Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

domingo, 29 de setembro de 2013

HEAVY PROG - JACKAL - Awake - 1973


O Jackal foi uma pérola canadense formada em Toronto no fim dos anos 60 pelos irmãos Chris (órgão) e James Kellesis (bateria) ,após a entrada do vocalista Charlie Shannon e do guitarrista Dave Bernard a banda lançou seu único e obscuro álbum: Awake, em 1973.
O disco traz uma mistura de rock pesado e progressivo (heavy prog) típica da época, contando ainda com pitadas de blues e psicodélico. As faixas trazem uma boa combinação de partes mais pesadas e outras melódicas. O instrumental é muito bom, com músicos de muita qualidade, mas o destaque fica com órgão, predominante nas músicas (até comparado por alguns com o estilo de Jon Lord), a guitarra também tem boas passagens.
No geral, um álbum muito consistente, 8 ótimas faixas de um excelente e "matador" hard rock progressivo. Pérola altamente recomendada!
Link

Jackal was a Canadian pearl formed in Toronto in the late '60s by brothers Chris (organ) and James Kellesis (drums), after the entry of singer Charlie Shannon and guitarist Dave Bernard they released their only and obscure album: Awake, 1973.
The album features a great heavy progressive rock, typical of the time and we also have hints of blues and psychedelic. The tracks bring a good combination of heavy and melodic parts. The instrumental is very good with a lot of quality players, but the highlight is organ, prevalent in music (even compared by some to the style of Jon Lord), the guitar also has good passages too.
Overall, a very consistent album, with 8 great and "killer" progressive hard rock tracks. Pearl highly recommended!

More Info & Reviews: RYM / ProgArchives


Chris Kellesis (órgão)
James Kellesis (bateria)
Dave Bernard (guitarra)
Charlie Shannon (vocal)

1. At The Station
2. For You
3. Sunny Side Of The Day
4. A New Day Has Arisen
5. How Time Has Flown
6. Lost In The World
7. In The Heavens
8. Awake

sábado, 28 de setembro de 2013

PSYCHEDELIC FOLK - STRING CHEESE - Same - 1971

Pérola formada em Chicago, nos Estados Unidos. A banda é mais conhecida por ter sido a primeira do violinista Gregory Bloch, que substituiria David LaFlamme no grupo It’s A Beautiful Day e também faria uma participação no disco Jet Lag, do PFM. O String Cheese teve curto período de atividade no começo da década de 70 e deixou apenas um álbum em 1971.
O homônimo traz 10 faixas, na maioria curtas (com exceção de Empty Streets) e com predomínio do folk rock psicodélico típico da época, com poucas influências de progressivo. O violino elétrico domina o instrumental, que conta ainda com algumas boas passagens de guitarra e Violão de doze cordas, os vocais são na maior parte do tempo femininos, de Sally Smaller, lembrando assim bandas como Curved Air e a própria It's A Beautiful Day.
No geral, um álbum muito bom, recomendado principalmente para quem gosta de acid folk e vocais femininos.
Link

Info & Reviews: ProgArchives / Rockasteria


- John Maggi (Bateria)
- Gregory Bloch  (Violino Elétrico)
- Louis Constantino (Baixo)
- William Dalton  (Órgão, Piano, Guitarra, Cravo, Teclados, Sitar)
- Sally Smaller (Vocal)
- Larry Wendelken (Violão de doze cordas, vocal)


1. For Now (3:48)
2. Crystal (5:18)
3. We Share (3:01)
4. Here Am I (6:29)
5. Empty Streets (3:01)
6. Forage (5:06)
7. Soul of Man (4:00)
8. Certain Kind of Day (4:32)
9. Woke Up This Morning/Coming (1:42)
10. Coming (1:41)



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

HEAVY PSYCH - Τα 4 Επίπεδα Της Ύπαρξης (The Four Levels of Existence) - Same - 1976


Pérola grega formada na capital Atenas em 1974, o Τα 4 Επίπεδα Της Ύπαρξης, também conhecido como The Four Levels of Existence (em português, os quatro níveis de existência) gravou apenas um homônimo com pouquíssimas cópias em 1976 antes de sumir no mapa. Como a maior parte da informação sobre a banda na internet está em grego, não vou poder falar muito sobre a história dos caras.
Seu álbum de 76 é considerado um dos melhores de rock do país da década de 70. O som traz muitas influencias do rock pesado e psicodélico, com uma certa pegada de garagem. A guitarra fuzz domina o instrumental, com ótimos e pesados riffs e solos, a bateria também tem seus bons momentos, não há presença de teclado ou órgão. Apesar dos vocais serem todos em grego, a parte instrumental já vale uma ouvida. Embora este ser um álbum sólido, bom do começo ao fim, o destaque fica para as "pauladas" Κάποια μέρα στην Αθήνα e Μεταμόρφη.
Pérola altamente recomendada para fãs do "hardão setentista"!
Link

