Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

domingo, 30 de junho de 2013

PROGRESSIVE ROCK - TAKO - Same - 1978

Pérola formada em 1975 na Iugoslávia, na cidade de Belgrado (atual capital da Sérvia) por ex-membros das bandas Opus e Pop Mašina. Após algumas mudanças na formação o grupo lançou dois álbuns em 1978 e 1980. Infelizmente não conseguiu alcançar o sucesso e se desformou um ano após o segundo disco; hoje em dia é considerada uma das pioneiras e mais importantes bandas progressivas do leste europeu da época.
Apesar de ser considerada como rock progressivo, o som do Tako traz várias influências, desde o Rock Progressivo Sinfônico e "clássico", passando pelo Jazz fusion até psicodélico e Space Rock. As músicas são na maior parte instrumentais e a composição é bem construída em torno de sintetizadores sinfônicos, flautas, guitarras e uma atmosfera viajante, resultando em um excelente trabalho. Provavelmente um dos melhores vindos da Europa Oriental.
Altamente recomendado para todos os fãs de rock progressivo.

Link
Incorporating influences from Classical Prog, Jazz/Fusion, flute-based Prog and Space Rock, Tako manage to offer one of the better epics I've heard in a long time.The composition is extremely tight and well-built around symphonic synths, jazzy interludes, Classical breaks, driving flutes, emotional guitars and spacey floating atmospheres, resulting to a magnificent and thrilling piece of inspired music.
Prog Archives

Dusan Cucuz (bass, vocals)
Miroslav Dukic (guitar, vocals)
Slobodan Felekatovic (drums)
Djordje Ilijin (keyboards, flute)

1. Probudi se (4:48)
2. Sinteza(4:55)
3. Utapanje sunceve svetlosti u pescanu memoriju (6:35)
4. Lena (4:43)
5. Minijatura (2:55)
6. Druga strana mene (16:28)



sábado, 29 de junho de 2013

FOLK ROCK - JÓNAS OG EINAR - Gypsy Queen - 1972


Obscura pérola vinda da Islândia, Jónas og Einar era um duo, mas que para a gravação do disco adicionou mais dois músicos (bateria/baixo). Seu único vinil foi gravado e lançado na Suécia pela Parlophone.
Gypsy Queen trazia um folk rock simples com temas hippies e em alguns momentos acústico, tem também alguns toques psicodélicos. As letras são todas em inglês. Lembra de leve o som do Jethro Tull.
Pérola legal pra se conhecer.
Link

Jónas og Einar was a folk rock duo from Iceland. Has simple themes hippies and some acoustic moments, it also has some psychedelic touches. Remember the sound of Jethro Tull.

Jónas R. Jónasson (vocals, flute, accordion, percussion)
Einar Vilberg Hjartarson (vocals, guitars)
Timmy Donald (drums, congas)
Sigurdur Arnason (bass)

On a Riverboat
Sweet Lady
I Just Want Your Love
A Song for Christine
Gypsy Queen
Look at All Those People
Freedom for Our Lovin
See the Sun
Music-Forest
How Can We Know God Is Real
Lucky Day
Gypsy Queen



sexta-feira, 28 de junho de 2013

HARD PROG - CLIMAX - Gusano mecánico - 1974


Power Trio boliviano formado no fim dos anos 60, o Climax lançou apenas um disco no ano de 1974 com 6 faixas que foi relançado recentemente com mais 8 bônus, tendo covers de Cream, Hendrix e Steppenwolf.
A banda traz não só o melhor exemplo de rock boliviano da época, mas também um dos melhores discos de hard rock/progressivo vindo da América do Sul nos anos 70! Ouvindo Gusano mecanico percebe-se grande influência dessas três bandas citadas acima e outras como Santana e Pink Floyd. O som é baseado no hard rock, mas tem passagens progressivas e psicodélicas também, as músicas são todas em espanhol. Os três músicos trabalham muito bem, mas o destaque principal vai para a guitarra que traz solos matadores.
Pérola altamente recomendada!
Link (Plixid)
There’s a slight jazz bent with piano grooves - but generally this is crazed instrumental jamming, with fuzzy and freaky guitar solos all over. Mostly instrumental over 6 long tracks with blazing guitar - played avant style ala Pinhas or Fripp, and with some aggressive vocals as well. Has that true sense of adventure that was more common in its day
Rate Your Music

