Se você está interessado em baixar algum álbum postado a partir de 2015, entre em contato por e-mail: prolasdorock@yahoo.com ou deixe seu contato nos comentários (este não será visível publicamente), e o link será enviado o mais breve possível!


Mais informações aqui: http://goo.gl/ra9cdp


-------------


If you are interested in downloading any posted album from 2015, contact by email: prolasdorock@yahoo.com or let your email in comments (this will not be visible publicly) and the link will be sent as soon as possible!


More info here: http://goo.gl/ra9cdp

terça-feira, 20 de junho de 2017

ZAM ROCK - RICKY BANDA - Niwanji Walwa Amwishyo - 1976


Artista: / Banda: Ricky Banda
Álbum: Niwanji Walwa Amwishyo
Ano: 1976
Gênero: Zam Rock / Funk / Folk
País: Zâmbia

Comentário: Gravado em Lusaka, quase nada se sabe sobre este artista e o que parece ser seu único disco, tendo número pífio de cópias e hoje sendo uma das 'raridades máximas' dentro do rock africano. Conta com presença do percussionista Peter Lungu, que chegou a participar do WITCH.
O álbum traz 10 faixas curtas, que podem ser classificadas como Zam rock, mesclando estilos ocidentais, principalmente funk, soul e blues, porém sem presença de psicodelia / fuzz de outros conterrâneos, além de fortes influências de ritmos tradicionais, com a maioria das músicas cantadas em língua local. O instrumental é simples, baseado em percussão e bateria, além de tímida guitarra. A qualidade do som também não é das melhores, mas ainda aceitável devido as condições e tempo de gravação.

Recorded in Lusaka, almost nothing is known about this artist and what seems to be his only record, having a very low number of copies and today being one of the 'top rarities' of African rock. There is presence of percussionist Peter Lungu, who participated of WITCH.
The album features 10 short tracks, which can be classified as Zam rock, mixing western styles, mainly funk, soul and blues, but without the presence of psychedelia / fuzz like others countrymen, as well as strong influences of traditional rhythms, with most tracks sung in the local language. The instrumental is simple, based on percussion and drums, as well as timid guitar. The sound quality is also not the best, but still acceptable due to the conditions and recording time.

Músicos:
Ricky Banda (todos instrumentos, vocal)
+
John Mengo (bateria)
Jukes Kasuba (bateria) 
Peter Lungu (bateria)

Faixas:
01 Who's That Guy? 4:51
02 Niwanji Walwa 2:19
03 Pano Calo Chapanshi 3:17
04 Musaniseke Vigamba 2:49
05 Yangu E Mwebaleya 3:14
06 Let's Get Up Brothers 3:32
07 I Believe The Man In The Sky 5:13
08 Mavuto 3:56
09 Fwebana Zambia 3:31
10 Away From Home 4:43

segunda-feira, 12 de junho de 2017

PSYCHEDELIC / WEST COAST ROCK - COUNTRY WEATHER - San Francisco 1969-1971 - 2014


Artista: / Banda: Country Weather
Álbum: San Francisco 1969-1971
Ano: 2014 (1969-1971)
Gênero: Psychedelic / West Coast Rock
País: EUA

Comentário: Formada em Walnut Creek, Califórnia, em 1966, esta foi uma das muitas bandas locais que emergiram na época, e apesar de participar de diversos festivais e abrirem para grandes nomes, nunca conseguiram assinar com uma gravadora para lançar seu material. Apenas EPs promocionais / demos foram gravados, tendo pouquíssimas cópias (cerca de 50). Em 2005 estas antigas gravações (em estúdio e ao vivo) saíram em compilação, tendo uma nova versão em 2014 (que posto aqui hoje).
São 15 faixas de rock psicodélico, com pitadas de west coast, garagem, hard e blues, totalizando quase 80 minutos. Variando entre momento de rock pesado e raivoso e outras baladas hippies, o grupo encontra uma consistência no som, guiado pelo excelente trabalho na guitarra de Greg Douglass, além de riffs duplos, ótimos vocais e 'cozinha' competente, salientados ainda mais nas longas jams ao vivo (nas canções que fecham o disco).
Uma ótima pérola da geração hippie da costa oeste, recomendado!