Greek pearl formed in capital Athens in 1974, Τα 4 Επίπεδα Της Ύπαρξης, also known as The Four Levels of Existence recorded only a self-titled album with very few copies in 1976. 
Their album  is considered one of the best of the country rock during the 70s. Brings many influences from heavy and  psychedelic rock, with some garage rock influenced. The fuzz guitar dominat instrumental, with great and heavy riffs and solos, the drums also has also great moments, there is no presence of keyboard or organ. Although the vocals are all in Greek, the instrumental part is worth a listen. This is a solid album, good from beginning to end, but the highlight are the tracks Κάποια μέρα στην Αθήνα and Μεταμόρφη.
Pearl highly recommended for fans of 70s Hard and Psych rock!

Christos Vlahakis (bateria, percussão)
Athanasios Alatas (guitarra rítmica, violão)
Nikος Grapsas (vocal, guitarra)
Marios Yamalakis (vocal, baixo)

01 Μεταμόρφη
02 Σαν λιώσουνε τα χιόνια
03 Ο ταχυδρόμος του χωριού
04 Ερημιά
05 Του τρελού η σάλπιγγα
06 Ο αγώνας μας
07 Απογοήτευση
08 Παιδικό τραγούδι
09 Χωρίς τίτλο
10 Κάποια μέρα στην Αθήνα

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

PROG ROCK - ERA DI ACQUARIO - Antologia - 1973



Trio italiano de vida curta, o Era Di Acquario foi formado em Palermo em 1970 e é um dos poucos grupos do país vindo da Sicília. Lançaram apenas um raro álbum em 1973, que somente em 1995 foi relançado em CD com duas faixas bônus do single de 1972.
O disco Antologia é diferente dos "padrões" do progressivo italiano, pois possuí faixas curtas (2 a 3 minutos) e um som na maioria acústico e bastante agradável, com pitadas de folk e uso de violão e flauta, com exceção apenas para as três últimas faixas, as mais pesadas do álbum. As músicas são em inglês e italiano.
Pérola legal para conhecer, mas fica longe de ser uma obra prima desconhecida do progressivo italiano.
Link
ProgArchives - Italian Prog

Michele Seffer (vocal, violão, baixo)
Angelo Giordano (flauta, sax, vocal)
Pippo Cataldo (bateria, percussão, vocal)

A1 Campagne Siciliane 3:35
A2 Padre mio 2:52
A3 Solitudine 2:47
A4 Vento d'Africa 2:27
A5 Idda 3:25
B1 Monika aus Wien 2:16
B2 L'indifferenza 3:29
B3 Fuori al sole 2:04
B4 Geraldine 3:33
B5 Statale 113 2:54

domingo, 22 de setembro de 2013

HARD/PSYCH ROCK - BEATINIKS - Money/Back in Town - 1972


Pérola portuguesa formada em 1965 na capital Lisboa. Os Beatiniks (também conhecidos como Beatinicks)  começou tocando Pop e Beat rock e após algumas mudanças na formação no início da década de 70 voltaram o seu som ao rock pesado e psicodélico. Já nesta "segunda fase" lançaram um EP: Cristine Goes to Town, em 1971, alguns compactos e o único álbum já no último ano de atividade, 1982, quando estavam novamente numa era pop e comercial.
O single que posto aqui é de 1972, e que traz a fase mais psicodélica e pesada do grupo. As duas faixas Money e Back In Town representam justamente esta época dos caras. Guitarras pesadas e distorcidas são as principais características desse típico hard rock 70s muito bem executado. As letras são em inglês.
Link

Pearl formed in 1965 in the Portuguese capital Lisbon. The Beatiniks (also known as Beatinicks) began playing Pop and Beat rock and after some lineup changes in the early 70s back their sound to heavy rock and psychedelic. Already in this "second phase" released an EP: Cristine Goes to Town in 1971, some compact and only album ever in the last year of activity in 1982, when they were again in an pop and commercial. era
The single that I post here is from 1972, and brings the stage more psychedelic and heavy of the group, the two tracks: Money and Back In Town represent precisely this time. Heavy and distorted guitars are the main characteristics of typical hard rock 70s very well executed. The lyrics are in English.