Jose Eugenio (guitarra, teclados e vocais)
Javier Saldias (baixo)
Alvaro Cordova (bateria)

Pachacutec (Rey de oro) 7:32
Transfusión de luz 4:35
Cuerpo electrico – Embrión de reencarnación 6:05
Gusano mecanico 10:52
Prana – Energia vital 2:55
Cristales sońadores 3:22

quinta-feira, 27 de junho de 2013

PROG/PSYCH - BÉRÉNICE - Alors Dieu chatia l'homme / Please Pretty Girl - 1971

Mais um raro single do começo dos anos 70. Muito pouco se sabe sobre o grupo francês Bérénice, lançou apenas esse single no ano de 1971 pela Germinal e se acabou pouco tempo depois.
Traz uma mescla entre rock/pop psicodélico e progressivo, as músicas são em francês (Alors Dieu) e inglês (Please Pretty Girl). Pérola legal de se conhecer.

Line-Up desconhecido

A1 Alors Dieu chatia l'homme
B1 Please Pretty Girl

Very rare French progressive rock group, only single ever done by the mysterious combo!
ubupopland - Blues Hard Rock


quarta-feira, 26 de junho de 2013

HEAVY PSYCH - CEREBRUM - Time's Door / It's so Hard - 1970

Grande pérola do rock espanhol, formada em Madrid no ano de 1969 Cerebrum lançou apenas dois singles em 1970, sendo esse que posto aqui o segundo deles. Um disco foi lançado pela Shadoks em 2011 trazendo além das 4 músicas dos singles outras bônus e material de bandas que deram origem ao Cerebrum.
O grupo fazia um rock ácido e de garagem, as faixas de ambos lados tem guitarra e bateria pesada e distorcide. Os vocais são em inglês. Pérola recomendada!

Rarest single for the only two this geat Spanish progster combo did. Amazing two siders, Speed freak drum work, crazy heavy guitar, essential Euro underground psych rock

Ubupopland - Blues Hard Rock

Pedro Moreno (drums)
Luis Navarro (vocals, harmonica)
José María "Chema" Pellicó (bass)
Javier Esteve (guitar)

Time's Door 2:54
It's So Hard 3:43




terça-feira, 25 de junho de 2013

SYMPHONIC PROG - ABBHAMA - Alam Raya - 1978


Raríssima pérola do rock progressivo sinfônico vinda da Indonésia. Formada na capital Jacarta na segunda metade dos anos 70, o grupo só lançou um cassete em 1978, sem conseguir sucesso se acabou um ano depois. Logo após o fim da banda, o vocalista Madjid e o baixista Darwin formaram o grupo WOW!
O som do Abbhama em seu único trabalho Alam Raya traz muitas influências de grupos britânicos progressivos como Yes e Genesis, que se misturam com a música típica do seu país, principalmente nos vocais (todos na língua nativa)e no uso de flauta e oboé. Destaque esses últimos elementos e aos teclados que dão um toque especial a essa banda.
Pérola altamente recomendada para fãs de progressivo que procuram um som diferente.
Link
A very sweet, naive sound, classical oriented, with soft tender moments that remind me of the quiet parts of Hacketts' Voyage of the Acolyte. Has elements of Trespass era Genesis. Beautiful, well composed melodies that stick with you. This is a true gem! It will set you free if you let it. Quite unique and highly recommended!
Rate Your Music

Mais revisões em inglês/More reviews in English -> Prog Archives

Iwan Madjid (vocals, piano)
Oni (keyboards)
Darwin B. Rachman (bass)
Robin (drums)
Dharma (flute)
Cok B (guitar)
Hendro (oboe)

Kembali 4:37
Asmara 2:57
Alam Raya 3:42
Karam 3:53
Keriadaan Yang Ada 5:24
Terlenia 3:04
Air 4:34
Malam 3:54
Indonesia 7:41
Ibu 4:16



domingo, 23 de junho de 2013

FREE JAZZ - MIN BUL - Same - 1970


Projeto do guitarrista norueguês Terje Rypdal, o Min Bul era um trio formado por ele, o contabaixista Bjørnar Andresen e o baterista Espen Rud. O grupo teve vida muito curta: formou-se em 1970, lançando um disco no mesmo ano e no ano seguinte se desfez.
O som do trio liderado pela guitarra de Terje traz uma música altamente experimental para a época, muitas vezes áspero e ruidoso (como na faixa de abertura "I Cried A Million Tears Last Night") , em alguns momentos beirando o Avant-jazz.
Pérola altamente recomendada para fãs de free jazz!