This archival collection of previously unreleased mat'l by one of my favorite psych bands is probably the only accessible source of their mat'l by most listeners. Their only other "release", if you want to call it that, was a one-sided, 5 song demo, pressed in an extremely limited quantity (20?), and is impossibly rare nowadays. 4 of the 5 tracks appeared on a comp from sometime in the 80's, but this is also quite scarce now. This 2-disc release features 1 studio side recorded in 1969, one from '71, and the other disc is live recordings from 1970. All of their mat'l is steeped in that west coast, psychedelic sound that emanated from San Fran starting in 1966, and drew to a close not long after these recordings were made. A great package, recommended to fans of the genre.

Country Weather is a psychedelic rock band from the San Francisco area and were in their heyday from 1969 to 1971. They remind one of Country Joe and the Fish or Quicksilver Messenger Service, just a bit more hickified.

The lead guitar is outstanding and the dual guitar riffs, especially on the "live" material are very decent. Too bad a mucky muck never took an interest in them. They were a solid psych rock band that could have made an impact.
Text: Rate Your Music



Músicos:
Bill Baron (bateria)
Dave Carter (baixo, vocal)
Steve Derr (guitarra rítmica, vocal)
Greg Douglass (guitarra, vocal)

Faixas:
01 Over and Over 4:42
02 Boy Without a Home 3:55
03 Out on the trail 3:15
04 Yes, That's Right 3:45
05 Why Time Is Leaving Me Behind 3:58
06 New York City Blues 4:32
07 Carry a Spare 5:05
08 Fly to New York 6:49
09 Black Mountain Rag 1:25
10 There I've Known 3:49
11 I Don't Know 3:59
12 Pakistan (Ring Around the Moon) 2:45
13 Wake Me Shake Me 15:05
14 Fly to New York 9:15
15 Black Mountain Rag 7:10



segunda-feira, 5 de junho de 2017

HEAVY PSYCH - APPLE PIE - Ballad of the Crying Man / Maurice - 1970


Artista / Banda: Apple Pie
Álbum: Ballad of the Crying Man / Maurice (Single)
Ano: 1970
Gênero: Heavy Psych / Prog
País: Alemanha

Comentário: Formada em Wuppertal em 1969 por jovens que já tocavam em pequenos grupos de garagem da época, o Apple Pie lançou apenas um compacto em 1970 e logo se desfez. Fez parte da compilação Psychedelic Gems décadas depois.
 No lado A ouvimos a música "Ballad Of The Crying Man", destaque do single, que abre com flauta, guitarra e órgão, lembrando Jethro Tull, e se desenrola com guitarra wah-wah e vocais em inglês, quase em um levada de blues. "Maurice" traz uma pegada mais psicodélica e garageira, novamente com destaque para a guitarra pesada. 

Formed in Wuppertal in 1969 by young people already playing in small garage groups of the time, Apple Pie only released a single in 1970 and soon disbanded. It was part of the compilation Psychedelic Gems decades later.

 On the A side we hear the song "Ballad Of The Crying Man", the highlight of the single, which opens with flute, guitar and organ, reminding Jethro Tull, and unfolds with wah-wah guitar and vocals in English. "Maurice" brings a more 60's psychedelic / garage style, again featuring heavy guitar.

Músicos:
Harald Grünwald (guitarra)
Volker Lieb (baixo)
Knut Engels (guitarra)
Peter Bender (bateria)

Faixas:
01 Ballad Of The Crying Man 3:19
02 Maurice 3:01

sábado, 27 de maio de 2017

PSYCHEDELIC/ GARAGE ROCK - APPLE PIE - Singles - 1967-70


Artista/ Banda: Apple Pie
Álbum: Singles
Ano: 1967-70
Gênero: Psychedelic / Garage Rock
País: Guatemala