Luís Araújo (bateria)
Ramiro Martins (baixo, guitarra)
Antonio Emiliano (teclado)
Jorge Casanova (guitarra)
Tó Leal (vocal, percussão)

01 Money
02 Back In Town

sábado, 21 de setembro de 2013

JAZZ ROCK - OM - Same - 1971


Grupo catalão formado em 1969 na cidade de Barcelona. Tiveram seu primeiro trabalho como banda de apoio do cantor Pau Riba no seu primeiro disco: Dioptria, de 69. Após isso, lançaram dois singles e apenas um álbum no ano de 1971. A banda teve em sua formação importantes músicos espanhóis como o tecladista/pianista Jordi Sabatés, que viria a tocar no Jarka e Toti Soler, conhecido pelo trabalho solo. Acabou se desformando um ano após o lançamento, 1972. Apenas em 1996, uma gravadora espanhola relançou o álbum em CD, com duas faixas bônus.
Seu homônimo traz um jazz rock/fusion muito interessante e legal de ouvir, na grande maioria com um ótimo instrumental e também algumas pitadas de Avant-garde jazz , principalmente na faixa Zitro's ache, e também rock psicodélico. Excelente trabalho da guitarra (predominante no som), piano, teclado e instrumentos de sopro.
Pérola recomendada para fãs de jazz rock/fusion.

Link
Jazz Archives

Catalan group formed in 1969 in the city of Barcelona. Released two singles and one album in 1971. The band had their line-up important Spanish musicians as keyboardist / pianist Jordi Sabatés (Jarka) and Toti Soler, known for solo work. Ended their activities just a year after release, 1972.  Only in 1996 a Spanish label reissued the album on CD with two bonus tracks.
The album brings a jazz rock / fusion very interesting and nice to hear, the vast majority with a great instrumental and also some hints of Avant-garde jazz, mainly in the track Zitro's ache and also psychedelic rock. Excellent guitar work (predominant), piano, keyboard and winds instruments.
Pearl recommended for fans of jazz / rock fusion.

Martí Soler: Teclados e percussão
Toti Soler: Guitarra e percussão
Peter Hodgkinson: Bateria
Romà Escales: Flauta
Jordi Sabatés: Piano
Jordi Llorens: Metais
Manolo Elías: Baixo
Xavier Garcia: Trompete

1.Excusa 6-8 (12:21)
2.No ho sap ningu (6:23)
3.Zitro's Ache (5:33)
4.Excusa Num.1 (12:54)
5.Vindra La Llum (4:30)
6.Waiting of Godot (4:36)



sexta-feira, 20 de setembro de 2013

ACID FOLK - FUREKÅBEN - Prinsesseværelset - 1970


Pérola obscura vinda da Dinamarca, formada na capital Copenhague no fim da década de 60 pelo guitarrista Hans Vinding. O Furekåben (também conhecido como Furekaaben) chegou a lançar dois álbuns muito raros de folk psicodélico esquecidos no tempo, até se desfazer em 1972. O que posto no blog hoje é o primeiro: Prinsesseværelset, que teve 2 edições, a primeira com a capa como a da imagem acima e outra, também de 1970, com um desenho por cima. As duas edições juntas tiveram apenas 1000 cópias.
As três longas faixas aqui presentes trazem um folk rock com melodias simples, mas ácidas e muitos viajantes, em alguns momentos até experimentais. Contam com uso de instrumentos típicos do folk nórdico como violino, flauta, violão e outros mais "exóticos" como tabla e cítara. Outra característica que torna seu som ímpar é as canções serem todas em dinamarquês, o vocal é masculino e mais raramente feminino.
Uma pérola muito legal e interessante de ouvir, mas que não vai agradar a todos os ouvidos.
Link
Info & Reviews: Prog Archives - Natskyggvej

Thorbjørn Thomsen (Guitarra e voz)
Hans Vinding (Guitarra acústica, voz)
Mikkel Bayer (cítara)
Vivi Jo Heede (vocal)
Jens Thorning Hansen (guitarra)
Anthony Barnett (flauta e percussão)
Emmerik Warburg (flauta)
Steen Claesson (violino e guitarra)