Link




"Min Bul" is a highly experimental work for its time. On this album, a Norwegian guitar-bass-drums trio lead by Terje plays electric, often scratchy and even noisy fusion on the edge of avant garde jazz.
Jazz Music Archives

Double Bass/Bass – Bjørnar Andresen
Drums – Espen Rud
Guitar, Soprano Saxophone – Terje Rypdal

1. I Cried A Million Tears Last Night 6:16
2. Invocation 6:10
3. Champagne Of Course 11:05
4. Ved Sørevatn 5:56
5. Nøtteliten 7:35
6. Strange Beauty 5:45



sábado, 22 de junho de 2013

PSYCH JAZZ FUNK - WILD HAVANA - Same - 1977

Wild Havana foi uma obscura e desconhecida pérola holandesa formada pelos irmãos Cor e Johan Smit e que lançou apenas um álbum.
O disco homônimo de 1977 traz uma estranha mistura entre psicodélico, progressivo e jazz com pitadas de funk. O som é muitas vezes abstrato e experimental, não há uso de bateria. Destaque para algumas passagens de flauta e guitarra.
Som legal pra se conhecer.

Link
Great and unknown album from Netherlands.Released in 1977 it's a beautiful strange psych prog LP with abstract compositions ,experimental edges and somy funk hints
Mutant Sounds

Johan Smit-Guitars, Bass, Mandolin, Autoharp, Percusion.
Cor Smit-Flutes, Harmonica
Keess Engelhart-Electric Piano

The Peacock 5:45
Torture 9:08
Lamento 2:14
Wild Havana 4:47
Sky Scraper 4:51
Nasty Stuff 7:00
Jumping 3:38
Phased 2:11



sexta-feira, 21 de junho de 2013

COUNTRY ROCK - COUNTRY FUNK - Same - 1970


Pérola formada em Los Angeles, nos EUA na segunda metade dos anos 60 com o nome de Adam, mudaram algumas vezes e só em 1968 passaram a se chamar Country Funk. O quarteto lançou apenas dois álbuns no começo dos anos 70, sendo o material do primeiro disco gravado no fim dos anos 60. Sem sucesso, o grupo se desfez em 1972.
Apesar do nome, o som da banda não tinha nada de funk e lembrava o de grupos de country rock que conseguiram fama nos EUA no fim da década, como Byrds e Buffalo Springfield. Trazia um bom country rock com muita influência do folk da costa oeste americana, blues e até algumas pintas de psicodélico e hard. Destaque para as faixas Part of Me, Poor Boy e Phoebe (Mourning Pink). Pérola altamente recomendada para fãs de country/blues rock americano!
Link
Country Funk (Site)

While no classic, Country Funk is still a very good album (kind of a mini gem) thats appeal lies in its consistency (no weak tracks) and timeless sound – think Buffalo Springfield, The Byrds.
Solid songs and thoughtful songwriting, succinct guitar solos, good use of fuzzbox and spirited vocals make Country Funk one of the finer, unsung American LPs of it’s time.
Rising Strom

Adam Taylor (lead guitar)
Hal Paris (rhythm guitar, piano)
Jeff Lockwood (bass)
Joe Pfeifer (drums)

A Part of Me 3:35
Phoebe (Mourning Pink) 2:07
Really My Friend 4:03
Not This Time 2:01
For Me 2:59
Poor Boy 4:45
A Way to Settle Down 2:23
When I'm Without You 4:54
Comin' In 3:03
If I Find a Way (Song of Love) 3:04
Another Miss 2:50
Want 2:59



quarta-feira, 19 de junho de 2013

ROCK - NIRVANA - Duh / Kome Da Kažem - 1975



Pérola vinda de Zagreb, Iugoslávia (atual capital da Croácia), o Nirvana se formou em 1970 como um trio e adicionou um integrante nos anos de 1972-73, lançou apenas um single no ano de 1975.
As duas músicas trazem um bom rock'n'roll com pitadas de progressivo e hard rock. As letras são todas em croata. Pérola legal pra se conhecer.
Link

Krešimir Šoštar (guitarra)
Zdravko Štimac (bateria)
Tomas Krkač (baixo)