Comentário: Grupo pioneiro do rock guatemalteco, formado em 1967, originalmente fazendo covers de grandes nomes americanos e ingleses dos anos 60. Posteriormente lançaram vários singles com composições próprias, porém nenhum LP (a postagem que trago aqui é uma compilação não oficial das músicas lançadas no período). Houve uma rápida reunião em 2014.
Ouvimos aqui 8 curtas e surpreendentes faixas, considerando a localização e época dos registros, pois trazem um rock psicodélico pesado, garageiro e 'sujo', com guitarra fuzz nervosa liderando em todas as canções, vocais de personalidade (letras em inglês e espanhol) e seção rítmica endiabrada (especialmente em 'Woman'). Um grande exemplo que o rock não possui fronteiras, altamente recomendado para fãs de psicodelia sessentista!

A pioneering group of Guatemalan rock, formed in 1967, originally doing covers of great American and British names of the 60s. Later they released several singles with own compositions, however no LP (the post that I bring here is an unofficial compilation of the songs released in the period). There was a quick meeting in 2014.
We listen here to 8 short and surprising tracks, considering the location and time of the records, because they bring a heavy, garage and 'dirty' psychedelic rock, with nervous fuzz guitar leading in all the songs, good vocals (English and Spanish lyrics) and mad rhythmic section (especially in 'Woman'). A great example that rock has no boundaries, recommended for 60's psychedelia fans.


Músicos:
Gentry Ordoñez (vocal)
Rico Molina (guitarra rítmica, baixo)
Wicho Zelaya (bateria)
Tito Henkle (guitarra)

Faixas:
01 Dime 2:29
02 Llamate Hombre 3:16
03 Oda 3:03
04 Unknow 2:51
05 Venus 2:58
06 La Respuesta de Nadie 4:50 
07 Consuelame 3:52
08 Woman 3:25

domingo, 21 de maio de 2017

PROG / PSYCH ROCK - PETE & ROYCE - Suffering of Tomorrow - 1980


Artista: Pete & Royce
Álbum: Suffering of Tomorrow
Ano: 1980
Gênero: Progressive / Psych Rock
País: Grécia

Comentário: Vindo de Palaio Faliro, esta foi uma das poucas bandas gregas de rock progressivo a lançar trabalhos oficiais, apesar de baixa prensagem. Foram 3 LPs no começo dos anos 80.
Diferente de muitos grupos locais, o som do quinteto é pouco influenciado por melodias tradicionais, mas sim pelo rock progressivo inglês da década anterior, especialmente Pink Floyd, com forte presença de órgão e sintetizadores, proporcionando certas partes viajantes e cósmicas. A guitarra também aparece bem em certos momentos, junto do vocal (em inglês). A produção é um ponto negativo, pecando em qualidade.
 Mesmo longe de ser uma obra-prima, esta é uma raridade que agradará fãs de prog / psych rock.

Pete & Royce are considered as one of the top and totally unique psych/progressive rock bands coming from Greece. Wired around Panagiotis “Pete” Tsiros, during the late ‘70s through to the early ‘80s, Pete & Royce offered to the European prog underground scene an astounding blend of trippy moods and moves: flashy melodies, hard guitar biting-fuzz, night crawling rhythms, mystifying electronic shifts and strange lyrics like oracles from an unknown book of Apocalypsis (very compatibly, two key members of another top progressive Greek group named Apocalypsis were also involved importantly in the recordings of Pete & Royce, the keyboardist Vasilis Dertilis and the vocalist Giannis Palamidas). Both albums of Pete & Royce ("Suffering of Tomorrow" - 1980, and "Days of Destruction" - 1981) are internationally sought after for their dreamy Pink-Floydian atmosphere, the brilliant vocals and guitars of Tsiros himself, the topnotch fiery interplay of all the participating musicians (especially of the key member, keyboardist and co-composer, Vasilis Ghinos) and the rarer but equally mind-blowing cosmic funk moments.
Text: Bandcamp

Músicos:
Pete Tsiros (guitarra, vocal)
Lavrentis Tsinaroglou (guitarra, vocal)
Bill Ghinos (teclados)
Ilias Porfiris (baixo)
Fontas Hatzis (bateria)