A1. Den Gule Filthmand (8:56)
A2. Kom Lad Os Dulme Vores Nerver Lidt (13:23)
B. Lædersexdress (20:10)

terça-feira, 17 de setembro de 2013

PROG ROCK - SIGLO CERO - Latinoamerica - 1970


Pérola colombiana importante para rock local. Formada em 1969 na capital Bogotá pelo conhecido baixista Humberto Monroy e também o baterista italiano Roberto Fiorilli e Fernando Cordova, todos ex-Speakers, o grupo teve uma carreira "meteoro" e se desmanchou logo no ano seguinte, mesmo assim o Siglo Cero conseguiu deixar seu registro: Latinoamerica, gravado ao vivo no Festival de la Vida, que ocorre em 70 no Parque Nacional.
O álbum traz apenas duas longas improvisações: El Viaje I e II, ambas com 16 minutos e sem cortes. Apesar da gravação precária temos aqui ótimos jams com instrumental bem afinado e voltado para o rock progressivo e com pegada psicodélica. Há momentos solos para cada instrumento, o destaque fica para a bateria e guitarra, o Hammond e a percussão também têm seus bons momentos.
Uma pérola perdida e muito boa de se ouvir, recomendado principalmente para quem gosta de rock instrumental e também da América Latina.
Link


Humberto Monroy - baixo
Roberto Fiorilli - bateria
Manuel Galindo - guitarra
Jaime Rodríguez - teclados, guitarra
Mario René - saxofone
Edgar Restrepo Caro - percussão

A. El Viaje I
B. El Viaje II

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

PSYCH/JAM - PSYCHO - Live at Viljandi - 1976


Mais uma pérola raríssima vinda da Estônia. O Psycho gravou poucas músicas no seu período de atividade, mesmo assim foi nome importante no rock do país e tem um som considerado inovador para a época na sua terra natal. A banda foi formada em 1973 na capital Tallinn e acabou em 1977, tocando no festival de Viljandi de 1976 (considerado o Woodstock do país), da onde saíram as cinco músicas desse álbum. O grupo contou com importantes nomes do rock local como Andres Põldroo e Paap Kõlar, ambos ex Ruja.
Seu som traz um ótimo e bem trabalhado rock instrumental (jam), improvisado e também muito psicodélico e viajante, contando ainda com algumas passagens mais progressivas. Além de influencia do próprio Ruja a banda lembra um pouco os trabalhos dos finlandeses Pekka Pohjola e Tolonen, tanto é que a faixa de abertura é um cover "extendido" de Jukka: Last Night. A guitarra predomina, mas as poucas passagens de teclado, flauta e sax são muito boas.
Bastante interessante, pérola recomendada!
Novo Link

Another very rare pearl coming from Estonia. Psycho recorded a few songs in the period of activity, it was an important name in the country rock scene and has a sound considered innovative for its time in its homeland. The band was formed in 1973 in the capital Tallinn and ended in 1977, playing at the festival of Viljandi 1976 (considered the Woodstock of the country), which came out of the five songs on this album. The group included names like Andres Põldroo and Paap Kolar, both former Ruja.
Their sound brings a great instrumental rock (jam), and also very improvised psychedelic and traveler, counting also with some more progressive passages. Besides influencing of the band Ruja somewhat resembles the work of Finnish Pekka Pohjola and Tolonen (the opening track is a "extended" cover of Jukka's Last Night). The guitar dominates, but the few passages of keyboard, flute and sax are very good.
Interestingly enough, Pearl recommended!

Andres Põldroo (guitarra)
Heigo Mirka (baixo)
Helmut Aniko (saxofone, flauta)
Paap Kõlar (bateria)
Sergei Pedersen (teclado)

1 Last Night 11:50
2 Beautiful Sunday 13:58
3 Klassikaline Teema 4:17
4 Brontosaurus Dream 9:54
5 Pime Kµµgis 7:40



domingo, 15 de setembro de 2013

BLUES ROCK - SID RUMPO - First Offense - 1974


Sid Rumpo foi uma banda australiana formada em Perth, em 1971, e, infelizmente, teve pouco tempo de atividade, lançando apenas um disco em 1974 e acabando no mesmo ano. Tiveram na sua formação Mick Elliot. Mick é um talentoso guitarrista de blues-rock conhecido por participar de vários outros grupos do país como Smiths Levi Clefs, Jim Keays' Southern Cross e Western Flyer.
First Offense traz um ótimo blues rock, com momentos mais boogie e também influenciado pelo southern rock americano, principalmente o Allman Brothers. O instrumental é, no geral, muito bom, mas os riffs pesados e o "feeling" dos guitarristas Elliot and Rob Searls merecem destaque, o piano também dá um "charme" a mais para o som. A voz rasgada de Robert também não fica devendo. No geral, um disco muito sólido, ótimo do começo ao fim.
Uma ótima pérola, altamente recomendada para fãs de blues e boogie rock, mesmo não sendo um dos melhores e mais conhecidos da Austrália.
Link