01 Duh 3:30
02 Kome da kažem 3:47

Pequena Coletânea não oficial feita por mim com as duas músicas do compacto + três músicas retiradas do discos "Boom '72" e "Boom '73":

terça-feira, 18 de junho de 2013

PROG FOLK - GEYSIR - Hljomsveitin - 1974


Geyser foi um grupo norte americano de folk rock, mas que se estabeleceu e gravou seu único disco, de 1974, na Islândia, pela Hljómplötur, que hoje é uma verdadeira pérola.
O álbum Hljomsveitin pode ser considerado na maioria folk acústico, mas viaja entre o progressivo e psicodélico. O som da banda é influenciado por outros grupos americanas e britânicas da época, mas também há muita presença da música nórdica.
Boa pérola, recomendado!
Link

Mostly soft, acoustic driven folk/prog, with some electric mat'l as well. They were a U.S. band, whose album seems to have been recorded in Denmark, and released only in Iceland.
Rate Your Music

Len Davidson (Bass, Drums)
Judy Niblock (Flute, Vocals)
Svavar Gests (Liner Notes)
Gordon Kidd, Gísla Gissurarson (Guitar, Vocals)

To My Little Lady
Children
Ocean Waves
The Messenger
A Candle Weeps
Shine
Thoughts
Warrior Child
It Is All Up To People
Memories
Fantasy Of Reality

Faixa Children: www.youtube.com/watch?v=4_Yw_FrF3Ns

                                       

segunda-feira, 17 de junho de 2013

HEAVY PROG - T.P. SMOKE - Same - 1970



T.P. Smoke foi uma obscura pérola progressiva dinamarquesa liderada por Tommy Petersen que só lançou um disco de mesmo nome no ano de 1970, gravado na Alemanha. O grupo não durou muito tempo e logo acabou.
O som traz um progressivo pesado, com influencias de blues e hard rock. O órgão Hammond guia todas as 7 faixas do álbum com bons solos e dá um ar meio psicodélico em alguns momentos, lembrando o som do Atomic Rooster. Os vocais são todos em inglês, mas carregados de sotaque.
Não é um dos melhores sons vindos da Dinamarca nos anos 70, mas vale a pena conhecer.
Link (Rockasteria)
Tommy Petersen was the leader of the group - he wrote the songs, provided the soul and blues flavoured vocals and played the lead instrument. Several tracks sound like a curious  cross between Atomic Rooster, Hansson & Karlsson and Tom Jones.
Tyme Machine


Tommy Petersen (Hammond organ, vocals)
Kay Rose (bass)
René Sejr (drums)

The Bad, Bad Junker 6:22
Take a Trip 4:55
You're Right Place 6:45
I'm Stone 4:05
The Girl I Met Today 7:06
Dreams 4:03
Hammerschmitts Garden 10:06
Smoke 4:59



domingo, 16 de junho de 2013

ACID FOLK - ROBIN SCOTT - Woman from the warm grass - 1969

Banda formada pelo cantor e compositor inglês Robin Scott, que só lançou essa rara pérola em 1969. O disco foi relançado somente em 2006, com faixas bônus.
Woman from the warm grass, de 1969 traz um som psicodélico na maioria acústico, parecido com muitos artistas britânicos de folk rock. Os vocais variavam muito dependendo da faixa (saudade, romantismo, ansiedade). Variam também os arranjos, às vezes optando por violão solo e voz, em outros, utilizando a banda completa.
Pérola folk recomendada!
Link (Rockasteria - Password: xara)
This is psychedelic rock, mostly acoustic, folky jams based around Scott and his guitar (with tasteful accompaniment of bass and strings), but also with 4 up-tempo tracks backed by Mighty Baby (who you should check out - great band). Scott's psychedelic poetry is often gorgeous, and he weaves intricate pastoral images of love and the worship of nature
Rate Your Music

Robin Scott - Acoustic Guitar, Vocals
Martin Stone - Lead Guitar
Gordon Huntley - Steel Guitar
Mike Hvans - Bass Guitar
Ian Whiteman - Piano
Roger Powell - Drums