Faixas:
01 Flickering Light 06:41
02 It's so Unreal 06:52
03 Flowers 03:34
04 Suffering of Tomorrow 02:47
05 Time 03:46
06 Years Before 15:06
a. Maybe
b. Face of the Moon
c. Round your Grave 

domingo, 14 de maio de 2017

HEAVY PSYCH - YAK - See Me / Desperate Man - 1970


Artista / Banda: Yak
Álbum: See Me / Desperate Man (Single)
Ano: 1970
Gênero: Heavy Psych
País: Suíça

Comentário: Pérola vinda da Suíça e cujas informações e nomes dos membros são desconhecidos. Lançaram apenas um raro compacto pela Polydor, contendo as músicas "See Me" e "Desperate Man", ambas curtas, porém trazendo um heavy psych barulhento e direto, típico do começo dos anos 70. Riffs marcantes de guitarra fuzz, bateria 'quebrando tudo' e vocal cavernoso marcam o som, com as letras em inglês. Uma banda com grande potencial, porém que nos deixou apenas esses dois petardos.

Gem coming from Switzerland and whose information and names of members are unknown. They released only a rare compact by Polydor, containing the songs "See Me" and "Desperate Man", both short, but bringing a loud and straight heavy psych, typical of the early 70s. Fuzzy guitar riffs, furious drums and vocals mark the sound, with lyrics in English. A band with great potential, however that left us only those two great songs. 


Músicos: 
?


Faixas:
01 See Me 2:48
02 Desperate Man 3:30

sábado, 13 de maio de 2017

AFROBEAT/ FUNK - VINCENT AHEHEHINNOU - Vol. 1 - 1978


Artista / Banda: Vincent Ahehehinnou
Álbum: Vol. 1
Ano: 1978
Gênero: Afro Funk / Afrobeat
País: Benin

Comentário: Primeiro (e aparentemente único) disco solo deste músico de Benin, após sua saída de um dos mais prestigiados grupos da região: T.P. Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou. Gravado na Nigéria e com prensagem mínima na época, a obra ganha nova edição neste ano, pela Analog Africa. 
Dividido em 4 longas faixas, o LP traz uma mescla de ritmos tradicionais (Fon Music) com funk e psicodelia, ao melhor estilo do afrobeat no Oeste Africano. O instrumental é variado, onde ouvimos guitarra wah-wah, metais e rica percussão, por vezes repetitiva e hipnótica. Cantado em 4 línguas (inglês, francês, fon e mina), a parte lírica geralmente é feita por coros e com certos momentos de melancolia.
Raridade recomendada para todos os fãs de afrobeat dos anos 70.

A pedido do selo Analog Africa, o link de download desta postagem não será enviado por e-mail e a postagem será de divulgação do trabalho. Porém as músicas podem ser ouvidas, adquiridas e o material físico comprado no site oficial da Analog Africa.

In early 1978, Vincent Ahehehinnou left the Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou without explanation. He had been one of their principal vocalist since 1968 and had helped transform them from a hard-charging nightclub band into a musical powerhouse and Africa-wide sensation.
Vincent's afrobeat credentials are in full evidence on opening track ‘Best Woman' (English) whose driving beat, focussed horns and intricate vocal melody recall the raucous intensity of Poly-Rythmo. But the deep funk of the title track turns out to be only a warm-up for album-highlight ‘Maimouna Cherie' (French), a moving expression of love and longing which kicks off with a hi-hat and wah-wah guitar workout but shifts gears mid-way into a more concentrated and contemplative groove.
The funk and afrobeat gems on Best Woman are balanced by songs that draw upon Sato, one of the many Vodoun rhythms of Vincent's native Benin. Side one concludes with "Vi Deka" (Mina), an epic slow-burner propelled by some of the record's most soulful vocals, while album closer "Wa Do Verite Ton Noumi" (Fon) all but dares you not to lose yourself in its sublime hypnotic trance.