Info & Reviews: Rock On Vinyl / Venenos do Rock

Mick Elliot (guitarra, vocal)
Robert "Rob" Searls (guitarra, vocal)
Ken Wallace (piano, percussão)
Noel Herridge (bateria, percussão)
Owen Hughes (baixo)
John Hood (guitarra)

1. Spotlight - 5:56
2. Breakin' My Back - 4:14
3. Spider Curry - 1:43
4. Sailing - 8:31
5. The Riddle - 5:14
6. Don't Bug Me Boogie - 3:59
7. Song With No Trees - 8:13
8. Poor Man's Orange - 2:00


Ao Vivo:

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

PROG FOLK - LUTHA - Same - 1972


Pérola vinda da Nova Zelândia, o Lutha foi formado em 1970 na cidade de Dunedin por ex-membros de grupos locais como Throb e Pussyfoot, a banda teve vida curta, lançando durante seus quatro anos de atividade dois álbuns, sendo o que posto aqui o primeiro de 1972.
Seu homônimo traz um bom rock'n'roll, com influencias de progressivo, folk, country e rock psicodélico e uma pegada bem "suave" e acústica (soft rock) principalmente nas primeiras quatro faixas. O teclado e a guitarra aparecem muito bem nas duas canções seguintes e mais pesadas do álbum: Mountain Side e Stop (The music is over), já as quatro últimas trazem uma boa mescla dos estilos. O vocal é muito agradável.
No geral, uma pérola boa, nada de extraordinário, mas legal de conhecer.
Link (faixa por faixa) / Info: RYM


Graham Wardrop (guitarra, vocal)
Garry McAlpine (percussão, vocal)
Peter Edmonds (bateria)
Peter Fraser (baixo, vocal)
Kevin Foster (teclados)

A1 Then I Saw a Face
A2 Sun Song (Anaximander Ramblings)
A3 I Really Only Want to Be With You
A4 Andrianna
A5 Mountain Side
B1 Stop; The Music Is Over
B2 Why Is Gone
B3 My Turn to Cry
B4 So Many Years
B5 I Am But All Alone

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

FUNK/PSYCH ROCK - MANTIS - Turn Onto Music - 1973


Pérola rara formada em Suva, capital de Fiji! Sim... Fiji, um pequeno conjunto de ilhas na Oceania. O grupo Mantis foi formado provavelmente no fim da década de 60 ou começo de 70 (não se sabe o ano certo) e "migrou" para a vizinha Nova Zelândia, onde lançaram dois compactos e um único álbum no ano de 1973, pela Vertigo.
Turn Onto Music traz uma interessante mistura de estilos, nos quais predominam o funk rock e psicodélico, também tem alguns toques de folk (música tropical), blues, prog, hard e beat rock. Várias faixas são bons covers (Shake that Fat, In the Midnight Hour e Mississippi Queen) e outras são de autoria dos caras, nada extraordinário até a última música: Island Suite, um incrível jam de 23 minutos, que esbanja no uso de teclados, guitarra e percussão. As letras são todas em inglês.
Uma boa pérola e muito interessante, se vermos da onde veio.
Link (Rockasteria)

Rare pearl formed in Suva, capital of Fiji! The group was probably formed in the late 60 or early 70 (do not know the right year) and "migrated" to New Zealand, where released two singles and an album in 1973 by Vertigo.
Turn Onto Music brings an interesting mix of styles, which predominate funk and psychedelic rock, also has some touches of folk (tropical music), blues, prog, beat and hard rock. Several tracks are good covers (Shake que Fat, In the Midnight Hour and Mississippi Queen), nothing extraordinary until the last song: Island Suite, an amazing 23-minutes jam that has a lot of keyboards, guitar and percussion. The lyrics are all in English. Very nice, recommend!