1. The Sailor - 4:00
2. Song of the Sun (Robin Scott, John West) - 3:42
3. The Sound of Rain - 4:30
4. Penelope - 7:01
5. The Day Begins - 4:55
6. Woman From The Warm Grass - 3:39
7. I Am Your Suitcase Lover - 4:22
8. Mara's Supper (Robin Scott, Ian Carruthers) - 4:24
9. Point Of Leaving - 3:17
10. The Purple Cadger (Robin Scott, Ian Carruthers) - 3:14
11. Tattooed Lady (Bonus Track) (Robin Scott, Ian Carruthers) - 4:53

sábado, 15 de junho de 2013

COUNTRY ROCK - WIDSITH - Make of Song - 1972


Widsith foi uma pérola formada pela dupla Bob Teer e Ed McCafferty do começo da década de 70, em Nova Jérsei. O duo lançou apenas um único álbum em 1972, pela Alithia. Foram lançadas pouquíssimas cópias, tornando esse raro registro do country rock americano disputado pelos colecionadores.
O disco Make of Song trazia um som bem simples e rural do começo ao fim, com letras hippies e alguns toques psicodélicos e folk, típicos de bandas americanas da época. Destaque para algumas boas passagens da guitarra e
gaita de boca.
Link

New Jersey duo of Bob Teer and Ed McCafferty. Released 1972. Dreamy Folk-Psych performed on guitars. Occasional flute, congas, sax, piano and drums.
Popsike

Bob Teer
Ed McCafferty

The Mighty Owl 3:16
Climb On 3:45
A Child's Father's Song 3:59
Dazey Me 3:23
Rainfoot's Carnival 4:38
Mulberry Hill 3:19
The River 3:20
Rust in the Rain 3:15
Scylla 2:43
Singer in the Marketplace 5:24

sexta-feira, 14 de junho de 2013

JAZZ ROCK - PSI - Horizonte - 1977


Obscura pérola alemã formada em 1975, na cidade de Hessen. O grupo lançou apenas um disco com som típico das bandas de jazz rock/fusion alemães, lembrando principalmente Passport e Kraan, com alguns toques experimentais de Krautrock. Conta com ótimos músicos (destaque principal para órgão, guitarra e sax) e bons e complexos) arranjos durante todo o tempo.
Ótimo disco, recomendado para todos os fãs de fusion.
Novo Link

Psi won't be the best word: one album, one expression, soft complexity in a singular fashionably sense, a rarity and an individuality. If there is however something to demonstrate regarding that, it's that music counts and that the particular can mean much more than expected - at least in a contrast with the popular, the enlarged, the characteristic. Strong tone, mature consciousness and interesting spur - that makes it recommended.
Prog Archives

Revisão em Português - ThinkFloyd61


Bodo Feldmann (bass, vocals)
Matthias Frey (keyboards, synthesizer, vocals)
Volkmar Zimmermann (guitar, vocals)
Robert Jahn (drums, percussion, vocals)
Wilfried Kunkler (tenor saxophone, horns, percussion, vocals)

Unter der Schürze liegt die Würze 2:27
Bettgeräusche 5:26
Horizonte 7:28
Elektrisch Kall-Heinzje 5:02
Urschrei 2:04
Breikopf 8:35
Drall / Arkadash 9:25


quarta-feira, 12 de junho de 2013

SYMPHONIC PROG/PSYCH - RADIOMÖBEL - Gudang Garam - 1978


Radiomöbel foi uma banda sueca formada na cidade de Lund. O grupo lançou 2 discos na segunda metade dos anos 70, com destaque para o segundo, Gudang Garam, de 1978. O som passavam pelo rock progressivo sinfônico, space, rock psicodélico e contava ainda com passagens de folk e rock in opposition (RIO), lembrando o som do Camel e VDGG. Destaque para a guitarra, teclado e bateria, que são fantásticos no disco.
Pérola altamente recomendada para todos os fãs de rock, principalmente space e progressivo!
Novo Link
Composto de 8 músicas que passeiam entre o rock progressivo, space rock, rock psicodélico lotados de moogs, hammonds e guitarras. Esse clima instrumental culmina na suíte de quase 16 minutos chamada Fasa. Atenção para algumas sequências de teclados na linha do melhor Krautrock alemão e alguns toques progressivos de bandas britânicas dos anos 1970. Muito difícil de comparar este grupo com algum já existente. Uma pérola do progressivo sueco.
Esquina do Rock

- Göran Andersson / bass
- Carin Bohlin / vocals
- Andrus Kangro / guitar
- Richard Moberg / keyboards
- Mikael Skoog / drums

