smart", "Hæ hó", "Skandinavíu blues" og "Sturla".
Pérola recomendada para quem gosta de rock progressivo e folk.
Link (faixa a faixa) - Obrigado ao "MACALTEC", que acompanha o blog e mandou o link para download.

Rare pearl coming from Iceland! Spilverk Þjóðanna was formed in 1973 by young people from the capital Reykjavík, the band recorded 6 albums during the decade before disappearing in 1979. Little information exists about the group on the Internet, and most are still in Icelandic.
Post here their last but one album Strurla, of 1977. The sound of Spilverk, like most bands in the country at the time, has a strong influence of music typical of the region (folk) mixed with British rock , especially progressive. Good times of electric guitar and keyboards, also the presence of violin and acoustic guitar are featured the instrumental . The vocals are male and female and all songs are sung in the local language . Highlight tracks " Sirkus Geira Smart " , " Hae Hockey " , " Skandinavíu blues" og " Sturla " .
Pearl recommended for those who like progressive rock and folk .

Valgeir Guðjónsson (vocal, guitarra)
Sigurður Bjóla Garðarsson (vocal, violão, percussão, violino)
Egill Ólafsson (baixo, vocal)
Sigurður Rúnar Jónsson (bateria)

A1 Sirkus Geira Smart
A2 Trumba Og Sturla
A3 Arinbjarnsson
A4 Eftir Predikun
A5 Hæ Hó
A6 Ferðabar
A7 Húsin Mjakast Upp
A8 Skandinavíu Blues (Kom Hjem Til Mig)
B1 Skýin
B2 Söngur Dýranna Í Straumsvík
B3 Nei Sko
B4 Gul Og Rauð Og Blá
B5 Bob Hope
B6 Sturla
B7 Sannaðu Til
B8 Lag, Ljóð