Joe Heritage (Baixo / Vocal)
Ronnie Sammuel (Teclados)
Paul Stephen (Bateria)
Waisea Vatuwaga (Guitarra / Vocal)
Reuben Davui (Guitarra / Vocal)

A1 Day & Night
A2 In the Midnight Hour
A3 You Don't Love Me
A4 Mississippi Queen
A5 Shake That Fat
B1 Turn Onto Music
B2 Island Suite
a. Firewalker
b. Back at the Village
c. Hurricane Bebe


Mantis (FIJI) - 1973 - Turn Onto Music (full... por meir-rivkin

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

HARD ROCK - TUMULTO - Same - 1973



Pérola chilena, o Tumulto foi formado em 1973 por Alfonso “Poncho” Vergara e Sergio Del Rio na capital Santigo, com a entrada do guitarrista Rodolfo Iribarra o trio lançou seu primeiro trabalho no mesmo ano, o homônimo original é raro e só teve 1000 cópias. A banda seguiu o "caminho inverso" dos outros grupos do país daquele tempo, que começaram suas atividades no fim dos anos 60 e começo dos 70 e acabaram em 1973, com o golpe (que hoje completa seus 40 anos), já o Tumulto começou nesse ano e, apesar de restrições e censura, resistiu por mais de 3 décadas, encerrando as atividades apenas em 2004, com a morte de Alfonso.
Falando sobre seu primeiro álbum, traz um ótimo hard rock com muitas influencias do rock latino e psicodélico (heavy psych), também tem algumas baladas. Todas as faixas são curtas e cantadas em espanhol, o destaque instrumental fica para a guitarra, bateria e percussão, presente em algumas faixas. Quanto as faixas ênfase para as duas primeiras: Prefiero tinieblas e I feel blue e também Lo Lograré, a faixa bônus de 1977 Himno também merece destaque.
Boa pérola, recomendado!
Link

Chilean Pearl, Tumulto was formed in 1973 by Alfonso "Poncho" Vergara and Sergio Del Rio Santigo in the capital, with the addition of guitarist Rodolfo Iribarra the trio released their first album in the same year, the original is rare and only had 1000 copies . They resisted for more than three decades, ending activities only in 2004, with the death of Alfonso.
Talking about her first album, brings a great hard rock with many influences from Latin and psychedelic rock (heavy psych), also has some ballads. All tracks are short and sung in Spanish, the highlight in instrumental are guitar, drums and percussion, present on some songs. Key tracks: Prefiero tinieblas, I feel blue, Lo Lograré and Himno (bonus)
Good pearl, recommended!
More Info: Wikipedia

Alfonso Vergara - Baixo e voz
Sergio del Rio - Guitarra e voz
Rodolfo Iribarra - Bateria
Claudio Tapia - Percussão (Convidado)

01-Prefiero tinieblas
02-I fell blue
03-Un consejo
04-No soy de nadie, soy feliz
05-Lo lograre
06-Razon de vivir
07-El primer error
08-Bolso de colegio
09-Nacio Oliver
10-No importa que no mires
11-El dia aquel
12-Tu, yo y nuestro amor



domingo, 8 de setembro de 2013

HARD/PROG ROCK - BIJELO DUGME - Kad bi' bio bijelo dugme - 1974


Pérola vinda da ex-Iuguslávia, formada na cidade de Sarajevo, atual capital da Bósnia e Herzegovina.
Posto aqui seu primeiro disco, de 1974, que traz uma ótima mistura de rock progressivo e hard, com algumas pitadas de blues.

ProgArchives
Link (Jugo Rock Forever)

Goran Bregović / guitarra, gaita
Zeljko Bebek / vocal
Zoran Redzić / baixo
Goran "Ipe" Ivandić / bateria
Vlado Pravdić / órgão Hammond, Moog, piano

1. Kad Bi' Bio Bijelo Dugme 10:23
2. Blues Za Moju Bivsu Dragu 6:23
3. Ne Spavaj Mala Moja Muzika Dok Svira 2:30
4. Sve Cu Da Ti Dam Samo Da Zaigram 4:04
5. Selma 6:09
6. Patim Evo Deset Dana 4:51

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

PROG/PSYCH - KLAN - Mrowisko - 1971


Pérola vinda da Polônia, o Klan foi formado no fim da década de 60 em Varsóvia e, assim como vários outros grupos do país, tinha seu som voltado para o beat rock. Mas após algumas mudanças na formação, passaram a  tocar rock progressivo.  Lançaram apenas um disco em 1971 e acabaram no mesmo ano, até uma volta 20 anos depois, lançando mais um álbum em 92 e fazendo shows pelo país. Em 2008 também houve uma nova volta do Klan, quando lançaram seu terceiro e mais novo trabalho: Laufer, de 2012.
Falando sobre seu primeiro álbum e único da era 60-70, Mrowisko (em português, formigueiro), traz uma interessante combinação entre rock progressivo, jazz fusion e também uma boa dose de psicodelia e música experimental. O vocal de Marek A. é diferencial, chegando até a ser "teatral" em momentos, na parte instrumental o grande destaque fica para o órgão Hammond que é o instrumento principal do álbum e tem sempre ótimos solos e riffs, a guitarra também tem seus bons momentos. As músicas são  todas cantadas na língua local o que um diferencial para o som.
No geral um disco muito sólido, pérola recomendada para fãs de rock progressivo e psicodélico.
Link (E-Rock)