Gudang Garam (0:08)
Höstsång (6:48)
Fasa (5:50)
E-Matt (9:44)
Vaggvisa (3:47)
Kylle (0:47)
Flugornas Morgon (15:38)
Finalen (1:27)



segunda-feira, 10 de junho de 2013

HARD ROCK - SOCRATES DRANK THE CONIUM - On The Wings - 1973



Socrates Drank the Conium foi uma pérola grega, formada na capital Atenas em 1969. considerada uma das melhores da década de 70 do país, junto com Aphrodite's Child e outras. Lançou três discos com esse nome e depois mudaram para Socrates, lançando outros álbuns na segunda metade da décade e anos 80. O grupo se reuniu em 1999 como quinteto e lançou o disco Live '99, de lá pra cá o Socrates tem feito shows na região.
O grupo tinha um som caracterizado como progressivo nos dois primeiros álbuns, mas que mudou no último disco deles, On the Wings, de 1973. O antigo trio adicionou mais um guitarrista e lançou o álbum com muitas influências de bandas consagradas do hard rock britânico como o Led Zeppelin e Cream. Alguns toques de blues e progressivo também estão presentes. Destaque para as guitarras, com ótimos riffs e a agressiva bateria.
Pérola altamente recomendada para todo fã de hard setentista!
Link (The Music Weaver)
Either way Socrates Drank the Conium was a way kick ass Hard Rock/Prog outfit from the early 70's. The strength here lies in the biting guitar tones and absolutely stunning drum finesse exhibited here. Weird off kilter time signatures and rhythms collide with just gut punching rock riffs to form a solid album.

Αντώνης Τουρκογιώργης [Antonis Tourkoyorgis] (bass, vocals)
Κώστας Δουκάκης [Gus Doukakis] (guitar)
Γιώργος Τρανταλίδης [Giorgos Tradalidis] (drums)
Γιάννης Σπάθας [Yannis Spathas] (guitar)

1. "Who Is To Blame" — 3:47
2. "Distruction"[sic] — 4:32
3. "Naked Trees" — 5:00
4. "Death Is Gonna Die" — 3:33
5. "This Is The Rats" — 2:49
6. "Lovesick Kid's Blues" — 2:50
7. "On The Wings Of Death" — 3:25
8. "Breakdown" — 3:04
9. "Triping In A Crystal Forest"[sic] — 1:49
10. "Regulations ( If I Were A President )" - 2:40




domingo, 9 de junho de 2013

JAZZ ROCK - RAIZ DE PEDRA - Trajetória - 1984



Grupo formado em Porto Alegre, no ano de 1980. A banda lançou 2 discos nos anos 80, sendo Trajetória, de 1984, o primeiro do grupo e foi relançado só em 2008, com faixas bônus. O segundo, foi gravado ao vivo, em 1987.
Raiz de Pedra trazia um som muito influenciado pelo jazz rock/fusion e som experimental de grupos europeus e nacionais e pela música popular brasileira, contando com ótimos arranjos e composições. As letras são todas em português.
Grande Pérola do jazz fusion nacional, altamente recomendado!
Link

Influenced by a wide scope of music from King Crimson to Jan Garbarek and of course Brazilian Masters like Egberto Gismonti and Hermeto Pascoal...I can wholeheartedly recommend this album to any Prog / RIO/ Jazz-Rock fan, as they will surely not only enjoy it, but also discover a new world of music, which surely deserves to be heard.
Rate Your Music

Cezar Audi-bateria e percussão
Ciro Andrade-baixo
Marcelo Naduz-Piano acústico
Márcio Tubino-sax alto,flautas
Pedro Tagliani-guitarra,violão e vocal

01 - Prisma (Raiz de Pedra)
02 - Quatro cores (Eclair de Souza)
03 - Trajetória (Pedro Tagiani)
04 - Movimento (Marcelo Nadruz)
05 - Carnaval dos aflitos (Raiz de Pedra)
06 - Céu, espelhos e cristal (Ciro Monteiro - Antônio Meira)
07 - Alameda das orquídeas (Pedro Tagiani)
08 - Cavalgada (Marcelo Nadruz)
09 - De passagem (Cesar Audi - Marcelo Nadruz)



sábado, 8 de junho de 2013

FOLK ROCK - CANO - Tous dans l'même bateau - 1976



Pérola canadense formada ao norte da província de Ontário, no começo dos anos 70, numa comunidade hippy chamada CANO (Cooperative Artistes du Nouvel Ontario) que tinha além de músicos, pintores, atores, escritores, etc. A banda lançou vários discos na segunda metade da década e nos anos 80, sendo os primeiros mais focados no folk/prog e os últimos tinham tendência mais comercial.
O primeiro disco Tous dans l'même bateau, de 1976, traz basicamente música folk francesa-canadense, com pitadas de rock progressivo e country rock (violino e gaita), os vocais são masculinos e femininos e todos em francês.
Recomendado para fãs de folk/country rock
Link
''Tous Dans L'Meme Bateau'',released in 1976,was a mix of pleasant Folk tunes with more intricate pieces of Folk Rock music,like the dark opener ''Viens nous voir'',featuring beautiful violins and acoustic guitars accompanied by the poetic performance of Paiement.
Prog Archives