By request of the Analog Africa label, the download link for this album will not be sent by email and the pos will be to promote the work. However the songs can be heard, acquired and the physical material purchased on the official website of Analog Africa.


Músicos:
Vincent Ahehehinnou (vocal)
Sagbohan Danialou (bateria)
Ignace De Souza (trompete, saxofone)
Aristide Hounwanou
Honoré Avolonto
Léonard Gohoungbé
Sébastien Houédanou
?

Faixas:
01 Best Woman 09:16
02 Vi Deka 09:20
03 Maimouna Cherie 08:38
04 Wa Do Verité Ton Noumi 09:22


segunda-feira, 8 de maio de 2017

PROGRESSIVE ROCK - NOOR EESTI - Tajo Kadajas ja ansambel Noor Eesti - 1998 (1977)



Artista / Banda: Noor Eesti
Álbum: Tajo Kadajas ja ansambel Noor Eesti
Ano: 1998 (1977)
Gênero: Progressive Rock
País: Estônia

Comentário: Pérola formada em Tallinn, capital da Estônia e na época URSS, por ex-membros de várias bandas locais como Ruja, Mess e Väntorel. Sem poder tocar na legalidade, o grupo durou apenas um ano, sem lançar nada oficial e se apresentando uma única vez, na cidade natal, em 1977. Posto aqui antigas gravações em rádios locais ou ao vivo que saíram informalmente (CD-R) nos anos 90.
O som da banda é fortemente influenciado pelo rock progressivo, especialmente Yes e Genesis (como dito posteriormente pelos próprios membros), variando entre momentos mais experimentais e viajantes e outros melódicos, sendo o instrumental bem desenvolvido e até complexo, sem presença de guitarra, mas dois tecladistas e de fagote (sopro). O vocal de Kadajas é também marcante, apesar de todas as letras em estoniano.
Uma bela surpresa para fãs de progressivo e rock do leste europeu.

In 1976, a progressive "supergroup" was formed – Noor Eesti (Young Estonia). During the gigging days of Meie, Kadajas met and the then-keyboardist and leader of the band Ruja, Rein Rannap. When Rannap left Ruja out of musical disputes, the seeds of a new band was sowed. Being "sick" of guitars, Rannap put together a unique band with no guitarist, but instead, a bassoon. However, the band gigged and recorded five of its tracks during its brief one-year run. Some of the songs by Noor Eesti were indeed quite progressive and experimental, such as the complex "Sünd" (Birth) and the piano-driven "Lendav järv" (The Flying Lake) - both progressive rock classics. "Edasijõudnud inimene" (Advanced Individual) was another classic with some fine keyboard leads and a crafty "lead" bass part by Tormis -- very much in the Chris Squire (Yes) school of bass playing. However, that song showed how the humble bassoon can play a major role in a rock song, a task done successfully by Riismäe. However, one of the most unique things about the Noor Eesti sound was the voice of Kadajas. Refined even more since the days of Meie, Kadajas brought out the humour, power and emotion of the band`s complex pieces. His voice is forever immortalised in the ballad "Ühes väikses Eesti linnas" (In a Little Town), a massive hit.
Text: Tajo Kadajas

Músicos:
Tajo Kadajas (vocal)
Rein Rannap (teclados)
Andres Uibo (órgão)
Tõnu Tormis (baixo)
Ivar Sipra (bateria)
Heitti Riismäe (fagote)

Faixas:
01 Sünd
02 Lendav järv 
03 Kitsarööpaline
04 Edasijõudnud inimene
05 Ühes väikses Eesti linnas
06 Tühjad raamid
07 Kanarbik
08 Allik

quarta-feira, 3 de maio de 2017

PSYCHEDELIC ROCK / SOUL - KOSSIE GARDNER - Pipes of Blue - 1969


Artista: / Banda: Kossie Gardner
Álbum: Pipes of Blue
Ano: 1969
Gênero: Psychedelic Rock / Soul
País: EUA