Revisão e Informações / Reviews and Info: ProgArchives 

- Marek Alaszewski / guitarra, vocal
- Maciej Gluszkiewicz / piano, órgão
- Roman Pawelski / guitarra, baixo
- Andrzej Poniatowski / bateria, vocal
- Roman Pawelski / baixo

01 – Sen (3:19)
02 – Kuszenie (3:32)
03 – Nerwy Miast (3:33)
04 – Senne Wedrowki (3:54)
05 – Taniec Wariatki (2:03)
06 – Taniec Czterech (1:38)
07 – Na Przekor (2:17)
08 – Nasze Mysli (5:13)
09 – Mrowisko (4:18)
10 – Pejzaz Z Pustych Ram (4:34)
11 – Taniec Glodnego (2:25)
12 – Epidemia Euforii (3:48)
13 – Sen (1:48)
Bônus:
14 – Gdzie Jest Czlowiek (2:37)
15 – Z Brzytwa Na Poziomki (2:45)
16 – Nie Sadzcie Rajskich Jabloni (2:31)
17 – Automaty (3:18)
18 – Rajd Safari (2:10)
19 – Ani Ty (3:43)
20 – Pociagi (2:40)
21 – Chce Byc Ptakiem Rock And Rollem (5:30)
22 – Ostatnie Przeswity Pamieci (6:52)
23 – Ballada Dla Ludzi Zmeczonych (3:18)

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

PSYCHEDELIC ROCK - PÃO COM MANTEIGA - Same - 1976



Ótima pérola do rock nacional, o Pão com Manteiga foi um grupo paulista que se formou em meados da década de 70 e lançou apenas um álbum em 1976. Pouca informação se tem sobre essa banda.
O som do grupo no seu homônimo era psicodélico, tanto nas letras quanto em suas melodias, mas contava também com influencias de rock progressivo e da música brasileira. As letras são todas em português e bem "fantasiosas", em momentos cômicas e outros críticas. A voz lembra de longe a de Ney Matogrosso, a parte instrumental também é bem legal, com muitos efeitos e bom uso do teclado e guitarra.
Uma pérola obscura e muito boa. Recomendado!
Novo Link

Num castelo da idade média
Um velhinho falava
Que o bobo da corte era o conde
Que o conde era o bobo
Será que era ele? Cruz Credo!

Na noite escura
Vendo a neve cair
O velhinho falava
Cadê meu alho, meu espeto de pau, minha espada de prata?
Será que era ele? Cruz Credo!

Mister Drá

Great pearl of brazilian rock, Pão com Manteiga (Bread and Butter) was a group from São Paulo that was formed in the mid 70's and released only one album in 1976. Little information exists about this band.
The group's sound was psychedelic in this album, in lyrics and melodies, but also had influences of progressive rock and Brazilian music. The lyrics are all in Portuguese and well "fanciful", at times comic and other criticisms. The voice reminds far from Ney Matrogrosso, the instrumental part is also very nice, with many effects and good use of the keyboard and guitar.
A obscure and very good pearl. Recommended!

Johnny - vocal e guitarra
Edison - bateria e efeitos
Paulo Som - viola, violão e vocal
Pierre - baixo e vocal
Gilberto - teclados e banjo

Mister Drá
Merlin
Flor Felicidade
Micróbio do Universo
Montanha Púrpura
Multi-Átomos
Serzinho Sem Medo
Cavaleiro Lancelot
História do Futuro
A Feiticeira
Fugindo do Planeta
Virgem de Andrômeda



terça-feira, 3 de setembro de 2013

HARD BLUES ROCK - KLEPTOMANIA - Elephants Lost - 1979 (1972)