- Marcel Aymar / voice, acoustic guitar,Turkish cymbals
- David C. Burt / electric guitars, harmonica
- Michel Dasti / drums, percussion
- John Doerr / bass, synthesizer, trombone, electric piano
- Michel Kendel / grand piano, bass, electric piano
- Wasyl Kohut / violin, mandolin & Seagulls
- Rachel Paiement / voice, acoustic guitar, percussion
- André Paiement / voice, acoustic guitar

Viens nous voir (8:37)
Dimanche après-midi (3:40)
Pluie estivale (2:51)
Le vieux Médéric (3:00)
Les rues d'Ottawa (3:45)
En plein hiver (9:25)
Chanson pour Suzie (1:00)
Baie St. Marie (9:12)




quinta-feira, 6 de junho de 2013

ACOUSTIC FOLK - FEO - Eg Meini Ted - 1971



Pérola rara do folk nórdico, Feo se formou na Dinamarca em 1970 somente por pessoas cegas ou com problemas de visão! Lançaram dois álbuns, com destaque para o primeiro: Eg Meini Ted.
O som era na maioria acústico, contando com alguns momentos psicodélicos e progressivos. A flauta de T. Andersen domina o instrumental, junto com o violão e violino e o uso da língua local, classificam o Feo como folk. As músicas são na maioria curtas, e tem alguns bons arranjos.
Pérola recomendada!
Link

Feo was an acoustic band formed in an institution for blind people: all members are blind or visually impaired. They play a kind of progressive folk music.
Their material, all self-composed, is quite diverse, the singing excellent and overall this is an interesting record with an atmosphere of its own.
Tyme Machine

Flemming Nørgaard (bass)
Rudi Albertsen (vocals)
Sune Durhuus (guitar)
Thorkild Blond Andersen (flute)
Mikkel Bayer (violin)

1. Eg Meini Ted
2. Bjergfyr (Mountain Pine)
3. April*
4. Maj*
5. Juni*
6. Rundgang (Turnaround/Progression)
7. Drømmen (the Dream)
8. Bedstemor (Grandma)
9. Os (Us)
10. Mosen (the Bog)
11. Sisdyrdans (Sis-animal Dance)
12. Undren (Wonder)
13. Eg Meini Ted II



segunda-feira, 3 de junho de 2013

JAZZ ROCK - FLAMENGO - Kuře v Hodinkách - 1972

A banda Flamengo foi uma das primeiras bandas Tchecas, hoje é considerada um "lenda" no rock do país. Se formou em 1966 na capital Praga voltando seu som para Beat rock e lançou alguns singles na época. Após mudanças na formação e principalmente com a chegada do vocalista Vladimir Misik, a banda passou a se dedicar ao jazz fusion, lançando seu único álbum no ano de 1972, pela Supraphon e se acabando no meio dos anos 70. O disco Kuře v Hodinkách foi relançado várias vezes desde os anos 90, incluindo versões com faixas bônus.
Kuře v Hodinkách traz um brass/ jazz fusion muito legal de se ouvir, com características que dão um toque a mais para o álbum, principalmente pela língua nativa e ótimos riffs de saxofone presentes, em dueto com a flauta. Contêm também algumas passagens voltadas para o folk e outras mais "agressivas" para o hard rock/prog, principalmente quando o órgão aparece.
Pérola quase desconhecida para nós brasileiros, mas um prato cheio para fãs de Jazz rock/fusion.
Link

ProgArchives


Jan Kubik (saxofone, flauta, clarinete, vocal)
Pavel Fort (guitarra, vocal)
Ivan Khunt (órgão, vocal)
Vladimir Guma Kulhanek (baixo, vocal)
Jaroslav Erno Sedivy (bateria)
Vladimir Misik (violão, vocal)