Comentário: Muito pouco se sabe sobre esse organista americano, provavelmente nascido no Tennessee (onde gravou todo seu material), lançando 4 LPs entre 1967-72, porém sem obter sucesso e sumindo do mapa logo depois. Posto aqui seu segundo trabalho, com músicos não listados e dividido em 11 curtas faixas, contando com vários covers ("Foxy Lady", "Sunshine Of Your Love", "Fire" e "Magic Carpet Ride"). Mescla rock psicodélico e influências acentuadas de jazz e soul, principalmente nas partes cantadas em coral, porém é majoritariamente instrumental, destacando-se o órgão elétrico, acompanhado por boas passagens de metais e guitarra fuzz.
Boa pedida para fãs de rock psicodélico dos anos 60, além de fãs de Hammond jazz/ soul.

Very little is known about this American organist, probably born in Tennessee (where he recorded all his material), releasing 4 LPs between 1967-72, but without success and disappearing soon after. Post here his second work, with unknown musician  and divided into 11 short tracks, counting on several covers ("Foxy Lady", "Sunshine Of Your Love", "Fire" and "Magic Carpet Ride"). It mixes psychedelic rock with strong influences of jazz and soul, mainly in the parts sung in coral, but it is mainly instrumental, emphasizing the electric organ, accompanied by good passages of metals and guitar fuzz.


Músicos:
Kossie Gardner (órgão)
?

Faixas:
01 Spooky
02 Fire
03 (Sittin' On) The Dock Of The Bay
04 Dream Driftin'
05 Magic Carpet Ride
06 Who's Making Love
07 California Dreamin'
08 Soul Man
09 Sunshine Of Your Love
10 See Saw
11 Foxy Lady

terça-feira, 2 de maio de 2017

SYMPHONIC PROG - PANTA RHEI - Bartok - 1977


Artista / Banda: Panta Rhei
Álbum: Bartok
Ano: 1977
Gênero: Progressive Rock / Classical Crossover
País: Hungria

Comentário: Banda formada em Debrecen em 1974 e que lançou alguns discos na época, readaptando obras clássicas para o rock. Alguns outros materiais não foram lançados oficialmente e só viram a luz com o advento da internet, este é o exemplo do disco que posto aqui. Gravado entre 1976 e 77, ele conta com versões do compositor conterrâneo Béla Bartók, mas foi impedido de ser lançado na época por proibição da família do "homenageado". 
Conta com 6 faixas, quase totalmente instrumentais (existem algumas declamações em húngaro ao longo de "Dance Suite") e totalizando cerca de meia hora. O trabalho é todo voltado ao rock progressivo sinfônico, com influências de ELP e Collegium Musicum, sendo dominado pelo impressionante trabalho de Kalman Matolcsy no órgão Hammond, sintetizador e piano, alternando belos e viajantes solos, acompanhados por baixo e bateria dinâmicos e guitarra discreta. 
Um belo e obscuro exemplo de classical crossover e prog sinfônico da antiga Cortina de Ferro, recomendado!

A very interesting rare recording, it is a symphonic prog album mainly driven by a hammond organ, bass guitar and drums, and done in a same kind of way as ELP, it is so much ELP sounding, you'd think it is by ELP, Panta Rhei could by a Hungarian ELP clone, a superb prog album, never seen the light of day, as Bartok's family refused to give PR permission to release this on record back in 1977, though some recordings are recorded between 1976 and 77, also features loads of synths too.
A suberb album consisting of Bartok's works, it is possible to listen to this album, but not avalable on any physical recordings ie, vinyl, tape or cd etc.
A must listen for Emerson, Lake and Palmer fans, you will love this one, if you are an ELP fanatic.
A shame this album is not avalable to buy as a album, one of the rarest albums I ever heard!!


Músicos:
Kalman Matolcsy (teclados)
Alex Szalay (guitarra)
Andras Szalay (baixo)
Eniko Acs (vocal)
Csaba Beke (bateria)

Faixas:
01 Quarts 2:17
02 Harlequin 2:32
03 Rumanian Dances 5:25
04 Dance Suite (Live) 12:10
05 Ostinato (Live) 3:56
06 Allegro Barbaro (Live) 4:31