Grande pérola vinda da Bélgica! O Kleptomania foi formado em 1968 pelo baixista Charlie Deraedemaeker e pelo baterista John na capital Bruxelas. É considerado um dos maiores grupos do rock belga da primeira metade dos anos 70, apesar disso a banda nunca chegou a lançar um disco durante seus anos de atividade (68-75), apenas alguns compactos. O disco que posto aqui foi gravado em 1972, mas durante este período a gravadora Flame acabou falindo e o álbum nunca saiu, apenas 7 anos depois as gravações foram achadas e lançadas em um álbum: Elephants Lost, que teve apenas 500 cópias. Em 1995 foram lançados 2 CDs com músicas remasterizadas deste disco e outras gravações e músicas lançadas em single pelo grupo.
O grupo traz na maioria do seu som o hard rock com muitas influências de blues (lembrando Led Zeppelin em momentos), já algumas faixas são longos jams. As faixas são na sua maioria instrumentais, as guitarras e a bateria "da pesada" merecem destaque, a presença do órgão Hammond também é muito boa em alguns momentos.
No geral, um ótimo registro. Pérola altamente recomendada para fãs do típico "hardão setentista".
Link

Great pearl coming from Belgium! The Kleptomania was formed in 1968 in the capital Brussels. It is considered one of the greatest rock groups of the Belgian rock during the first half of the '70s, yet the band never got to release an album during its years of activity (68-75), only some singles. The album posted here was recorded in 1972, but during this period the label Flame ended up bankrupt and the album never came out, just seven years after the recordings were found and released in an album: Lost Elephants, which had only 500 copies.
The group brings a great hard rock sound with many influences of blues (remembering Led Zeppelin at times), since some tracks are long jams. The tracks are mostly instrumental, guitars and drums are noteworthy, the presence of the Hammond organ is also very good at times.
Overall, a great record. Highly recommended for fans of the Hard Rock from 70s.



Charlie Deraedemaeker (baixo)
Wim Hombergen (guitarra, vocal)
Roger Wollaert (bateria)
Dany Lademacher (guitarra, vocal)

01 Intro (2:54)
02 Improve (5:52)
03 Moonchild (4:15)
04 Stop (4:45)
05 Eligie (5:32)
06 Thema (5:31)
07 Cadens (1:40)
08 Travel (4:02)
09 Intrude (6:23)
10 Visit For Above (6:00)
11 Divertimentos (11:01)
12 Sign On My Head (3:54)



segunda-feira, 2 de setembro de 2013

PROG/KRAUTROCK - PINGUIN - Der grosse rote Vogel - 1972


Pérola alemã de Krautrock, o Pinguin se formou em 1970 com o nome de Talix, lançando uma outra raridade em 1970. Lançaram em 1972 seu primeiro e único álbum: Der grosse rote Vogel, o primeiro da gravadora Zebra. O grupo veio a acabar um ano após o lançamento do LP.
Seu álbum, o grande pássaro vermelho (em português) traz um som mais maduro e voltado ao progressivo do que o disco de 70. Apesar de ser classificado como Krautrock, o som da banda é bem diferente de outros grupos tradicionais alemães do estilo, voltados mais para a música experimental. As seis longas faixas têm uma boa e interessante combinação de vários instrumentos como flauta, saxofone, guitarra e órgão (predominante nas canções), o vocal de Klaus Gebauer, apesar das letras serem em alemão, também merece destaque.
Uma ótima pérola, recomendada para fãs de progressivo e também Krautrock.
Link (Cun Cun Na' Ma')
Revisão em Inglês - Review in English -> Prog Ears

German Pearl of Krautrock, the Pinguin was formed in 1970 under the name Talix, launching another rarity in 1970. Launched in 1972 their first and only album: Der grosse rote Vogel, the first in label Zebra. The group came to end one year after the release of this LP.
Their album, the big red bird (in English) brings a more mature sound and returned to progressive than the 70 one. Despite being classified as Krautrock, the band's sound is quite different from other traditional German groups of this style, geared more towards experimental music. The six long tracks have a good and interesting combination of various instruments such as flute, saxophone, guitar and organ (predominantly in the songs), the voice of Klaus Gebauer, even though the lyrics are in German, is also noteworthy.
A great pearl, recommended for fans of progressive and Krautrock also.


Klaus Gebauer (vocal)
Markus Schaub (guitarra, vocal)
Joe Voggenthaler (guitarra, percussão)
Tom Wohlert (baixo, bongo)
K.D Blahak (bateria)
Volker Plitz (órgão, percussão)
Elmar Kast (saxofone, flauta, percussão)

1 Der große rote Vogel 08:43
2 Die Angst 06:09
3 Der Frosch in der Kehle 07:18
4 Der blaue Wind 07:46
5 Die Nachtmusik 05:17
6 Der Traum 06:06