1. Kure V Hodinkach (Introdukce) / Chicken In The Watch (Introduction) (2:30)
2. Rám Prístích Obrazu / Frames Of Future Pictures (4:00)
3. Jenom Láska Ví Kam / Only Love Knows Where (2:55)
4. Já A Dým / Me And The Smoke (4:55)
5. Chvíle Chvil / Moment Of The Moments (4:20)
6. Pár Století / Some Centuries (6:30)
7. Doky, Vlaky, Hlad A Boty / Dockyards, Trains, Hunger And Shoes (4:30)
8. Stále Dál / Further On (3:15)
9. Kure V Hodinkach / Chicken In The Watch (5:30)



domingo, 2 de junho de 2013

FUSION/ZEUHL - LAGGER BLUES MACHINE - Same - 1972



Obscuro sexteto vindo da Bélgica, foi formado no fim dos anos 60 na cidade de Itterbeek. O grupo conseguiu lançar dois álbuns no seu curto período de existência, se acabando alguns anos depois do segundo disco, em 1975. Em 1994, os dois discos foram relançados pela gravadora italiana Mellow record.
Lagger Blues Machine tinha um som muito influenciado por bandas da Canterbury Scene como Soft Machine e francesas como Moving Gelatine plates e Magma, sendo, então, classificada como do movimento Zeuhl belga. O segundo disco, de 1972, é considerado o melhor do grupo e traz cinco longas faixas (menos Tanit) na maioria instrumentais com predominância do Jazz fusion, progressivo e também de rock in opposition/zeuhl. Um disco sólido e complexo, com muitas boas passagens de sax e flauta, destaque também para o órgão, que tem longos solos por aqui. Destaque para as duas partes da faixa Symphonie, somando 27 minutos.
Pérola altamente recomendado para fãs de RIO e Fusion!
Link
Heavy instrumental prog with very fractured material. The quality of the music is ultra-consistent. This is a style that was used somewhat frequently in the progressive genre, and can certainly be an aquired taste. Self-titling this album is also a bit misleading, as there is scant reference to anything like the blues on here, but this can be forgiven considering the appeal of the music. This album was a gift, and I will treasure it.
Rate Your Music

- Christian Duponcheel / organs
- Jean-Luc Duponcheel / drums
- Jose Cuisset / guitar
- Michel Maes / bass guitar
- Vincent Mottouille / organs
- Carmelo Pilotta / flute, saxophone

1. Symphonie - Part 1 (13:57)
2. Darknessly (6:58)
3. Tanit (1:03)
4. Symphonie - Part 2 (13:23)
5. Born to be alone on a white desert island (8:59)



sábado, 1 de junho de 2013

PSYCH/PROG - Anonima Sound Ltd. - Red Tape Machine - 1972


Grupo criado como trio em 1964 com o nome de Anonima Sound e sendo uma banda de Beat/pop, mudou o nome para Anonima Sound Ltd. em 1970, após a saída do guitarrista Ivan Graziani e também seu som, tendo mais foco para o psicodélico e progressivo/folk. A partir daí teve 7 integrantes, incluindo um americano e dois ingleses. Realizaram um EP e um disco: Red Tape Machine, em 1972. Não conseguindo sucesso, o grupo logo se desfez.
A banda era muito influenciada pelo som britânico, principalmente pelo Jethro Tull, tendo todos os vocais em inglês e lembrando pouco o som das bandas italianas da época. Trazia um som psicodélico, passando várias vezes pelo progressivo (flauta e teclados).
Pérola longe de ser uma "Obra-prima" do rock italiano, mas tem algumas boas passagens.
Link (Solidboy Music Blog)

The prog element on this album is minimum, actually i wouldn`t call it prog myself, the music is not bad at all, but as i said above there is nothing original here and being an Italian band, the fact that they dont show any RPI flavour makes me being dissapointed of it. I definitely dont recommend it to fans of Italian prog, and actually i hardly recommend it to any prog fan, 2 stars for me.
Prog Archives

- Piero Cecchini / bass, vocals
- Lamberto Clementi / guitar
- Peter Dobson / guitar
- Velio Galazzi / drums
- Richard Ingersoll / vocals, flute
- Massimo Meloni / guitar, vocals
- Claudine Reiner / vocals, percussion

1. The Red Tape Machine (5:24)
2. The Last Debutante (5:12)
3. Window On The City (4:10)
4. Metro Song (4:57)
5. Dog's Life (4:13)
6. Triangle (7:00)
7. Freedom (3:19)
8. The Roofer (4:34)